Pular para conteúdo

Pular para sumário

 ENTREVISTA | ANTONIO DELLA GATTA

Por que um padre deixou a Igreja

Por que um padre deixou a Igreja

DEPOIS de ter estudado em Roma por nove anos, Antonio Della Gatta foi ordenado padre em 1969. Mais tarde, ele serviu como reitor, ou responsável, de um seminário próximo a Nápoles, Itália. Enquanto esteve lá, depois de muito estudo e meditação, ele concluiu que a religião católica não é baseada na Bíblia. Ele contou à Despertai! sobre seu esforço em buscar a Deus.

Fale sobre sua criação.

Nasci na Itália em 1943. Eu, meus irmãos e minhas irmãs crescemos num pequeno vilarejo onde meu pai era fazendeiro e marceneiro. Nossos pais nos criaram para sermos bons católicos.

Por que você quis ser padre?

Quando criança, eu gostava muito de ouvir os padres na igreja. Eu amava ouvir suas vozes e ficava impressionado com os rituais. Por isso, eu tinha muita vontade de ser padre. Quando eu estava com 13 anos, minha mãe me matriculou num internato que preparava meninos para futuramente estudarem para ser padres.

Essa preparação envolvia o estudo da Bíblia?

Não necessariamente. Quando eu tinha 15 anos, um dos meus professores me deu um livro, os Evangelhos — relatos históricos da vida e do ministério de Jesus. Li esse livro várias vezes. Aos 18 anos, fui a Roma estudar nas universidades pontifícias, que estão sob a autoridade direta do papa. Estudei latim, grego, filosofia, história, psicologia e teologia. Apesar de recitarmos versículos bíblicos e ouvirmos a leitura da Bíblia nos sermões dominicais, na verdade, nós não a estudávamos.

Seu trabalho como reitor envolvia ensinar?

Meu trabalho era principalmente administrativo. Mas eu dava aulas sobre os decretos do Segundo Concílio do Vaticano.

Por que você começou a ter dúvidas em relação à Igreja?

Três coisas me incomodavam. A Igreja estava envolvida em política. Ela tolerava conduta imprópria de clérigos e de paroquianos. E alguns ensinos católicos não pareciam corretos. Por exemplo, por que um Deus de amor puniria para sempre pessoas que morreram? Além disso, será que Deus realmente quer que nós repitamos orações centenas de vezes usando um rosário? *

O que você fez?

Com lágrimas escorrendo pelo rosto, orei pedindo orientação. Também comprei uma Bíblia católica que tinha sido recentemente lançada em italiano, a Bíblia de Jerusalém, e comecei a lê-la. Daí, num domingo de manhã, quando eu estava pendurando minhas vestes depois da Missa, dois homens vieram ao seminário. Eles se apresentaram como Testemunhas de Jeová. Conversamos por mais de uma hora sobre a Bíblia e o que ela diz quanto a como identificar a religião verdadeira.

 Que impressão você teve sobre os visitantes?

Fiquei surpreso com a convicção deles e a facilidade com que usavam a edição católica da Bíblia. Mais tarde, passou a vir outra Testemunha de Jeová, chamada Mario. Ele era paciente e uma pessoa de palavra — todo sábado, às nove da manhã, fizesse chuva ou sol, ele tocava a campainha do seminário.

O que os outros padres achavam disso?

Eu os convidava para acompanharem nossas conversas, mas nenhum deles levava o estudo da Bíblia a sério. Eu, porém, gostava muito desse estudo porque estava aprendendo coisas maravilhosas. Por exemplo, aprendi por que Deus tolerava o mal e o sofrimento — algo que me intrigava havia muito tempo.

Seus superiores tentaram fazer você parar de estudar a Bíblia?

Em 1975, fui várias vezes a Roma para explicar meu ponto de vista. Meus superiores tentaram mudar meus conceitos, mas nenhum deles usou a Bíblia. Finalmente, em 9 de janeiro de 1976, escrevi a Roma declarando que eu não me considerava mais católico. Dois dias depois, deixei o seminário e peguei um trem para assistir à minha primeira reunião com as Testemunhas de Jeová, que na verdade era uma assembleia com diversas congregações. Tudo era tão diferente do que eu estava acostumado! Cada pessoa tinha uma Bíblia e a usava para acompanhar os discursos que abordavam diferentes assuntos.

O que sua família achou de tudo isso?

A maioria foi extremamente contra. Mas descobri que um dos meus irmãos estava estudando a Bíblia com as Testemunhas de Jeová na Lombardia, região no norte da Itália. Fui visitá-lo, e as Testemunhas de Jeová de lá me ajudaram a encontrar um emprego e um lugar para morar. Mais tarde naquele ano, fui batizado como Testemunha de Jeová.

Agora me sinto realmente achegado a Deus

Você se arrepende de ter feito tudo isso?

De forma nenhuma! Agora me sinto realmente achegado a Deus, porque o que sei sobre ele é baseado na Bíblia, não em filosofias nem em tradições religiosas. E consigo ensinar outros com convicção e sinceridade.

^ parágrafo 13 A Bíblia responde claramente a essas e a muitas outras perguntas. Acesse ENSINOS BÍBLICOS > PERGUNTAS BÍBLICAS RESPONDIDAS.