Pular para conteúdo

Pular para sumário

Por que tanta raiva?

Por que tanta raiva?

 Por que tanta raiva?

AS CAUSAS da raiva são complexas. Até mesmo os cientistas admitem que pouco se sabe sobre ela. Mas algo que os profissionais da saúde mental não discutem é que todos nós reagimos a determinados “desencadeadores da raiva”.

Um desencadeador da raiva é qualquer coisa que irrita uma pessoa, muitas vezes algum tipo de injustiça. Sentimentos de raiva podem ser provocados quando nos sentimos ofendidos, como no caso de um insulto, ou quando achamos que nossa autoridade ou reputação está sendo ameaçada.

É claro que os desencadeadores da raiva variam de pessoa para pessoa. Eles diferem de acordo com a idade, o sexo e até mesmo com a cultura. O que também varia é a reação das pessoas aos desencadeadores. Algumas raramente sentem raiva e logo esquecem uma ofensa, ao passo que outras se ofendem com facilidade e podem guardar raiva por dias, semanas, meses ou até mais tempo.

Estamos cercados de coisas que podem provocar raiva. Além disso, parece que as pessoas estão ficando cada vez mais sensíveis aos desencadeadores. Por quê? Um motivo é o espírito egoísta tão comum no mundo hoje. A Bíblia explica: “Nos últimos dias . . . os homens serão amantes de si mesmos, amantes do dinheiro, pretensiosos, soberbos, . . . teimosos, enfunados de orgulho.” (2 Timóteo 3:1-5) Não concorda que essas palavras descrevem bem a atitude de muitas pessoas hoje?

Quando pessoas egocêntricas não conseguem que as coisas sejam feitas do jeito delas, o resultado costuma ser a raiva. Existem muitos outros motivos de a raiva estar aumentando. Veja alguns deles.

Exemplo dos pais

Os pais exercem forte influência no desenvolvimento da personalidade de seus filhos durante toda a infância e adolescência. O psicólogo Harry L. Mills explica: “Desde bem cedo na vida, as pessoas aprendem a expressar raiva por imitar o comportamento agressivo que veem ao seu redor.”

Uma criança que cresce num ambiente hostil — onde é comum brigar por razões triviais — está na realidade sendo treinada para reagir com raiva aos problemas da vida. Essa criança pode ser comparada a uma planta regada com água contaminada. A planta pode até crescer, mas seu desenvolvimento será prejudicado, e ela talvez sofra danos permanentes. A raiva é como água contaminada, e uma criança exposta a ela estará mais inclinada a ter problemas em controlar a raiva quando se tornar adulta.

Cidades superlotadas

Em 1800, cerca de 3% da população mundial vivia em áreas urbanas. Em 2008, esse número subiu para 50%, e acredita-se que chegará a 70% até 2050. Com o número cada vez maior de pessoas em cidades superlotadas, é provável que aumente também os níveis de raiva e frustração. Para citar um exemplo, a Cidade do México é uma das maiores e mais congestionadas cidades do planeta. O trânsito é  uma das principais causas de ansiedade. Com seus 18 milhões de habitantes e 6 milhões de carros, ela “bem que poderia ser eleita a capital mais estressada do mundo”, escreveu um jornalista. “O trânsito é caótico, deixando as pessoas com os nervos à flor da pele.”

Em cidades superlotadas também existem outras fontes de estresse, como poluição do ar, barulho excessivo, falta de moradia, choques culturais e altos índices de criminalidade. Com o aumento do estresse, as pessoas tendem a ficar agitadas, com raiva e sem paciência.

Problemas econômicos

O revés econômico mundial tem desencadeado estresse e ansiedade generalizados. Um relatório de 2010 do Fundo Monetário Internacional em conjunto com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), das Nações Unidas, disse: “Estima-se que mais de 210 milhões de pessoas em todo o mundo estejam desempregadas.” Infelizmente, a maioria dos que  perderam o emprego não tem para quem recorrer.

Mas isso não significa que os que têm emprego estão numa situação muito melhor. Segundo a OIT, o estresse relacionado ao trabalho é uma “epidemia global”. “As pessoas têm medo de perder o emprego e pensam logo no pior”, disse Lorne Curtis, um consultor empresarial em Ontário, Canadá. Ele acrescentou que, em resultado disso, “elas ficam na defensiva e mais propensas a discutir com o supervisor e outros funcionários”.

Preconceito e injustiça

Imagine como você se sentiria se estivesse numa maratona e descobrisse que é o único obrigado a correr com os pés acorrentados. É assim que milhões de pessoas se sentem ao enfrentar racismo e outros tipos de preconceito. As pessoas ficam com raiva quando se deparam com obstáculos para conseguir emprego, educação, moradia e outras necessidades básicas.

Outras formas de injustiça também podem causar amargura e muito sofrimento. Infelizmente, a maioria de nós já foi vítima de injustiças alguma vez na vida. Mais de 3 mil anos atrás, o sábio Rei Salomão declarou: “Eis as lágrimas dos oprimidos, mas eles não tinham  consolador.” (Eclesiastes 4:1) Quando a injustiça predomina e não há quem nos console, nosso coração pode ser facilmente dominado pela raiva.

Indústria do entretenimento

Já foram feitas mais de mil pesquisas para avaliar o impacto que a violência na TV e outras mídias têm sobre as crianças. James P. Steyer, fundador da ONG Common Sense Media, disse: “Uma geração exposta tantas vezes a violência intensa e explícita cresce aceitando mais agressões, resistindo menos à brutalidade e tendo menos compaixão.”

É verdade que a maioria dos jovens que crescem vendo cenas violentas na TV não se tornam criminosos cruéis. Mas o fato é que o mundo do entretenimento retrata a violência e a raiva como um modo aceitável de resolver problemas, resultando no surgimento de uma geração insensível à violência.

Influência de espíritos maus

Segundo a Bíblia, a raiva prevalecente na Terra hoje se deve em grande parte à influência de uma força invisível. Como assim? No início da história da humanidade, uma criatura espiritual rebelde se voltou contra o Deus Todo-Poderoso. Ela é chamada de Satanás, que em hebraico significa “Opositor”, ou “Adversário”. (Gênesis 3:1-13) Mais tarde, Satanás induziu outros anjos a se juntar a ele nessa rebelião.

Esses anjos desobedientes, conhecidos como demônios, ou espíritos maus, foram confinados à vizinhança da Terra. (Revelação [Apocalipse] 12:9, 10, 12) Eles têm “grande ira”, pois sabem que seu tempo restante é curto. Assim, embora não possamos ver esses espíritos maus, sentimos os efeitos de sua atuação. Como?

Satanás e seu exército de demônios se aproveitam de nossas tendências pecaminosas e tentam nos envolver em “inimizades, rixa, ciúme, acessos de ira, contendas, divisões, . . . festanças e coisas semelhantes a estas”. — Gálatas 5:19-21.

Resista ao impulso

Depois de considerar todos esses problemas, pressões e ansiedades, entendemos por que as pessoas ficam irritadas ao cuidarem de suas responsabilidades do dia a dia.

O impulso de ficar com raiva e dar vazão a ela pode ser difícil de resistir. O próximo artigo dará sugestões de como controlar a raiva.

[Quadro na página 5]

VOCÊ PODE TER PROBLEMAS SÉRIOS SE . . .

▶ Fica com raiva por causa da espera na fila de uma loja.

▶ Costuma discutir com seus colegas de trabalho.

▶ Às vezes perde o sono remoendo coisas que o aborreceram durante o dia.

▶ Acha difícil perdoar os que o ofenderam.

▶ Costuma perder o controle das emoções.

▶ Episódios de raiva muitas vezes são acompanhados de vergonha ou arrependimento. *

[Nota(s) de rodapé]

^ parágrafo 36 Baseado em informações do site MentalHelp.net.

[Quadro na página 6]

ESTATÍSTICAS DA RAIVA

A Fundação para Saúde Mental de Londres, Inglaterra, publicou um relatório sobre a raiva. Descobertas importantes desse relatório incluem as seguintes estatísticas:

84% dos entrevistados se sentem mais estressados no trabalho hoje do que há cinco anos.

65% dos que trabalham em escritório tiveram ou presenciaram acessos de fúria no local de trabalho.

45% perdem a calma regularmente no trabalho.

Até 60% de todas as ausências no trabalho são resultado de estresse.

33% dos britânicos não conversam mais com vizinhos com quem tiveram um desentendimento.

64% escolheram a opção ‘concordo’ ou ‘concordo totalmente’ para a afirmação de que as pessoas em geral estão ficando com mais raiva.

32% disseram ter um amigo ou um parente que tem problema em controlar a raiva.

[Foto na página 5]

Quando você não consegue controlar sua raiva, como isso pode influenciar seus filhos?

[Foto na página 6]

Será que a indústria do entretenimento influencia seu conceito sobre a raiva e a agressividade?