Pular para conteúdo

Pular para sumário

O lado negativo da raiva

O lado negativo da raiva

 O lado negativo da raiva

Um homem pede um sanduíche no drive-thru de uma lanchonete. Furioso com a demora, ele entra no estabelecimento ameaçando um funcionário, empurra-o contra o balcão e o agride. Daí, ainda cheio de raiva, agarra seu sanduíche e vai embora.

TODO mundo sente raiva uma vez ou outra. Afinal, ela é um sentimento que faz parte da natureza humana, assim como o amor, a esperança, a ansiedade, a tristeza e o medo. Quando controlada, a raiva pode ser expressa de maneira apropriada e tem seu lado positivo. Por exemplo, pode ser vantajosa quando aumenta a determinação de alguém para superar certos obstáculos ou problemas.

Como o caso acima mostrou, a raiva também tem seu lado negativo. Algumas pessoas ficam iradas com mais facilidade, frequência e intensidade que outras. Quando provocadas, chegam a extravasar sua raiva na forma de agressões verbais ou físicas. Pessoas assim são controladas pela raiva, quando deveria ocorrer o contrário. Essa raiva descontrolada é perigosa e pode ter um péssimo efeito sobre o raciocínio da pessoa, bem como sobre seus sentimentos, comportamento e relacionamentos.

Pessoas que não conseguem controlar a raiva prejudicam não apenas a si mesmas, mas também todos ao seu redor. Para alguém nessa situação, até mesmo coisas pequenas podem provocar um acesso violento, o que pode resultar em consequências trágicas. Veja os exemplos a seguir.

Um homem que caminhava por uma rua movimentada com um grupo de amigos foi baleado no pescoço. O motivo? A bolsa de academia de um de seus amigos tinha esbarrado de leve no homem armado.

Um jovem de 19 anos espancou até a morte o bebê de 11 meses de sua noiva. Ele estava jogando um videogame violento e ficou furioso quando perdeu o jogo porque o bebê encostou no controle do videogame.

Casos similares no mundo todo indicam que cada vez mais pessoas estão sendo dominadas pela raiva. Por que isso está acontecendo?

[Quadro na página 3]

A raiva faz parte da natureza humana. Assim, há ocasiões em que expressá-la de modo controlado pode ser apropriado. No entanto, estes artigos abordam a raiva prejudicial, que pode causar danos emocionais, físicos e espirituais a nós mesmos e a outras pessoas.