Pular para conteúdo

Pular para sumário

Como controlar a raiva

Como controlar a raiva

 Como controlar a raiva

MAIS de 2 mil anos atrás, o filósofo grego Aristóteles usou o termo “catarse” para descrever a “purgação”, ou extravasamento, da tensão emocional resultante de se assistir a uma peça trágica ou dramática. A ideia era que esse extravasamento da tensão proporcionasse uma sensação de alívio psicológico.

No início do século passado, o neurologista austríaco Sigmund Freud promoveu um conceito similar. Ele alegou que, se as pessoas guardassem ou reprimissem seus sentimentos negativos, eles voltariam mais tarde na forma de um distúrbio psicológico, como a histeria. Assim, Freud defendeu a ideia de que é melhor expressar a raiva do que reprimi-la.

Em anos mais recentes, nas décadas de 70 e 80, alguns pesquisadores testaram a teoria da catarse e descobriram pouca ou nenhuma evidência que a apoie. Isso levou a psicóloga Carol Tavris a escrever: “É hora de descartar  a teoria da catarse. Não existe praticamente nenhuma pesquisa em apoio à crença de que observar violência (ou extravasá-la) ajuda a eliminar hostilidades.”

Outro psicólogo, Gary Hankins, disse: “Estudos mostram que ‘dar vazão’ a toda a sua raiva de um modo catártico muitas vezes aumenta a tensão em vez de aliviá-la.” É verdade que especialistas em saúde mental talvez nunca cheguem a um consenso sobre a questão da catarse. Mas muitas pessoas têm encontrado ajuda em outra fonte de sabedoria: a Bíblia.

“Larga a ira”

Davi, um dos salmistas da Bíblia, deu o seguinte conselho sobre o controle da raiva: “Larga a ira e abandona o furor; não te acalores apenas para fazer o mal.” (Salmo 37:8) Para não dizermos ou fazermos algo de que mais tarde talvez nos arrependamos, primeiro de tudo devemos evitar ficar ‘acalorados’, ou seja, furiosos. É claro que é muito mais fácil falar do que fazer. Mas é possível! Vejamos três maneiras de manter a raiva sob controle.

Diminua a intensidade da raiva

Para diminuir a raiva, pare e acalme-se. Evite dizer a primeira coisa que lhe vem à mente. Se perceber que está ficando muito agitado e prestes a perder o controle de suas emoções, siga este conselho bíblico: “O princípio da contenda é como alguém deixando sair águas; portanto, retira-te antes de estourar a altercação.” — Provérbios 17:14.

Foi isso que ajudou um homem chamado Jack a dominar seu temperamento violento. O pai dele às vezes ficava embriagado e muito irado. Por causa disso, Jack também se tornou uma pessoa violenta. Ele conta: “Quando eu ficava com raiva, ninguém me segurava. Eu descarregava minha ira com palavras e socos.”

Mas as coisas começaram a mudar quando Jack passou a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová. Ele descobriu que, com a ajuda de Deus, poderia mudar e aprender a controlar sua raiva. E foi isso que ele fez. Jack conta como se sentiu quando um colega de trabalho furioso o ofendeu com palavrões: “Senti a raiva subindo pelo meu corpo. A primeira coisa que passou pela minha cabeça foi voar no pescoço dele.”

O que ajudou Jack a manter a calma? Ele explica: “Lembro-me de ter orado: ‘Jeová, por favor, me ajude a ficar calmo.’ Daí, pela primeira vez em minha vida, senti uma paz tomar conta de mim e consegui virar as costas e ir embora.” Jack continuou estudando a Bíblia, fazendo muitas orações e meditando em textos como Provérbios 26:20, que diz: “Onde não há lenha, apaga-se o fogo.” Isso o ajudou a finalmente conseguir dominar sua raiva.

Aprenda a relaxar

“O coração calmo é a vida do organismo carnal.” (Provérbios 14:30) Colocar em prática essa verdade bíblica básica pode melhorar a saúde emocional, física e espiritual de alguém. Primeiro, aprenda métodos simples de  relaxamento, que ajudam a amenizar sentimentos de raiva. As técnicas a seguir têm ajudado muitas pessoas:

● Respirar fundo é um dos melhores — e mais rápidos — modos de reduzir a intensidade de sua raiva.

● Enquanto respira fundo, repita uma palavra ou frase que o acalme, como “relaxe”, “deixe para lá” ou “vá com calma”.

● Distraia-se com algo que você gosta muito, como ler, ouvir música, fazer jardinagem ou outro tipo de atividade relaxante.

● Faça exercícios regulares e tenha uma alimentação saudável.

Seja realista

Você talvez não consiga evitar por completo as pessoas ou coisas que funcionam como desencadeadores da raiva, mas o que você pode controlar é sua reação a elas. Isso envolve mudar seu modo de pensar.

Pessoas com expectativas elevadas tendem a ter mais problemas em controlar a raiva. Por quê? Porque quando alguém ou algo não corresponde a essas expectativas, elas logo ficam decepcionadas e com raiva. Para combater essa mentalidade perfeccionista, é bom ter em mente que “não há um justo, nem sequer um . . . todos se apartaram, todos eles”. (Romanos 3:10, 12) Assim, se esperarmos perfeição de nós mesmos ou de outras pessoas, isso só resultará em desapontamento.

É sábio não esperarmos demais de nós mesmos ou de outros. A Bíblia diz: “Todos nós tropeçamos muitas vezes. Se alguém não tropeçar em palavra, este é homem perfeito.” (Tiago 3:2) De fato, “não há nenhum homem justo na terra, que continue fazendo o bem e que não peque”. (Eclesiastes 7:20) Então, se fingirmos ser o que não somos — alguém perfeito —, nossa vida ficará cheia de frustração e raiva.

É verdade que todos nós sentimos raiva de vez em quando. Mas o modo de expressar nossa raiva é uma questão de escolha. O apóstolo Paulo alertou seus irmãos cristãos: “Ficai furiosos, mas não pequeis; não se ponha o sol enquanto estais encolerizados.” (Efésios 4:26) Por controlarmos a raiva, podemos expressar nossos sentimentos de um modo positivo e que não prejudica ninguém.

[Quadro/Fotos nas páginas 8, 9]

APRENDA A RELAXAR

Respire fundo

Distraia-se com algo que você gosta muito

Faça exercícios regulares