Pular para conteúdo

Pular para sumário

A música no Israel antigo

A música no Israel antigo

 A música no Israel antigo

A MÚSICA era parte fundamental da cultura do Israel antigo. Trombetas e buzinas eram tocadas para convocar o povo para a adoração e indicar eventos especiais. O som de harpas e liras era usado para tranquilizar a realeza. (1 Samuel 16:14-23) Usavam-se tambores, címbalos e chocalhos na comemoração de ocasiões alegres. — 2 Samuel 6:5; 1 Crônicas 13:8.

Jubal, um descendente de Caim, é mencionado na Bíblia como “o fundador de todos os que manejam a harpa e o pífaro”. (Gênesis 4:21) Ele pode ter sido o inventor de instrumentos de cordas e sopro.

Embora a Bíblia descreva muitos acontecimentos em que a música desempenhou um papel importante, ela fala bem pouco sobre os instrumentos musicais. No entanto, descobertas arqueológicas e documentos antigos possibilitaram a eruditos deduzir a aparência deles e o som que produziam. Algumas conclusões não são concretas, mas vejamos alguns exemplos bem documentados.

Pandeiros, sistros e címbalos

Depois que Deus milagrosamente conduziu Moisés e os israelitas através do mar Vermelho, a irmã de Moisés, Miriã, e “todas as mulheres” saíram “com pandeiros e em danças”. (Êxodo 15:20) Embora nunca se tenham achado pandeiros dos tempos bíblicos parecidos com os atuais, antigas estatuetas de cerâmica de mulheres segurando pequenos tambores foram encontradas em Israel em lugares como Aczibe, Megido e Bete-Seã. Esse instrumento, muitas vezes chamado de pandeiro em traduções da Bíblia, provavelmente era um aro de madeira simples revestido com pele de animal esticada.

Nos tempos patriarcais, os pandeiros eram tocados por mulheres em ocasiões festivas junto com canto e dança. A Bíblia conta que quando o líder israelita Jefté voltou para casa após vencer uma batalha importante, sua filha correu para encontrá-lo “tocando pandeiro e dançando”. Em outra ocasião, mulheres comemoraram as conquistas de Davi “com canções e com danças” e “com pandeiros”. — Juízes 11:34; 1 Samuel 18:6, 7.

Quando Davi — agora como rei — trouxe a arca do pacto para Jerusalém, as pessoas “festejavam perante Jeová com toda sorte de instrumentos de pau de junípero, e com harpas, e com instrumentos de cordas, e com pandeiros, e com sistros, e com címbalos”. (2 Samuel 6:5) Mais tarde, o templo em Jerusalém passou a ter sua própria orquestra, que incluía músicos treinados que tocavam címbalos, trombetas, harpas e outros instrumentos de cordas.

Não é difícil imaginar como eram os pandeiros, mas o que dizer dos sistros? Tudo indica que eram uma espécie de chocalho, com uma pequena armação oval e um cabo, que produzia sons agudos e contínuos. Eles são mencionados na Bíblia apenas uma vez,  quando a arca do pacto foi levada a Jerusalém. Mas, segundo a tradição judaica, os sistros também eram tocados em ocasiões tristes.

E o que dizer dos címbalos? Você talvez pense nos dois grandes pratos de metal que produzem som quando percutidos um contra o outro. Mas alguns címbalos do Israel antigo tinham apenas cerca de 10 centímetros de diâmetro, parecidos a castanholas, e produziam um tinido.

Harpas e instrumentos de cordas

O kinnor, geralmente chamado de “harpa” ou “lira”, era um instrumento usado no Israel antigo. Davi o tocava para acalmar o Rei Saul. (1 Samuel 16:16, 23) Eruditos encontraram pelo menos 30 representações da lira em antigos muros de pedra, moedas, mosaicos, placas e selos. O formato do instrumento mudou ao longo dos séculos. O músico o segurava nos braços e tocava as cordas com os dedos ou uma palheta.

O nablo era parecido ao kinnor. Não se sabe ao certo quantas cordas ele tinha, qual era seu tamanho e se era tocado arpejado ou dedilhado. Mas a maioria dos eruditos acredita que tanto o nablo como o kinnor eram portáteis.

Trombetas e buzinas

Deus havia instruído Moisés a fazer duas trombetas de prata batida. (Números 10:2)  Os sacerdotes as usavam para anunciar muitos eventos relacionados com o templo e várias festividades. Elas produziam sons diferentes, dependendo do motivo, incluindo um som alto e sustentado ou um mais curto. Ainda não se sabe qual era a aparência verdadeira dessas trombetas, visto que nenhum exemplar dos tempos bíblicos foi descoberto. Existem apenas interpretações de artistas, como a entalhada num baixo-relevo no Arco de Tito, em Roma.

A buzina, ou chofar, é mencionada nas Escrituras Hebraicas mais de 70 vezes. Esse instrumento podia ser feito com chifre de bode ou de carneiro. De acordo com fontes judaicas, a buzina tinha dois formatos — um reto, com uma boquilha de ouro, e o outro curvo, decorado com prata. A buzina costumava ser usada como instrumento de sinalização, visto que podia produzir um som difuso e seco de dois ou três tons.

No Israel antigo, a buzina era usada para sinalizar determinados eventos religiosos, como o início e o fim do sábado. Mas também era usada em outras situações — por exemplo, em épocas de guerra. Imagine o impacto assustador que o toque de 300 buzinas deve ter tido sobre os midianitas pouco antes de serem atacados de surpresa pelo exército de Gideão à noite! — Juízes 7:15-22.

Todo tipo de instrumentos musicais

Instrumentos como sinos, flautas e alaúdes também eram usados nos tempos bíblicos. Daniel, profeta de Jeová que estava exilado na antiga Babilônia, escreveu sobre a orquestra do rei babilônio Nabucodonosor. Ela incluía a cítara, o pífaro e a gaita de foles. — Daniel 3:5, 7.

Esta breve descrição de alguns dos instrumentos musicais mencionados nas Escrituras confirma o fato de que a música fazia parte do dia a dia do Israel antigo e provavelmente de outras nações antigas. Ouvia-se música nas cortes reais e em locais de adoração, bem como nos povoados e nas casas.

[Foto na página 15]

O sistro era tocado como se fosse um chocalho

[Foto na página 15]

A harpa era um instrumento que o Rei Davi tocava com habilidade

[Foto na página 15]

O pandeiro é usado desde os tempos patriarcais

[Foto na página 15]

A trombeta era usada para anunciar muitos eventos

[Foto na página 16]

Estatueta do oitavo século AEC de uma mulher segurando um instrumento de percussão

[Foto na página 16]

Moeda do segundo século EC retratando um instrumento de cordas

[Foto na página 16]

Pedra do primeiro século AEC, encontrada na área do templo em Jerusalém, com a inscrição “para o local onde se tocam trombetas”

[Créditos das fotos na páginas 16]

Estatueta de cerâmica: Z. Radovan/BPL/Lebrecht; moeda: © 2007 de David Hendin. Todos os direitos reservados; pedra do templo: foto © Museu de Israel, Jerusalém; cortesia de Israel Antiquities Authority