Pular para conteúdo

Pular para sumário

Somos todos uma família

Somos todos uma família

O QUE você pensa sobre pessoas que têm cor de pele diferente da sua ou que vêm de outro grupo étnico? Acha que são iguais a você? Infelizmente, muitas pessoas consideram determinadas raças como inferiores. “Racismo”, de acordo com certo dicionário, é “a crença de que a raça é o determinante primário de capacidades e características humanas e de que as diferenças raciais produzem uma superioridade inerente de uma determinada raça”.

Essa crença tem causado muito dano. Sentimentos de superioridade racial “têm servido de justificativa para a opressão colonial e a escravidão de outros povos”, escreveu o professor universitário Wen-Shing Tseng no seu livro Handbook of Cultural Psychiatry (Manual de Psiquiatria Cultural). Disse também que a raça tem sido usada “para justificar desigualdades sociais, econômicas e políticas”. Até hoje, o racismo existe em muitas partes do mundo. Mas há alguma verdade nessa crença cruel? O que a ciência e a Bíblia têm a dizer?

O que a ciência diz?

Descobertas genéticas confirmaram o equívoco do racismo. Pesquisadores constataram que as diferenças no DNA entre duas pessoas escolhidas aleatoriamente de qualquer parte do mundo eram de cerca de 0,5%. * Dessas diferenças, 86% a 90% ocorreram dentro de um mesmo grupo racial. Assim, apenas 14% ou menos dessa variação de 0,5% ocorreram entre grupos raciais diferentes.

Visto que “os humanos são geneticamente homogêneos”, diz a revista Nature, “a genética pode e deve ser uma ferramenta importante para ajudar a esclarecer e amenizar a questão do racismo”.

“Os humanos são geneticamente homogêneos”, ou essencialmente iguais

 Esse tipo de pensamento não é novo. A Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura começou a publicar em 1950 uma série de declarações para combater o racismo. As declarações foram redigidas por antropólogos, geneticistas e sociólogos. Contudo, o racismo ainda existe. É claro que não basta só estar ciente disso. É preciso tocar também o coração, ou o íntimo, das pessoas. “Do coração vêm raciocínios iníquos”, disse Jesus Cristo. — Mateus 15:19, 20.

O conceito da Bíblia

A Bíblia foi escrita para tocar o coração. Por exemplo, além de declarar a verdade científica de que “[Deus] fez de um só homem toda nação dos homens, para morarem sobre a superfície inteira da terra”, a Bíblia também diz que “Deus não é parcial, mas, em cada nação, o homem que o teme e que faz a justiça lhe é aceitável”. (Atos 10:34, 35; 17:26) Em vista disso, não se sente motivado a amar a Deus? — Deuteronômio 32:4.

Jeová Deus quer que mostremos que o amamos por nos tornarmos iguais a ele. “Tornai-vos imitadores de Deus, como filhos amados, e prossegui andando em amor”, diz Efésios 5:1, 2. ‘Andar em amor’ inclui amar as pessoas como Deus as ama, não importa a cor da pele ou etnia. — Marcos 12:31.

Deus não aceitará como seus servos aqueles que têm um coração cheio de maldade, ódio e preconceito racial. (1 João 3:15) De fato, está muito próximo o tempo em que Deus eliminará todos os maus da face da Terra. Restarão apenas aqueles que imitam suas qualidades. Então, a humanidade realmente será uma só família, em sentido físico e espiritual. — Salmo 37:29, 34, 38.

^ parágrafo 5 No entanto, as relativamente poucas diferenças genéticas entre os humanos podem ser significativas do ponto de vista médico, pois algumas doenças parecem ter uma ligação genética.