Pular para conteúdo

Pular para sumário

Administre bem seu dinheiro

Administre bem seu dinheiro

AS SEGUINTES palavras têm sido atribuídas à Bíblia: “O dinheiro é a raiz de todos os males.” Mas o que ela realmente diz é que “o amor ao dinheiro é a raiz de todos os males”. (1 Timóteo 6:10, Nova Versão Internacional) De fato, algumas pessoas têm ficado muito apegadas ao dinheiro e se empenhado em acumular riquezas. Em alguns casos, elas se tornam escravas dele e sofrem consequências trágicas. Mas quando administrado da maneira correta, ele pode ser muito útil. A Bíblia reconhece que “o dinheiro resolve muitos problemas”. — Eclesiastes 10:19, Holy Bible — Easy-to-Read Version.

Embora a Bíblia não seja um manual de economia, ela contém conselhos práticos que podem ajudá-lo a administrar bem seu dinheiro. A seguir, veremos cinco passos que costumam ser recomendados por especialistas financeiros e que estão de acordo com os princípios registrados há muito tempo na Bíblia.

Saiba quanto ganha e gaste menos do que isso

Economize. Os registros bíblicos mostram que os israelitas eram ensinados sobre a importância de se economizar. Deviam reservar todo ano um décimo de seus ganhos para comparecer às suas festividades anuais. (Deuteronômio 14:22-27) O apóstolo Paulo também incentivou os cristãos do primeiro século a separar toda semana algum dinheiro para ajudar os irmãos necessitados. (1 Coríntios 16:1, 2) A maioria dos especialistas incentiva a fazer economia. Isso deve ser prioridade. Assim que receber o pagamento, deposite o valor que deseja economizar no banco ou em outro lugar seguro. Isso o ajudará a resistir à tentação de gastar esse dinheiro.

Controle. Esse é o único meio prático de monitorar e reduzir seus gastos. Um bom controle pode indicar para onde seu dinheiro está indo e pode ajudar você a atingir seus objetivos financeiros. Saiba quanto ganha e gaste menos do que isso. Aprenda a diferenciar necessidades de desejos. Sobre isso, Jesus deu o sábio conselho de ‘calcular a despesa’ antes de iniciar um projeto. (Lucas 14:28) A Bíblia nos alerta contra fazer dívidas desnecessárias. — Provérbios 22:7.

Planeje. Analise com atenção suas necessidades futuras. Por exemplo, se está pensando em comprar uma casa ou um apartamento, pode ser uma boa decisão fazer um financiamento com taxas de juros razoáveis. Do mesmo  modo, um chefe de família talvez ache necessário fazer plano de saúde, seguro de vida ou outros tipos de seguro para a proteção de sua família. Ao pensar nas necessidades futuras, você talvez decida fazer também um plano de previdência privada. Provérbios 21:5 nos lembra de que “os planos do diligente seguramente resultam em vantagem”.

Aprenda a diferenciar necessidades de desejos

Aprenda. Invista em você mesmo por obter novas aptidões e por cuidar de sua saúde física e emocional. Esses são investimentos que darão retorno. Nunca deixe de aprender. A Bíblia valoriza muito a “sabedoria prática e o raciocínio” e nos incentiva a continuar progredindo. — Provérbios 3:21, 22; Eclesiastes 10:10.

Seja equilibrado. Mantenha o dinheiro no seu devido lugar. Muitas pesquisas mostram que as pessoas que se preocupam mais com os outros do que com o dinheiro são mais felizes. Por outro lado, algumas perdem o equilíbrio por causa da ganância. Como assim? Depois de terem satisfeito suas necessidades básicas de modo adequado, elas se entregam a empenhos materialistas. Mas, além de comida, roupa e moradia, do que mais uma pessoa realmente precisa? Não é de admirar que o escritor bíblico mencionado no início deste artigo tenha também escrito: “Tendo sustento e com que nos cobrir, estaremos contentes com estas coisas.” (1 Timóteo 6:8) O contentamento evita que desenvolvamos amor ao dinheiro e tenhamos todos os problemas que o acompanham.

O amor ao dinheiro é sem dúvida a raiz de muitos males. Você se tornará escravo dele só se permitir. Quando administrado de modo apropriado, o dinheiro pode dar a você a liberdade para se empenhar por coisas mais importantes na vida, como uma relação achegada com a família, amigos e Deus. Mas neste mundo parece impossível conseguir liberdade total das preocupações relacionadas ao dinheiro. Será que ele sempre vai ser motivo de ansiedade? Existe alguma esperança de um dia não haver mais pobreza? O último artigo desta série responderá a essas perguntas.

Além de comida, roupa e moradia, do que mais uma pessoa realmente precisa?