Pular para conteúdo

Pular para sumário

Uma incrível cooperação no solo

Uma incrível cooperação no solo

 Teve um Projeto?

Uma incrível cooperação no solo

▪ No solo, uma incrível cooperação entre certas plantas e bactérias ajuda a tornar a vida possível.

Analise o seguinte: O nitrogênio é essencial para o crescimento e a reprodução das plantas. Contudo, antes que a vegetação possa usar esse gás, ele precisa ser fixado, ou convertido, em compostos como a amônia. As leguminosas resolvem esse problema por trabalharem em estreita parceria com bactérias chamadas rizóbio. Essa interação mutuamente benéfica entre organismos diferentes chama-se simbiose.

Por meio de uma substância química especial, as leguminosas atraem essas bactérias para suas raízes, abrigando-as ali. Embora a bactéria e a planta pertençam a dois reinos diferentes, diz a revista Natural History, elas trabalham juntas “para construir o que é basicamente um novo órgão: um nódulo na raiz da planta que possui um sistema de fixação de nitrogênio plenamente operacional”. As bactérias começam o trabalho dentro do nódulo, que é sua nova casa e oficina. Sua principal ferramenta é uma enzima especial, um tipo de proteína chamada nitrogenase, usada para fixar o nitrogênio capturado de bolsas de ar no solo.

“Todo o estoque de nitrogenase de nosso planeta . . . caberia em um único balde grande”, diz a revista Natural History. Desse modo, cada molécula é importante. Mas existe um problema. O oxigênio faz essa enzima perder a eficácia. Qual é a solução? As leguminosas produzem uma substância especial que remove o oxigênio potencialmente perigoso.

Uma membrana ao redor do nódulo controla a troca de amônia, açúcares e outros nutrientes entre a bactéria e a planta. Como todas as plantas, as leguminosas por fim morrem. Quando isso acontece, a amônia permanece no solo. Por causa disso, as leguminosas são apropriadamente chamadas de “adubo verde”.

O que você acha? Será que as bactérias e suas parceiras leguminosas “inventaram” esse sistema surpreendente e incrivelmente complexo que sustenta a vida? Ou essa é mais uma evidência de um projeto?

[Foto na página 25]

Um nódulo na raiz

[Créditos das fotos na página 25]

Fundo: © Wally Eberhart/Visuals Unlimited; destaque: © Dr. Jack M. Bostrack/Visuals Unlimited