Pular para conteúdo

Pular para sumário

 Motivos para confiar na Bíblia

1. Exatidão histórica

1. Exatidão histórica

Seria difícil confiar num livro no qual se descobrisse informações incorretas. O que você acharia de um livro moderno de história que afirmasse que a Segunda Guerra Mundial ocorreu nos anos 1800 ou que chamasse o presidente dos Estados Unidos de rei? Em vista dessas informações incorretas, confiaria em outros aspectos desse livro?

NINGUÉM nunca foi bem-sucedido em desafiar a exatidão histórica da Bíblia. Ela faz referência a pessoas reais e a acontecimentos reais.

Pessoas.

Os críticos da Bíblia questionavam a existência de Pôncio Pilatos, o governador romano da Judéia que entregou Jesus para ser pregado numa estaca. (Mateus 27:1-26) A evidência de que houve um governador da Judéia chamado Pilatos está gravada numa pedra descoberta em 1961, na cidade portuária de Cesaréia, no Mediterrâneo.

Antes de 1993, não havia evidência histórica fora da Bíblia de que Davi, o jovem e corajoso pastor que depois se tornou rei de Israel, realmente existiu. Mas, nesse ano, os arqueólogos descobriram no norte de Israel uma pedra de basalto , datada do nono século AEC, que, segundo peritos, contém as expressões “Casa de Davi” e “rei de Israel”.

Acontecimentos.

Até pouco tempo atrás, muitos eruditos duvidavam da exatidão do relato bíblico que fala da batalha entre a nação de Edom e Israel nos dias de Davi. (2 Samuel 8:13, 14) Eles afirmavam que na época Edom era uma sociedade simples e pastoril, que só teve a organização e o poder necessários para constituir ameaça a Israel muito tempo mais tarde. No entanto, escavações recentes indicam que “Edom era uma sociedade complexa séculos antes [do que se costumava pensar], conforme revela a Bíblia”, declara um artigo na revista Biblical Archaeology Review.

Títulos corretos.

Muitos governantes surgiram no cenário mundial durante os 16 séculos em que a Bíblia estava sendo escrita. Quando menciona um governante, ela sempre usa o título correto. Por exemplo, ela se refere corretamente a Herodes Ântipas como “governante distrital” e a Gálio como “procônsul”. (Lucas 3:1; Atos 18:12) Esdras 5:6 faz referência a Tatenai, governador da província persa “além do Rio” — o rio Eufrates. Uma moeda cunhada no quarto século AEC contém uma descrição parecida, que identifica o governador persa Mazaeus como governante da província “Além do Rio”.

A exatidão em detalhes aparentemente insignificantes não é uma questão de menor importância. Se podemos confiar nos escritores bíblicos mesmo nos mínimos detalhes, não deveria isso aumentar nossa confiança nas outras coisas que eles escreveram?