Pular para conteúdo

Pular para sumário

De Nossos Leitores

De Nossos Leitores

 De Nossos Leitores

Dia do casamento. Gostei muitíssimo da série de capa “Faça do dia do casamento um começo feliz” (8 de fevereiro de 2002). Como ainda sou jovem, estou me preparando emocionalmente para o importante passo do casamento. Os artigos me ajudaram a ver que é possível fazer preparativos sem o estresse que é comum a muitos casais jovens e também como manter a união feliz. Por favor, continuem a dar atenção aos que procuram colocar em prática o que Jeová requer daqueles que o servem.

F. C., Itália

Sempre fico impressionada de ver como Jeová fornece a orientação necessária no momento que mais preciso. A Despertai! de 8 de fevereiro de 2002 não é exceção. Nos últimos meses eu e meu noivo temos feito preparativos para o dia do casamento e já estávamos começando a ficar estressados. Os artigos iniciais nos lembraram de que essa é, na realidade, uma fase maravilhosa e que a ansiedade só causa aflição.

H. M., Austrália

A página 10 da série de capa dá a entender que é aceitável o marido se separar da esposa caso ele ache que tem base para a separação. Eu e minha esposa não encontramos nada na Bíblia que apóie essa interpretação. Na verdade, a Bíblia parece mostrar justamente o contrário — a esposa pode se separar, mas o marido não. Gênesis 2:24 diz que o marido “tem de se apegar à sua esposa”. E 1 Coríntios 7:11 diz: “Se ela realmente se afastar”, e o mesmo versículo conclui, dizendo: “O marido não deve deixar a sua esposa.”

K. L., Austrália

“Despertai!” responde: Gênesis 2:24 deve ser considerado dentro de seu contexto. A ordem divina registrada nessa passagem não é uma orientação referente a uma possível separação. A carta de Paulo aos coríntios não deixa dúvida de que Jeová preza o casamento e que o casal deve fazer todo o esforço para preservá-lo. Evidentemente, não era intenção de Paulo estabelecer dois padrões: um para a esposa e outro para o marido. Os versículos 10 e 11 incentivam tanto o marido como a esposa a, se de todo possível, não se separar do cônjuge. Isso mostra que é razoável concluir que o princípio que se aplica à esposa vale também para o marido.

Estou casada há mais de um ano e achei um tanto difícil lidar com o primeiro ano de casamento. Depois que os artigos chegaram, nossa vida melhorou muito. Estou me esforçando ainda mais a aplicar o conselho de Jesus em Mateus 18:21, 22, de ‘perdoar setenta e sete vezes’, e meu esposo se tornou mais cooperador nos afazeres domésticos, tomando assim a iniciativa de me dar honra. Muito obrigada pelos artigos.

L. C. R., Brasil

Kea. Pouco tempo depois que meu marido me abandonou, recebi a Despertai! de 8 de fevereiro de 2002. A capa com “dia do casamento” no título me deixou muito triste. Pensei: ‘Por que não conseguimos ser felizes como o casal que aparece na capa?’ Mas, quando li o artigo sobre o kea na mesma revista, dei gargalhadas. Não sabia que existia uma ave tão divertida! Meu coração ficou mais leve. Era como se Jeová estivesse me animando e dizendo: “Aprecie a vida!” Muito obrigada.

M. Y., Japão