Pular para conteúdo

Pular para sumário

 LIÇÕES DO PASSADO

Ignaz Semmelweis

Ignaz Semmelweis

IGNAZ SEMMELWEIS talvez não seja um nome conhecido por todo mundo. Mas suas descobertas ajudam pessoas no mundo inteiro. Ele nasceu em Buda (atualmente Budapeste), na Hungria. Ignaz se formou em medicina em 1844 pela Universidade de Viena. Dois anos depois, ele começou a trabalhar como assistente de um professor na Primeira Maternidade do Hospital Geral de Viena. Ele ficou chocado com o que acontecia ali. De cada 100 mulheres que davam à luz, mais de 13 morriam de uma doença chamada febre puerperal, ou febre do pós-parto.

Havia muitas teorias a respeito da causa da doença, mas ninguém conseguia descobrir o mistério. Eles tentavam de tudo para diminuir o número de mortes, só que nada funcionava. Ver tantas mães sofrendo e morrendo lentamente incomodava Ignaz. Por isso, ele decidiu descobrir a causa da doença e como preveni-la.

O hospital em que Ignaz trabalhava tinha duas maternidades. Por alguma razão misteriosa, o número de mães que morriam na primeira maternidade era muito maior do que na segunda. Havia apenas uma diferença entre as maternidades. Na primeira, trabalhavam os que estudavam medicina. Na segunda, trabalhavam os que faziam um curso só para realizar partos. Mas por que o número de mortes em cada maternidade era tão diferente? Ignaz pesquisou as possíveis causas da doença, mas não encontrou uma resposta. O mistério continuava.

No início de 1847, um amigo e colega de trabalho de Ignaz, chamado Jakob Kolletschka, morreu por causa de uma infecção generalizada. Ele se machucou enquanto examinava um cadáver e foi contaminado. Ignaz leu o relatório da causa da morte do seu amigo. Alguns dos resultados eram idênticos aos das mulheres que morriam de febre do pós-parto. Assim, Ignaz percebeu que talvez fosse algum tipo de contaminação que vinha dos  cadáveres que causava aquela doença. Os médicos e estudantes de medicina muitas vezes mexiam com cadáveres antes de examinar as mulheres grávidas ou de auxiliar as que estavam em trabalho de parto. Sem saber, eles estavam transmitindo a doença àquelas mulheres. O número de mães que morria na segunda maternidade era menor porque os alunos do curso de partos não mexiam com cadáveres.

Ignaz imediatamente deu instruções a todos. Médicos e estudantes deviam lavar as mãos com uma solução de hipoclorito de cálcio antes de examinar as mulheres grávidas. Os resultados foram incríveis. O número de mortes caiu muito. Em abril, de cada 100 mulheres que davam à luz, umas 18 morriam. No fim do ano, esse número caiu para menos de 1.

“Criei esses procedimentos para eliminar o terror das maternidades, para manter a esposa viva para o marido e a mãe para o filho.” — Ignaz Semmelweis

Mas a reação de alguns de seus colegas não foi boa. Por exemplo, seu chefe tinha ideias diferentes sobre a doença e achava Ignaz muito insistente. Ignaz acabou perdendo o emprego em Viena. Ele voltou para a Hungria e se tornou o chefe da maternidade do Hospital São Roque, na cidade de Peste. Seus métodos reduziram o número de mortes por febre do pós-parto naquele hospital para menos de 1 por cento.

Em 1861, Ignaz publicou o resultado do seu trabalho no livro Etiologia, Conceito e Profilaxia da Febre Puerperal. * Foi uma pena que demorou alguns anos para outros reconhecerem a importância das suas descobertas. Infelizmente, durante esses anos muitas pessoas morreram dessa doença sem necessidade.

Ignaz Semmelweis fazia com que as pessoas que trabalhavam em hospitais sob sua supervisão seguissem normas de higiene. — Pintura de Robert Thom

Hoje, Ignaz é reconhecido como um dos inventores das técnicas para evitar infecções. Suas pesquisas ajudaram a provar que micróbios podem causar doenças. Ele ajudou a desenvolver a Teoria dos Germes, considerada a descoberta mais importante da medicina. O interessante é que mais de 3 mil anos antes de Ignaz, a Bíblia já dava orientações corretas sobre como lidar com cadáveres.

^ parágrafo 9 Título em inglês: The Cause, Concept, and Prophylaxis of Childbed Fever.