Pular para conteúdo

Pular para sumário

“Ficamos emocionados ao ver o amor deles”

“Ficamos emocionados ao ver o amor deles”

NO SÁBADO, 25 de abril de 2015, um terremoto de magnitude 7,8 atingiu o Nepal, um país montanhoso que fica ao norte da Índia. O terremoto ocorreu a uns 80 quilômetros a noroeste da capital, Katmandu. Infelizmente, mais de 8.500 pessoas morreram, fazendo desse o desastre natural que mais matou pessoas na história do país. Mais de 500 mil casas foram destruídas. Existem 2.200 Testemunhas de Jeová no Nepal, e a maioria delas morava na área atingida. Infelizmente, uma Testemunha de Jeová e seus dois filhos morreram.

Michelle, que é Testemunha de Jeová, disse: “O terremoto aconteceu bem na hora que as congregações da região estavam tendo reunião. Se todos estivessem em casa na hora do terremoto, o número de vítimas teria sido bem maior.” Por que os que estavam no Salão do Reino saíram ilesos? A forma como os Salões foram projetados fez toda a diferença.

“AGORA NÓS VEMOS AS VANTAGENS!”

Os modernos Salões do Reino no Nepal são projetados para resistir a terremotos. Man Bahadur, que participa da construção dos Salões, disse: “As pessoas sempre perguntavam por que a gente fazia fundações tão sólidas pra prédios relativamente pequenos. Agora nós vemos as vantagens disso!” Depois do terremoto, os Salões do Reino foram aprovados para servirem de abrigo. Apesar dos tremores que aconteceram depois, as Testemunhas de Jeová e seus vizinhos se sentiram seguros dentro dos Salões.

Testemunhas de Jeová e outros ficaram abrigados em Salões do Reino

Os anciãos logo começaram a procurar os irmãos que estavam desaparecidos. Uma Testemunha de Jeová chamada Babita disse: “Os anciãos colocaram o bem-estar da congregação acima do bem-estar deles. Ficamos emocionados ao ver o amor deles por nós.” No dia seguinte ao terremoto, os três membros da comissão que supervisiona as atividades das Testemunhas de Jeová no Nepal, junto com irmãos viajantes (superintendentes de circuito), começaram a visitar as congregações. Eles fizeram isso pra ver o que os irmãos estavam precisando e pra ajudar os anciãos da região.

Gary Breaux, da sede mundial das Testemunhas de Jeová, visitando as vítimas

Seis dias depois do terremoto, Gary Breaux, da sede mundial das Testemunhas de Jeová nos Estados Unidos, foi até o Nepal com sua esposa, Ruby. Um membro da comissão mencionada antes, chamado Reuben, disse: “Por causa de toda a confusão em Katmandu e dos tremores que aconteceram depois, a gente nem tinha certeza se o irmão Gary ia conseguir chegar. Mas ele estava determinado a vir — e conseguiu! As Testemunhas de Jeová da região ficaram muito felizes com a visita dele.”

“NOS SENTIMOS MAIS PRÓXIMOS DO QUE NUNCA”

Silas, que trabalha no escritório das Testemunhas de Jeová no Nepal, disse: “Assim que os telefones voltaram a funcionar, eles não pararam de tocar! Testemunhas de Jeová do mundo todo estavam preocupadas com a gente. Embora alguns falassem idiomas que a gente não entendia, conseguimos sentir o amor e a vontade deles de nos ajudar.”

Uma equipe médica formada por Testemunhas de Jeová da Europa ajudando as vítimas

 Depois do terremoto, por vários dias Testemunhas de Jeová da região levaram alimentos até o Salão do Reino para distribuir aos que precisavam. Uma Comissão de Ajuda Humanitária também foi formada, e logo os suprimentos começaram a chegar, principalmente de Bangladesh, da Índia e do Japão. Poucos dias depois, médicos que são Testemunhas de Jeová chegaram da Europa e organizaram, num Salão do Reino, um lugar para atender as vítimas. Eles rapidamente começaram a trabalhar, não só cuidando da saúde física das vítimas, mas também de qualquer trauma emocional que elas tivessem.

Expressando o que muitos sentiram, uma mulher chamada Uttara disse: “O terremoto foi horrível e muito assustador. Mas depois nos sentimos mais próximos do que nunca da nossa família espiritual.” A verdade é que o terremoto não diminuiu o amor que as Testemunhas de Jeová sentem umas pelas outras. Pelo contrário, o amor entre elas cresceu ainda mais.