Pular para conteúdo

Pular para sumário

 A BÍBLIA MUDA A VIDA DAS PESSOAS

Depois de muitas tentativas, finalmente consegui

Depois de muitas tentativas, finalmente consegui
  • ANO DE NASCIMENTO: 1953

  • PAÍS DE ORIGEM: AUSTRÁLIA

  • HISTÓRICO: VICIADO EM PORNOGRAFIA

MEU PASSADO:

Em 1949, meu pai se mudou da Alemanha para a Austrália para procurar trabalho nas minas e nas indústrias de geração de energia. Ele foi morar na zona rural do estado de Victoria, onde se casou com minha mãe. Em 1953, eu nasci.

Pouco depois, minha mãe começou a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová. Assim, eu me lembro de ouvir as histórias da Bíblia desde que era bem pequeno. Mas meu pai não aceitava nenhum tipo de religião. Ele se tornou uma pessoa muito agressiva e violenta, e minha mãe morria de medo dele. Mas ela continuou estudando a Bíblia escondido, e ela amava o que aprendia. Quando meu pai não estava em casa, ela ensinava a Bíblia para mim e para minha irmã. Ela falava que a Terra ia se transformar num Paraíso e que a gente seria feliz se seguisse o que a Bíblia diz. — Salmo 37:10, 29; Isaías 48:17.

Quando eu tinha 18 anos, tive que sair de casa por causa da violência do meu pai. Eu acreditava nas coisas que minha mãe tinha me ensinado sobre a Bíblia. Mas não dava o devido valor a elas. Por isso, não consegui fazer o que é certo. Arrumei emprego como eletricista em minas de carvão. Com 20 anos, eu me casei, e três anos depois minha primeira filha nasceu. Na ocasião, pensei melhor no que era mais importante na minha vida. Eu sabia que a Bíblia poderia ser de ajuda para a minha família, então comecei a estudar com as Testemunhas de Jeová. Minha esposa não gostou nada disso. Depois que fui pela primeira vez a uma reunião, ela disse que eu tinha que tomar uma decisão: o estudo ou a família. Senti que não tinha opção. Acabei cortando contato com as Testemunhas de Jeová. Mais tarde, me arrependi de não ter continuado o estudo, já que eu sabia que essa era a coisa certa a fazer.

Um dia no trabalho, meus colegas me mostraram imagens pornográficas. Ao mesmo tempo que eu sentia vontade de ver aquelas imagens, elas me davam nojo. Eu me sentia muito culpado. Pelo que me lembrava do que a Bíblia ensina, eu tinha certeza de que seria castigado por Deus. Mas, quanto mais eu via aquelas  imagens, mais sentia vontade de olhar e menos culpado me sentia. Com o tempo, fiquei viciado em pornografia.

Nos próximos 20 anos, me afastei cada vez mais do que minha mãe tinha me ensinado. As coisas que eu colocava na minha mente começaram a afetar meu comportamento. Comecei a falar coisas indecentes e a contar piadas sujas. Passei a ter uma visão distorcida do sexo. Eu ainda era casado, mas traía minha esposa com outras mulheres. Um dia me olhei no espelho e pensei: ‘Eu odeio você.’ O respeito que eu tinha por mim mesmo deu lugar a um sentimento de desprezo.

Meu casamento acabou, e minha vida estava destruída. Foi então que eu abri meu coração a Jeová em oração. Depois de duas décadas, comecei a estudar a Bíblia de novo. Meu pai já tinha morrido e minha mãe era Testemunha de Jeová batizada.

COMO A BÍBLIA MUDOU MINHA VIDA:

Havia um grande abismo entre a vida que eu levava e os altos padrões da Bíblia. Mas dessa vez eu estava decidido a conseguir a paz mental que a Bíblia promete. Comecei a me esforçar para não usar linguagem suja e para controlar meu temperamento agressivo. Também decidi abandonar a imoralidade, parar de jogar, de me embriagar e de roubar do meu patrão.

Meus colegas de trabalho não entendiam por que eu queria fazer mudanças tão grandes. Por três anos, eles ficavam pegando no meu pé para eu voltar ao que era. Às vezes eu tinha uma recaída; por exemplo, explodia de raiva ou falava um palavrão. Quando isso acontecia, eles diziam com ar de satisfação: “Ah, esse é o Joe que a gente conhece!” Isso me magoava muito. Eu me sentia um fracasso.

No meu trabalho, eu não conseguia fugir da pornografia. Ela estava em toda a parte, em forma eletrônica e impressa. Meus colegas distribuíam imagens imorais pelo computador, coisa que eu também fazia antes. Eu estava me esforçando para me livrar do vício, mas parecia que eles faziam de tudo para me atrapalhar. Pedi ajuda ao meu instrutor da Bíblia. Ele me ouvia com paciência quando eu me abria com ele. Usando a Bíblia, ele me mostrou como eu podia vencer o vício. Também me incentivou a procurar a ajuda de Jeová e a orar constantemente. — Salmo 119:37.

Um dia eu fiz uma reunião com o pessoal do trabalho. Quando todo mundo estava reunido, eu falei para eles darem uma cerveja a dois colegas alcoólatras que estavam tentando parar de beber. O pessoal ficou indignado e gritou: “Você está louco? Eles estão lutando contra o vício!” Daí, eu respondi: “Eu também.” Depois disso, eles entenderam a minha luta contra a pornografia e nunca mais me pressionaram a ser como antes.

Com o tempo, e com muita ajuda de Jeová, consegui vencer minha luta contra a pornografia. Eu me batizei em 1999 e me senti grato por Jeová ter me dado outra chance de ter uma vida feliz e decente.

Agora consigo ver por que Jeová odeia aquelas coisas que eu gostava tanto. Ele é um Pai amoroso e queria me proteger dos problemas que a pornografia causa. A gente tem que confiar nas palavras de Provérbios 3:5, 6, que diz: “Confie em Jeová de todo o seu coração; não confie no seu próprio entendimento. Lembre-se dele em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.” Viver como a Bíblia ensina, além de ser uma proteção para mim, me ajuda a ter uma vida feliz. — Salmo 1:1-3.

COMO FUI BENEFICIADO:

Antes, eu tinha nojo de mim mesmo. Agora me sinto em paz e tenho respeito próprio. Levo uma vida limpa e consigo sentir o perdão e o apoio de Jeová. Em 2000, me casei com Karolin, uma linda irmã que também ama a Jeová. Nossa casa é um porto seguro. Para nós, é um privilégio fazer parte de uma família mundial de pessoas amorosas, que levam uma vida limpa.