Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO VINTE E UM

Ele lutou contra o medo e a dúvida

Ele lutou contra o medo e a dúvida

1-3. O que Pedro viu durante um dia cheio de acontecimentos, e o que ocorreu naquela noite?

PEDRO remava com muito esforço e tentava ver através da escuridão da noite. Ele viu algo no horizonte que parecia um brilho fraco. Seria um sinal de que finalmente ia amanhecer? Os músculos de suas costas e ombros ardiam após tantas horas remando. O vento que despenteava seu cabelo agitava violentamente o mar da Galileia. Onda após onda rebentava contra a proa do barco de pesca, encharcando Pedro com a água fria. Ele continuou remando.

2 Pedro e seus companheiros tinham partido, e Jesus havia ficado sozinho na costa. Naquele dia, eles tinham visto Jesus alimentar milhares de pessoas famintas com apenas alguns pães e peixes. A reação do povo foi tentar fazer de Jesus rei, mas ele não queria ter nada a ver com a política. Também estava determinado a ajudar seus seguidores a não desenvolver esse tipo de ambição. Esquivando-se da multidão, Jesus convenceu seus discípulos a entrar no barco e a ir para o outro lado do lago, enquanto ele subiu a montanha sozinho para orar. — Mar. 6:35-45; leia João 6:14-17.

3 A Lua, quase cheia, estava bem acima no céu quando os discípulos partiram; agora mergulhava lentamente em direção ao horizonte. Mas eles só tinham conseguido navegar alguns quilômetros. Por causa do cansaço e do barulho constante do vento e das ondas, era difícil conversar. É provável que Pedro estivesse pensativo.

Em dois anos, Pedro havia aprendido bastante com Jesus, mas ele ainda tinha muito a aprender

4. O que faz com que Pedro seja um exemplo notável para imitarmos?

4 Havia tanto em que pensar! Pedro tinha conhecido Jesus de  Nazaré mais de dois anos antes. Ele havia aprendido bastante, mas ainda tinha muito a aprender. Sua vontade de lutar contra obstáculos como a dúvida e o medo fazem dele um exemplo notável para imitarmos. Vejamos por quê.

“Achamos o Messias”!

5, 6. Como era a vida de Pedro?

5 Pedro jamais esqueceria o dia em que conheceu Jesus. Seu irmão, André, lhe trouxe a notícia surpreendente: “Achamos o Messias”! Com essas palavras, a vida de Pedro começou a mudar. Ela nunca mais seria a mesma. — João 1:41.

6 Pedro morava em Cafarnaum, uma cidade ao norte de um lago de água doce chamado mar da Galileia. Ele e André eram sócios de Tiago e João, filhos de Zebedeu, no ramo da pesca. Pedro morava com sua esposa, sua sogra e seu irmão, André. Sustentar uma família assim com a pesca com certeza exigia trabalho árduo, energia e criatividade. Podemos imaginar as incontáveis e longas noites de trabalho pesado — os homens lançando as redes de arrasto entre dois barcos e recolhendo todos os peixes que conseguissem pegar. Também podemos imaginar as árduas horas de trabalho de dia, separando e vendendo os peixes, consertando e limpando as redes.

7. Que notícia Pedro ouviu sobre Jesus, e por que isso era emocionante?

7 A Bíblia diz que André era discípulo de João Batista. Pedro com certeza escutava com vivo interesse as coisas que seu irmão lhe contava sobre a mensagem de João. Um dia, André viu João apontar para Jesus de Nazaré e dizer: “Eis o Cordeiro de Deus!” André logo se tornou seguidor de Jesus e prontamente levou esta notícia emocionante a Pedro: o Messias tinha chegado! (João 1:35-41) Após a rebelião no Éden, uns quatro mil anos antes, Jeová Deus prometeu que alguém especial viria para dar uma esperança verdadeira à humanidade. (Gên. 3:15) André tinha conhecido esse Resgatador, o próprio Messias! Pedro também se apressou para ir conhecer Jesus.

8. Qual o significado do nome que Jesus deu a Pedro, e por que alguns ainda questionam a escolha desse nome?

8 Até aquele dia, Pedro era conhecido pelo nome de Simão, ou Simeão. Mas Jesus olhou para ele e disse: “‘Tu és Simão, filho de João; serás chamado Cefas’ (que, traduzido, é Pedro).” (João 1:42) “Cefas” é uma palavra que significa “pedra”, ou “rocha”. Essas palavras de Jesus com certeza eram proféticas. Ele previu que Pedro seria como uma rocha — uma influência estável, firme e confiável entre os seguidores de Cristo. Será que Pedro se via dessa maneira?  Dificilmente. Até mesmo alguns leitores dos Evangelhos hoje não acham que Pedro se pareça com uma rocha. Com base no relato bíblico, alguns dizem que ele parecia ser instável, inconstante e indeciso.

9. O que Jeová e seu Filho procuram em nós, e por que você acha que devemos confiar no ponto de vista deles?

9 É verdade que Pedro tinha suas falhas, e Jesus as conhecia. Mas, assim como seu Pai, Jeová, ele sempre procura o que é bom nas pessoas. Jesus via muito potencial em Pedro e o ajudou a progredir com base em suas boas qualidades. Hoje, Jeová e seu Filho também procuram o que é bom em nós. Talvez seja difícil acreditar que haja muita coisa boa em nós para eles verem. No entanto, precisamos confiar no ponto de vista deles e estar dispostos a ser treinados e moldados, assim como Pedro. — Leia 1 João 3:19, 20.

“Para de estar com medo”

10. O que Pedro talvez tenha presenciado, mas para o que ele voltou?

10 É provável que Pedro tenha acompanhado Jesus por um tempo na viagem de pregação que se seguiu. Por isso, talvez tenha visto Jesus realizar seu primeiro milagre: transformar água em vinho numa festa de casamento em Caná. Mais importante, ele ouviu a mensagem maravilhosa e cheia de esperança de Jesus a respeito do Reino de Deus. Apesar disso, mesmo não querendo, deixou Jesus e voltou para sua atividade de pesca. Alguns meses depois, porém, Pedro se encontrou de novo com Jesus, e dessa vez Jesus o convidou para ser seu seguidor por tempo integral, como modo de vida.

11, 12. (a) Como foi a noite de trabalho de Pedro? (b) Ao ouvir Jesus, que perguntas talvez tenham passado pela mente de Pedro?

11 Pedro havia tido uma péssima noite de trabalho. Os pescadores haviam baixado suas redes vez após vez, mas elas sempre voltavam vazias. Com certeza, Pedro usou toda a sua experiência e habilidade nessa situação, tentando vários pontos do lago para encontrar o lugar onde os peixes se alimentavam. Sem dúvida, havia momentos em que ele, assim como muitos outros pescadores, desejavam poder ver através das águas turvas e achar os cardumes de peixe ou de alguma forma fazê-los entrar nas redes. É claro que pensamentos assim só poderiam deixá-lo mais frustrado. Para Pedro, a pesca não era uma diversão. Havia pessoas que dependiam dele. Por fim, ele voltou para a costa de mãos vazias. Mesmo assim, era preciso limpar as redes. Então, quando Jesus se aproximou, ele estava bem ocupado.

Pedro nunca se cansava de ouvir Jesus falar sobre o tema principal de sua pregação — o Reino de Deus

12 Uma multidão começou a cercar Jesus, atenta a cada palavra dele. Com falta de espaço, Jesus entrou no barco de Pedro e  pediu-lhe que se afastassem um pouco da margem. A multidão podia ouvir claramente a voz de Jesus ressoando sobre a água, e ele começou a ensinar. Pedro escutou com muita atenção, assim como aqueles que estavam na margem. Ele nunca se cansava de ouvir Jesus falar sobre o tema principal de sua pregação — o Reino de Deus. Que privilégio seria ajudar o Cristo a divulgar essa mensagem de esperança por toda aquela região! Mas será que ele teria condições de fazer isso? Como sustentaria sua família? Talvez Pedro tenha pensado de novo na longa e frustrante noite anterior. — Luc. 5:1-3.

13, 14. Que milagre Jesus realizou em benefício de Pedro, e como Pedro reagiu?

13 Quando Jesus terminou de falar, disse a Pedro: “Rema para onde é fundo, e abaixai as vossas redes para uma pesca.” Pedro estava cheio de dúvidas. Ele disse: “Preceptor, labutamos toda a noite e não apanhamos nada, mas, ao teu pedido, abaixarei as redes.” Pedro tinha acabado de lavar as redes. Com certeza, a última coisa que ele queria fazer era baixá-las outra vez — ainda mais agora que os peixes nem estariam se alimentando! Mesmo assim, ele atendeu ao pedido de Jesus, provavelmente acenando para que seus sócios no outro barco os seguissem. — Luc. 5:4, 5.

14 Pedro sentiu um peso inesperado quando começou a recolher as redes. Sem acreditar no que estava acontecendo, puxou as redes com mais força e logo viu uma grande quantidade de peixes se debatendo. Desesperado, acenou para que os homens no outro barco ajudassem. Ao chegar, eles perceberam que todos aqueles peixes não caberiam em um só barco, por isso encheram as duas embarcações. Mas os peixes eram tantos que os barcos começaram a afundar com o peso. Pedro ficou completamente abismado. Ele já tinha visto o poder de Cristo em ação, mas esse milagre teve um significado especial para ele. Ali estava um homem que era capaz até de fazer os peixes entrar nas redes! O medo tomou conta de Pedro. Caindo de joelhos, ele disse: “Afasta-te de mim, porque sou homem pecaminoso, Senhor.” Pedro não se considerava digno de acompanhar Aquele que usava o próprio poder de Deus daquela maneira. — Leia Lucas 5:6-9.

“Sou homem pecaminoso, Senhor”

15. Como Jesus ensinou a Pedro que suas dúvidas e seu medo eram infundados?

15 Jesus disse bondosamente: “Para de estar com medo.  Doravante apanharás vivos a homens.” (Luc. 5:10, 11) Não era o momento para dúvida ou medo. As dúvidas de Pedro sobre como se sustentar eram infundadas; seu medo sobre suas falhas e incapacidades também não tinham base. Jesus tinha um grande trabalho a fazer, um ministério que mudaria a História. Ele servia a um Deus que ‘perdoa amplamente’. (Isa. 55:7) Jeová cuidaria das necessidades físicas e espirituais de Pedro. — Mat. 6:33.

16. Como Pedro, Tiago e João reagiram ao convite de Jesus, e por que essa foi a melhor decisão que podiam ter tomado?

16 Pedro reagiu prontamente, assim como Tiago e João. ‘Trouxeram os barcos de volta à terra, abandonaram tudo e o seguiram.’ (Luc. 5:11) Pedro depositou fé em Jesus e Naquele que o enviou. Foi a melhor decisão que podia ter tomado. Os cristãos que hoje  vencem suas dúvidas e seu medo para se empenhar no serviço a Deus também estão demonstrando fé. Essa confiança em Jeová nunca os desapontará. — Sal. 22:4, 5.

“Por que cedeste à dúvida?”

17. Que lembranças Pedro tinha dos seus dois anos de convivência com Jesus?

17 Haviam se passado cerca de dois anos desde que Pedro conheceu Jesus. Agora ele estava remando no mar da Galileia durante aquela noite tempestuosa, conforme mencionado no início deste capítulo. Não podemos saber o que ele estava pensando; havia muita coisa para se lembrar. Ele viu Jesus curar sua sogra, proferir o Sermão do Monte e, vez após vez, por meio de seus ensinamentos e obras poderosas, demonstrar que era o Escolhido de Jeová, o Messias. Com o passar dos meses, as falhas de Pedro, como sua tendência de ceder ao medo e à dúvida, com certeza tinham se tornado menos frequentes. Pedro até tinha sido escolhido por Jesus para ser um dos 12 apóstolos. Mesmo assim, Pedro ainda não tinha vencido o medo e a dúvida, como ele logo veria.

18, 19. (a) Descreva o que Pedro viu no mar da Galileia. (b) Como Jesus atendeu ao pedido de Pedro?

18 Durante a quarta vigília da noite, entre as 3 horas da manhã e o nascer do sol, Pedro parou de remar e se endireitou de repente. Ao longe, sobre as águas, algo estava se movendo! Seria o movimento da espuma das ondas refletindo a luz da lua? Não, era algo mais estável, que parecia estar de pé. Era um homem! Sim, um homem, e ele estava andando sobre as águas! À medida que se aproximava, parecia que ele ia simplesmente passar por eles. Apavorados, os discípulos pensaram que era uma aparição. O homem disse: “Coragem! Sou eu; não temais.” Era Jesus! — Mat. 14:25-28.

19 Pedro disse: “Senhor, se és tu, ordena-me ir ter contigo por cima das águas.” Seu primeiro impulso foi de coragem. Emocionado com esse milagre fantástico, Pedro quis fortalecer ainda mais a sua fé. Ele queria fazer o mesmo que Jesus. Bondosamente, Jesus o chamou. Pedro desceu do barco e colocou os pés sobre as águas agitadas. Imagine a sensação dele ao encontrar uma superfície sólida e ficar em pé sobre as águas. Com certeza, ele ficou maravilhado enquanto andava na direção de Jesus. No entanto, outro impulso logo tomou conta dele. — Leia Mateus 14:29.

“Olhando para a ventania, ficou com medo”

20. (a) Como Pedro perdeu o foco, e qual foi o resultado? (b) Que lição Jesus ensinou a Pedro?

20 Pedro precisava manter o foco em Jesus. Afinal, era Jesus, com o poder de Jeová, que estava mantendo Pedro sobre as ondas agitadas pelo vento. E ele estava fazendo isso por causa da fé que  Pedro tinha nele. Mas Pedro se desconcentrou. O relato diz: “Olhando para a ventania, ficou com medo.” Ao olhar para as ondas que batiam contra o barco e espalhavam espuma, ele entrou em pânico. Provavelmente se imaginou afundando no lago, se afogando ali. À medida que o medo aumentava, sua fé diminuía. O homem que tinha recebido o nome de Rocha, por causa de seu potencial para se manter firme, começou a afundar como uma pedra, por causa de sua fé instável como as ondas. Pedro nadava bem, mas nesse momento não confiou nessa habilidade. Ele gritou: “Senhor, salva-me!” Jesus pegou sua mão e o puxou. Então, ainda sobre as águas, ensinou uma importante lição a Pedro: “Ó tu, de pouca fé, por que cedeste à dúvida?” — Mat. 14:30, 31.

21. Por que a dúvida é perigosa, e como podemos resistir a ela?

21 “Cedeste à dúvida” — que frase apropriada! A dúvida é uma poderosa força destrutiva. Se cedermos a ela, nossa fé poderá se deteriorar e fazer com que afundemos espiritualmente. Precisamos resistir a isso com determinação. Como? Por manter o foco no lugar certo. Se nos concentrarmos em coisas que nos amedrontam, desanimam e desviam nossa atenção de Jeová e de seu Filho, nossas dúvidas aumentarão. Se nos concentrarmos em Jeová e em seu Filho, no que eles já fizeram, estão fazendo e ainda farão por aqueles que os amam, não deixaremos que dúvidas destruam nossa fé.

22. Por que vale a pena imitar a fé de Pedro?

22 A tempestade acalmou à medida que Pedro seguia Jesus de volta para o barco. A calmaria voltou ao mar da Galileia. Pedro e os outros discípulos reconheceram: “Tu és realmente o Filho de Deus.” (Mat. 14:33) Começou a amanhecer e Pedro devia estar sentindo uma grande alegria. Naquela noite ele tinha vencido a dúvida e o medo. É verdade que ainda havia um longo caminho para Pedro percorrer até se tornar o cristão igual a uma rocha, como Jesus tinha dito. Mas ele estava determinado a não desistir, a continuar crescendo. Você também está determinado a fazer isso? Nesse caso, verá que vale a pena imitar a fé de Pedro.