Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 110

Jesus vai ao templo pela última vez

Jesus vai ao templo pela última vez

MATEUS 23:25–24:2 MARCOS 12:41–13:2 LUCAS 21:1-6

  • JESUS CONTINUA A CONDENAR OS LÍDERES RELIGIOSOS

  • O TEMPLO DE JERUSALÉM SERÁ DESTRUÍDO

  • UMA VIÚVA POBRE DÁ DUAS PEQUENAS MOEDAS

Esta é a última vez que Jesus vai ao templo, e ele continua a expor a hipocrisia dos escribas e dos fariseus, chamando-os publicamente de hipócritas. Usando linguagem figurada, ele diz: “[Vocês] limpam por fora o copo e o prato, mas por dentro eles estão cheios de ganância e de imoderação. Fariseu cego, limpe primeiro a parte de dentro do copo e do prato, para que a parte de fora também fique limpa.” (Mateus 23:25, 26) Os fariseus são rigorosos no que diz respeito à pureza cerimonial e à aparência, mas negligenciam o que são no íntimo e não purificam o seu coração figurativo.

Pode-se observar sua hipocrisia até na sua disposição de construir e decorar os túmulos dos profetas. Mas, como Jesus diz, eles “são filhos daqueles que assassinaram os profetas”. (Mateus 23:31) Isso fica claro nos seus esforços de matar Jesus. — João 5:18; 7:1, 25.

Então Jesus indica o que aguarda esses líderes religiosos se não se arrependerem: “Serpentes, descendência de víboras, como fugirão do julgamento da Geena?” (Mateus 23:33) A palavra Geena significa “vale de Hinom”. Esse vale é usado para queimar lixo e ilustra bem a destruição eterna que aguarda os perversos escribas e fariseus.

Os discípulos de Jesus vão representá-lo como “profetas, sábios e instrutores públicos”. Como eles serão tratados? Dirigindo-se aos líderes religiosos, Jesus diz: “A alguns [de meus discípulos] vocês matarão e pregarão em estacas, e a outros açoitarão nas suas sinagogas e perseguirão de cidade em cidade, para que venha sobre vocês todo o sangue justo derramado na terra, desde o sangue do justo Abel até o sangue de Zacarias . . . a quem vocês assassinaram.” Ele avisa: “Eu garanto a vocês: Todas essas coisas virão sobre esta geração.” (Mateus 23:34-36) Foi isso que aconteceu em 70 EC quando os exércitos romanos destruíram Jerusalém e morreram milhares de judeus.

Pensar nessa situação assustadora deixa Jesus angustiado. Ele diz com tristeza: “Jerusalém, Jerusalém, que mata os profetas e apedreja os que lhe são enviados . . . Quantas vezes eu quis ajuntar seus filhos, assim como a galinha ajunta seus pintinhos debaixo das asas! Mas vocês não quiseram. Agora a sua casa ficará abandonada.” (Mateus 23:37, 38) Os que estão ouvindo Jesus devem estar se perguntando a que “casa” ele se refere. Será que ele pode estar se referindo ao magnífico templo em Jerusalém, que parece ter a proteção de Deus?

Então Jesus acrescenta: “De agora em diante, vocês de modo algum me verão, até que digam: ‘Bendito é aquele que vem em nome de Jeová!’” (Mateus 23:39) Ele está citando as palavras proféticas do Salmo 118:26: “Bendito é aquele que vem em nome de Jeová. Da casa de Jeová, nós abençoamos vocês.” Fica claro então que, quando o templo literal for destruído, ninguém irá até ele em nome de Deus.

Agora Jesus se dirige a outra parte do templo, onde há cofres do tesouro. As pessoas podem colocar suas contribuições na pequena abertura na parte de cima. Jesus vê vários judeus fazendo exatamente isso, os ricos colocam “muitas moedas” como dádivas. Então ele observa uma viúva pobre colocar “duas pequenas moedas de pouquíssimo valor”. (Marcos 12:41, 42) Sem dúvida, Jesus sabe como Deus está feliz com a dádiva dessa mulher.

Chamando seus discípulos, Jesus diz: “Esta viúva pobre pôs nos cofres do tesouro mais do que todos os outros.” Como assim? Ele explica: “Todos eles puseram do que lhes sobrava, mas ela, da sua carência, pôs tudo que possuía, tudo que tinha para viver.” (Marcos 12:43, 44) A maneira de pensar e de agir da viúva é bem diferente da dos líderes religiosos.

Conforme 11 de nisã vai chegando ao fim, Jesus deixa o templo pela última vez. Um dos discípulos diz: “Instrutor, veja que pedras e que edifícios maravilhosos!” (Marcos 13:1) Realmente, algumas das pedras das muralhas do templo são enormes e dão a impressão de que ele vai durar muito tempo. Por isso, parece estranho Jesus dizer: “Está vendo estes grandes edifícios? De modo algum ficará aqui pedra sobre pedra sem ser derrubada.” — Marcos 13:2.

Depois de dizer essas coisas, Jesus e seus apóstolos atravessam o vale do Cédron e sobem ao monte das Oliveiras. A certa altura, ele fica com quatro apóstolos: Pedro, André, Tiago e João. De onde eles estão, conseguem ver o magnífico templo mais abaixo.