Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 115

Aproxima-se a última Páscoa de Jesus

Aproxima-se a última Páscoa de Jesus

MATEUS 26:1-5, 14-19 MARCOS 14:1, 2, 10-16 LUCAS 22:1-13

  • JUDAS ISCARIOTES É PAGO PARA TRAIR JESUS

  • DOIS APÓSTOLOS FAZEM PREPARATIVOS PARA A PÁSCOA

Jesus termina de ensinar quatro de seus apóstolos no monte das Oliveiras, respondendo à pergunta deles sobre sua futura presença e o final do sistema de coisas.

O dia 11 de nisã está sendo um dia atarefado. Talvez seja na volta para Betânia, a fim de passar a noite, que Jesus diz a seus apóstolos: “Vocês sabem que daqui a dois dias é a Páscoa, e o Filho do Homem será entregue para ser morto na estaca.” — Mateus 26:2.

Parece que o dia seguinte, quarta-feira, é um dia tranquilo para Jesus e seus apóstolos. Na terça-feira, ele repreendeu os líderes religiosos e os expôs publicamente. Eles querem matá-lo. Por isso, ele não aparece em público no dia 12 de nisã. Ele não quer que nada o impeça de celebrar a Páscoa com seus apóstolos após o pôr do sol na noite seguinte, quando começa o dia 14 de nisã.

Mas os principais sacerdotes e os anciãos do povo não estão nada tranquilos. Antes da Páscoa, eles se reúnem no pátio da casa do sumo sacerdote, Caifás. Estão irritados porque Jesus os tem exposto. Então tramam, “com astúcia, prender Jesus e matá-lo”. Como e quando eles farão isso? Eles dizem: “Não durante a festividade, para que não haja um alvoroço entre o povo.” (Mateus 26:4, 5) Estão com medo porque muitos gostam de Jesus.

Nesse meio-tempo, os líderes religiosos recebem um visitante. Para sua surpresa, é um dos apóstolos de Jesus, Judas Iscariotes. Satanás colocou nele a ideia de trair o Senhor. Judas lhes pergunta: “O que me darão para entregá-lo a vocês?” (Mateus 26:15) Felizes com isso, eles ‘concordam em lhe dar dinheiro de prata’. (Lucas 22:5) Quanto? Ficam contentes em pagar 30 moedas de prata. É interessante notar que o preço de um escravo é 30 siclos. (Êxodo 21:32) Com isso, os líderes religiosos mostram como desprezam Jesus. Para eles, Jesus tem pouco valor. Agora Judas começa a ‘procurar uma boa oportunidade para entregá-lo a eles sem que haja uma multidão em volta’. — Lucas 22:6.

O dia 13 de nisã começa após o pôr do sol de quarta-feira, e esta é a última das seis noites que Jesus passa em Betânia. Os últimos preparativos para a Páscoa serão feitos no dia seguinte. Será necessário providenciar um cordeiro para ser abatido e assado inteiro depois que o dia 14 de nisã começar. Onde eles vão fazer a refeição, e quem vai prepará-la? Jesus não dá esses detalhes. Por isso, Judas não tem como contá-los aos principais sacerdotes.

Provavelmente no início da tarde de quinta-feira, Jesus envia Pedro e João, de Betânia a Jerusalém, dizendo: “Vão e aprontem a refeição pascoal para que a comamos.” Eles perguntam: “Onde o senhor quer que a aprontemos?” Jesus explica: “Ao entrarem na cidade, um homem levando um jarro de barro com água encontrará vocês. Sigam-no para dentro da casa em que ele entrar. E digam ao proprietário da casa: ‘O Instrutor mandou lhe dizer: “Onde está a sala dos hóspedes, em que eu possa tomar a refeição pascoal com os meus discípulos?”’ E esse homem lhes mostrará uma grande sala mobiliada no andar de cima. Aprontem-na ali.” — Lucas 22:8-12.

Sem dúvida, o proprietário da casa é discípulo de Jesus. Talvez ele já espere que Jesus peça para usar sua casa nessa ocasião. Quando os dois apóstolos chegam a Jerusalém, encontram tudo do jeito que Jesus disse. Então providenciam que o cordeiro seja preparado e que os outros preparativos para a Páscoa sejam feitos para os 13, Jesus e seus 12 apóstolos.