Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 104

Será que os judeus mostrarão fé depois de ouvir a voz de Deus?

Será que os judeus mostrarão fé depois de ouvir a voz de Deus?

JOÃO 12:28-50

  • MUITOS OUVEM A VOZ DE DEUS

  • A BASE PARA JULGAMENTO

É 10 de nisã, segunda-feira, e Jesus está no templo, falando sobre sua morte, que está próxima. Preocupado com o efeito que isso terá sobre o bom nome de Deus, ele diz: “Pai, glorifica o teu nome.” Uma voz poderosa responde desde os céus: “Eu já o glorifiquei e o glorificarei de novo.” — João 12:27, 28.

As pessoas que estão por perto ficam confusas. Algumas acham que ouviram um trovão. Outras dizem: “Um anjo falou com ele.” (João 12:29) No entanto, é a voz de Jeová que eles ouviram, e não é a primeira vez que humanos ouvem a voz de Deus dizer algo relacionado a Jesus.

Três anos e meio antes, no batismo de Jesus, João Batista ouviu Deus dizer: “Este é meu Filho, o amado, a quem eu aprovo.” Mais tarde, depois da Páscoa de 32 EC, Tiago, João e Pedro presenciaram a transfiguração de Jesus. Esses três homens ouviram Deus declarar: “Este é meu Filho, o amado, a quem eu aprovo. Escutem-no.” (Mateus 3:17; 17:5) Mas agora, desta terceira vez, quando Jeová fala, muitos podem ouvir.

Jesus diz: “Essa voz não veio por minha causa, mas por causa de vocês.” (João 12:30) Essa é uma prova de que ele é realmente o Filho de Deus, o prometido Messias.

Além disso, o modo de vida fiel de Jesus exemplifica como os humanos devem viver e confirma que Satanás, o Diabo, o governante do mundo, merece ser destruído. Jesus diz: “Agora este mundo está sendo julgado; agora será expulso o governante deste mundo.” Em vez de ser uma derrota, a morte de Jesus, que está próxima, será uma vitória. Como assim? Ele explica: “Mas, quando eu for erguido da terra, atrairei a mim todo tipo de pessoas.” (João 12:31, 32) Por meio de sua morte numa estaca, Jesus atrairá outros a si mesmo, abrindo o caminho para a vida eterna.

Em resposta ao que Jesus diz sobre ‘ser erguido’, a multidão diz: “Ouvimos da Lei que o Cristo permanece para sempre. Como é que você diz que o Filho do Homem tem de ser erguido? Quem é esse Filho do Homem?” (João 12:34) Apesar de todas as evidências, incluindo ouvir a voz do próprio Deus, a maioria deles não aceita Jesus como o verdadeiro Filho do Homem, o prometido Messias.

Jesus fala de si mesmo como “a luz”, algo que já fez antes. (João 8:12; 9:5) Ele incentiva a multidão: “A luz estará entre vocês por mais um pouco de tempo. Andem enquanto vocês ainda têm a luz, para que a escuridão não os vença . . . Enquanto vocês têm a luz, exerçam fé na luz, para que possam se tornar filhos da luz.” (João 12:35, 36) Então Jesus se retira, visto que 10 de nisã não é o dia para ele morrer. É na Páscoa de 14 de nisã que ele será “erguido”, pregado numa estaca. — Gálatas 3:13.

Ao relembrar o ministério de Jesus, fica claro que o fato de os judeus não depositarem fé nele cumpre uma profecia. Isaías predisse que os olhos do povo seriam cegados e que seus corações seriam endurecidos de modo que não dariam meia-volta a fim de ser curados. (Isaías 6:10; João 12:40) A maioria dos judeus de modo obstinado rejeita a evidência de que Jesus é o prometido Libertador, o caminho para a vida.

Nicodemos, José de Arimateia e muitos outros líderes dos judeus ‘realmente depositam fé’ em Jesus. Mas será que eles vão agir com fé? Ou será que vão deixar de fazer isso, quer por medo de ser expulsos da sinagoga, quer por ‘amarem a glória dos homens’? — João 12:42, 43.

O próprio Jesus explica o que envolve exercer fé nele: “Quem deposita fé em mim deposita fé não somente em mim, mas também naquele que me enviou.” As verdades que Deus instruiu Jesus a ensinar e que Jesus proclama são tão importantes que ele pode dizer: “Quem me desconsidera e não aceita as minhas declarações tem quem o julgue. As palavras que eu falei é que o julgarão no último dia.” — João 12:44, 45, 48.

Então Jesus conclui: “Não falei de minha própria iniciativa, mas o Pai, que me enviou, ele mesmo me deu um mandamento sobre o que dizer e o que falar. E eu sei que o seu mandamento significa vida eterna.” (João 12:49, 50) Jesus sabe que em breve derramará seu sangue sustentador da vida em sacrifício pelos humanos que exercem fé nele. — Romanos 5:8, 9.