Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 114

Como rei, Jesus julga as ovelhas e os cabritos

Como rei, Jesus julga as ovelhas e os cabritos

MATEUS 25:31-46

  • JESUS FAZ A ILUSTRAÇÃO DAS OVELHAS E DOS CABRITOS

No monte das Oliveiras, Jesus acaba de contar as ilustrações das dez virgens e dos talentos como parte da sua resposta à pergunta dos apóstolos sobre o sinal da sua presença e do final do sistema de coisas. Como ele conclui sua resposta? Ele faz isso com uma última ilustração, sobre as ovelhas e os cabritos.

Jesus começa por estabelecer o cenário: “Quando o Filho do Homem vier na sua glória, e com ele todos os anjos, então se sentará no seu trono glorioso.” (Mateus 25:31) Jesus não deixa dúvidas de que é o personagem principal dessa ilustração. Muitas vezes ele se referiu a si mesmo como “o Filho do Homem”. — Mateus 8:20; 9:6; 20:18, 28.

Essa ilustração se cumpre quando Jesus “vier na sua glória” com os anjos e se sentar “no seu trono glorioso”. Ele já falou sobre “o Filho do Homem vir nas nuvens do céu, com poder e grande glória” e com os seus anjos. Isso acontece “imediatamente depois da tribulação”. (Mateus 24:29-31; Marcos 13:26, 27; Lucas 21:27) Assim, essa ilustração se cumpre no futuro, quando Jesus vier em sua glória. O que ele fará então?

Ele explica: “Quando o Filho do Homem vier . . . , todas as nações serão reunidas diante dele, e ele separará as pessoas umas das outras, assim como o pastor separa as ovelhas dos cabritos. E porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos à sua esquerda.” — Mateus 25:31-33.

As ovelhas são separadas para receber o favor de Jesus. Ele diz sobre elas: “O Rei dirá então aos à sua direita: ‘Venham vocês, abençoados por meu Pai, herdem o Reino preparado para vocês desde a fundação do mundo.’” (Mateus 25:34) Por que as ovelhas recebem o favor do Rei?

O Rei explica: “Fiquei com fome, e vocês me deram algo para comer; fiquei com sede, e vocês me deram algo para beber. Eu era um estranho, e vocês me receberam hospitaleiramente; estava nu, e vocês me vestiram. Fiquei doente, e vocês cuidaram de mim. Eu estava na prisão, e vocês me visitaram.” Quando essas ovelhas, “os justos”, perguntam em que sentido fizeram essas boas coisas, ele responde: “O que vocês fizeram a um dos menores destes meus irmãos, a mim o fizeram.” (Mateus 25:35, 36, 40, 46) Elas não fazem essas boas obras no céu, pois lá não há pessoas doentes nem com fome. Sendo assim, essas obras têm de ser feitas aos irmãos de Cristo na Terra.

E quanto aos cabritos, que são colocados do lado esquerdo? Jesus diz: “Então [o Rei] dirá aos à sua esquerda: ‘Afastem-se de mim, amaldiçoados; vão para o fogo eterno preparado para o Diabo e seus anjos. Pois fiquei com fome, mas vocês não me deram nada para comer; e fiquei com sede, mas vocês não me deram nada para beber. Eu era um estranho, mas vocês não me receberam hospitaleiramente; estava nu, mas vocês não me vestiram; doente e na prisão, mas vocês não cuidaram de mim.’” (Mateus 25:41-43) Os cabritos merecem esse julgamento, pois não trataram com bondade os irmãos de Cristo aqui na Terra, como deveriam ter feito.

Os apóstolos aprendem que o futuro tempo de julgamento terá consequências permanentes, eternas. Jesus lhes diz: “Então [o Rei] lhes [dirá]: ‘Eu lhes digo a verdade: O que vocês não fizeram a um destes menores, a mim não o fizeram.’ Estes partirão para o decepamento eterno; mas os justos, para a vida eterna.” — Mateus 25:45, 46.

A resposta que Jesus dá aos apóstolos deixa seus seguidores muito pensativos, ajudando-os a avaliar suas atitudes e ações.