Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 68

O Filho de Deus é “a luz do mundo”

O Filho de Deus é “a luz do mundo”

JOÃO 8:12-36

  • JESUS EXPLICA QUEM O FILHO DE DEUS É

  • EM QUE SENTIDO OS JUDEUS SÃO ESCRAVOS?

No último dia da Festividade das Tendas, o sétimo dia, Jesus está ensinando no templo, na área chamada de “tesouro”. (João 8:20; Lucas 21:1) Pelo visto, essa área fica no Pátio das Mulheres, onde as pessoas colocam suas contribuições.

À noite na festividade, essa área do templo tem uma iluminação especial. Quatro candelabros enormes ficam ali, cada um com quatro bacias grandes com óleo. A luz dessas lâmpadas é forte o bastante para iluminar uma grande área. O que Jesus diz agora talvez lembre seus seguidores desses candelabros: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue de modo algum andará na escuridão, mas terá a luz da vida.” — João 8:12.

Os fariseus se opõem à declaração de Jesus, dizendo: “Você dá testemunho de si mesmo; seu testemunho não é verdadeiro.” Jesus diz em resposta: “Mesmo que eu dê testemunho de mim mesmo, meu testemunho é verdadeiro, porque eu sei de onde vim e para onde vou. Mas vocês não sabem de onde eu vim nem para onde vou.” Depois continua dizendo: “Na própria Lei de vocês está escrito: ‘O testemunho de dois homens é verdadeiro.’ Eu sou um que dá testemunho de mim mesmo, e o Pai, que me enviou, dá testemunho de mim.” — João 8:13-18.

Os fariseus não concordam com o raciocínio de Jesus e lhe perguntam: “Onde está o seu Pai?” Ele dá uma resposta direta: “Vocês não conhecem nem a mim nem ao meu Pai. Se me conhecessem, conheceriam também o meu Pai.” (João 8:19) Os fariseus ainda querem que Jesus seja preso, mas ninguém se atreve a tocá-lo.

Novamente, Jesus declara: “Eu vou embora, e vocês me procurarão, contudo morrerão nos seus pecados. Para onde eu vou, vocês não podem ir.” Os judeus entendem completamente errado as palavras de Jesus, por isso se perguntam: “Será que ele vai se matar? Porque ele diz: ‘Para onde eu vou, vocês não podem ir.’” Eles não entendem o que Jesus quer dizer porque não sabem de onde ele veio. Jesus explica: “Vocês são dos domínios de baixo; eu sou dos domínios de cima. Vocês são deste mundo; eu não sou deste mundo.” — João 8:21-23.

Jesus está falando sobre a sua vida pré-humana no céu e sobre ser o prometido Messias, ou Cristo, alguém que esses líderes religiosos deviam ter reconhecido. Mas eles perguntam com muito desprezo: “Quem é você?” — João 8:25.

Diante da oposição e rejeição deles, Jesus diz: “Por que é que estou falando com vocês?” Então ele dirige a atenção para seu Pai e explica por que os judeus deviam ouvir o Filho: “Aquele que me enviou é verdadeiro, e aquilo que ouvi dele eu digo ao mundo.” — João 8:25, 26.

Em seguida, Jesus mostra confiança em seu Pai, algo que os judeus não têm: “Depois que vocês tiverem erguido o Filho do Homem, então saberão que eu sou ele e que não faço nada de minha própria iniciativa, mas falo aquilo que o Pai me ensinou. E Aquele que me enviou está comigo; ele não me deixou só, porque faço sempre o que lhe agrada.” — João 8:28, 29.

Mas alguns judeus demonstram fé em Jesus, e ele lhes diz: “Se vocês permanecerem nas minhas palavras, são realmente meus discípulos; vocês conhecerão a verdade, e a verdade os libertará.” — João 8:31, 32.

Alguns acham estranho o que Jesus diz sobre serem libertados. Por isso, dizem: “Somos descendentes de Abraão e nunca fomos escravos de ninguém. Como é que você diz: ‘Vocês ficarão livres’?” Os judeus sabem que às vezes foram dominados por estrangeiros, mas se recusam a ser chamados de escravos. No entanto, Jesus mostra que eles ainda são escravos: “Digo-lhes com toda a certeza: Todo aquele que peca é escravo do pecado.” — João 8:33, 34.

Os judeus se recusam a reconhecer que são escravos do pecado, e isso os coloca numa situação perigosa. Jesus explica: “O escravo não permanece na casa para sempre; o filho permanece para sempre.” (João 8:35) Um escravo não tem direito a receber herança e pode ser dispensado a qualquer momento. Somente o filho legítimo ou adotado pela família permanece “para sempre”, ou seja, enquanto ele viver.

Assim, a verdade sobre o Filho é a verdade que liberta para sempre as pessoas do pecado, que resulta na morte. Jesus diz: “Se o Filho os libertar, vocês serão realmente livres.” — João 8:36.