Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 70

Jesus cura um homem que nasceu cego

Jesus cura um homem que nasceu cego

JOÃO 9:1-18

  • UM MENDIGO CEGO DE NASCENÇA É CURADO

Jesus ainda está em Jerusalém no sábado. Enquanto ele e seus discípulos andam pela cidade, veem um mendigo que nasceu cego. Os discípulos perguntam a Jesus: “Rabi, quem pecou, este homem ou os seus pais, para ele ter nascido cego?” — João 9:2.

Os discípulos sabem que o homem não tem uma alma invisível, que existia antes de ele nascer, mas talvez se perguntem se alguém pode pecar enquanto está no ventre da mãe. Jesus responde: “Nem este homem pecou, nem os seus pais, mas é para que se mostrem as obras de Deus no caso dele.” (João 9:3) Então nem o homem nem seus pais são culpados de um erro ou pecado que pode ter causado sua cegueira. Em vez disso, em resultado do pecado de Adão, todos os humanos nascem imperfeitos e podem ter deficiências como a cegueira. A situação desse homem dá a Jesus a oportunidade de fazer as obras de Deus, assim como ele curou doentes em outras ocasiões.

Jesus enfatiza a urgência de fazer essas obras, dizendo: “Temos de fazer as obras Daquele que me enviou enquanto é dia; está chegando a noite, quando ninguém poderá trabalhar. Enquanto eu estou no mundo, sou a luz do mundo.” (João 9:4, 5) Em breve, a morte de Jesus vai lançá-lo na escuridão da sepultura, onde ele não poderá fazer nada. Enquanto isso, ele é a fonte da verdadeira luz para o mundo.

Mas será que Jesus vai curar o homem? Nesse caso, como ele fará isso? Jesus cospe no chão e faz lama com a saliva. Depois coloca um pouco dela sobre os olhos do cego e diz: “Vá e lave-se no reservatório de Siloé.” (João 9:7) O homem obedece. Depois de se lavar, ele consegue enxergar. Imagine a alegria desse homem ao enxergar pela primeira vez em sua vida!

Os vizinhos e outros que sabem que ele era cego ficam maravilhados. Eles perguntam: “Este não é o homem que ficava sentado mendigando?” Alguns respondem: “É ele.” Mas outros não conseguem acreditar e dizem: “Não é, mas se parece com ele.” Então o próprio homem responde: “Sou eu mesmo.” — João 9:8, 9.

Assim, eles lhe perguntam: “Como os seus olhos foram abertos?” Ele responde: “O homem chamado Jesus fez lama, passou-a nos meus olhos e me disse: ‘Vá a Siloé e lave-se.’ Então eu fui, me lavei e comecei a enxergar.” Daí eles perguntam: “Onde está esse homem?” O mendigo responde: “Não sei.” — João 9:10-12.

As pessoas levam o homem até os fariseus, que também querem saber como ele foi curado. Ele lhes diz: “Ele pôs lama nos meus olhos, eu me lavei e agora posso enxergar.” Os fariseus deviam se alegrar com o mendigo que foi curado. Mas alguns deles acusam Jesus: “Esse homem não é de Deus, pois não guarda o sábado.” Ainda outros dizem: “Como pode um homem que é pecador realizar sinais desse tipo?” (João 9:15, 16) Assim, eles estão divididos.

Diante dessas opiniões conflitantes, perguntam ao homem: “O que você diz a respeito dele, visto que foram os seus olhos que ele abriu?” Ele não tem dúvidas sobre Jesus e responde: “Ele é um profeta.” —  João 9:17.

Os fariseus se recusam a acreditar nisso. Talvez achem que Jesus e o homem combinaram para enganar as pessoas. Concluem que o único modo de resolver o assunto é perguntar aos pais do mendigo se ele realmente era cego.