Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 49

Pregação na Galileia e treinamento dos apóstolos

Pregação na Galileia e treinamento dos apóstolos

MATEUS 9:35–10:15 MARCOS 6:6-11 LUCAS 9:1-5

  • JESUS PREGA NOVAMENTE PELA GALILEIA

  • ELE ENVIA OS APÓSTOLOS PARA PREGAR

Nos últimos dois anos, Jesus está muito ocupado com a pregação. Será que está na hora de diminuir o ritmo e descansar? Pelo contrário, Jesus intensifica sua atividade por iniciar “uma viagem por todas as cidades e aldeias [da Galileia], ensinando nas sinagogas deles, pregando as boas novas do Reino e curando todo tipo de doenças e todo tipo de enfermidades”. (Mateus 9:35) O que ele vê o convence da necessidade de intensificar a obra. Mas como fará isso?

Quando viaja, Jesus vê pessoas que precisam ser ajudadas e consoladas em sentido espiritual. Elas são como ovelhas sem pastor, esfoladas e empurradas de um lado para outro. Ele tem pena delas e diz aos seus discípulos: “A colheita, realmente, é grande, mas os trabalhadores são poucos. Por isso, peçam ao Senhor da colheita que mande trabalhadores para a Sua colheita.” — Mateus 9:37, 38.

Jesus sabe do que precisam. Ele convoca os 12 apóstolos, divide-os em seis pares de pregadores e dá instruções específicas: “Não se desviem para a estrada das nações e não entrem em cidade samaritana; mas, em vez disso, vão somente às ovelhas perdidas da casa de Israel. Ao irem, preguem, dizendo: ‘O Reino dos céus está próximo.’” — Mateus 10:5-7.

Eles irão pregar o Reino sobre o qual Jesus falou na oração-modelo. ‘O Reino está próximo’ no sentido de que o Rei designado por Deus, Jesus Cristo, está presente. Mas o que confirmará que seus discípulos realmente representam esse Reino? Jesus lhes dá poder para curar doentes e até mesmo ressuscitar os mortos, e eles não devem cobrar nada. Então como os apóstolos irão cuidar das próprias necessidades, como o alimento de cada dia?

Jesus diz aos discípulos para não se preocuparem em fazer preparativos para essa viagem de pregação. Não devem levar nas suas bolsas nem ouro, nem prata, nem cobre. Também não precisam de uma bolsa de provisões para a viagem nem de roupas e sandálias extras. Por que não? Jesus lhes dá a seguinte garantia: “O trabalhador merece o seu alimento.” (Mateus 10:10) Os discípulos encontrarão pessoas que apreciam a mensagem, e elas cuidarão das necessidades básicas deles. Jesus diz: “Em qualquer casa em que entrarem, fiquem ali até saírem daquele lugar.” — Marcos 6:10.

Jesus também os ensina a abordar as pessoas em suas casas com a mensagem do Reino: “Ao entrarem na casa, cumprimentem a família. Se a casa for merecedora, venha sobre ela a paz que lhe desejam; mas, se ela não for merecedora, que a paz volte a vocês. Onde quer que alguém não os receber nem ouvir as suas palavras, ao saírem daquela casa ou daquela cidade, sacudam o pó dos seus pés.” — Mateus 10:12-14.

Pode ser que uma cidade ou uma aldeia rejeite a mensagem deles. Qual será o resultado? Jesus explica que isso resultará num julgamento muito desfavorável: “Digo-lhes a verdade: No Dia do Julgamento será mais suportável para a terra de Sodoma e Gomorra do que para aquela cidade.” — Mateus 10:15.