Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 65

Ele ensina durante uma viagem a Jerusalém

Ele ensina durante uma viagem a Jerusalém

MATEUS 8:19-22 LUCAS 9:51-62 JOÃO 7:2-10

  • COMO OS IRMÃOS DE JESUS O ENCARAM

  • QUANTA IMPORTÂNCIA TEM O SERVIÇO DO REINO?

Há algum tempo, Jesus concentra suas atividades na Galileia, onde tem conseguido melhores resultados do que na Judeia. Pois, quando curou um homem no sábado em Jerusalém, ‘os judeus procuraram matá-lo’. — João 5:18; 7:1.

É setembro ou outubro de 32 EC, e está chegando a Festividade das Tendas (ou Barracas). Essa festividade dura sete dias, e no oitavo dia há uma assembleia solene. A festividade marca o fim do ano agrícola e é uma ocasião de muita alegria e agradecimento.

Tiago, Simão, José e Judas, os meios-irmãos de Jesus, o aconselham: “Saia daqui e vá à Judeia.” Visto que é o centro religioso do país, Jerusalém fica muito cheia durante as três festividades anuais. Os irmãos de Jesus dizem: “Ninguém faz as coisas em segredo quando procura ser conhecido publicamente. Se você está fazendo essas coisas, mostre-se ao mundo.” — João 7:3, 4.

Na verdade, esses irmãos de Jesus ‘não exercem fé nele’ como o Messias, mas querem que as pessoas reunidas na festividade o vejam realizar algumas obras poderosas. Sabendo do perigo, Jesus lhes diz: “O mundo não tem razão para odiar vocês, mas odeia a mim, porque dou testemunho dele, de que as suas obras são más. Subam para a festividade; eu ainda não vou a essa festividade, porque o meu tempo ainda não se cumpriu.” — João 7:5-8.

Alguns dias depois de os irmãos de Jesus e a maioria dos viajantes saírem da cidade, Jesus e seus discípulos saem sem deixar que outros os vejam. Eles vão por um caminho direto, que passa por Samaria, em vez de ir pelo caminho que a maioria prefere, próximo do rio Jordão. Jesus e seus discípulos precisarão de um lugar para ficar em Samaria, por isso ele envia mensageiros na frente para fazer os preparativos. As pessoas em uma aldeia se recusam a recebê-los ou a mostrar hospitalidade porque Jesus está indo a Jerusalém para a festividade judaica. Furiosos, Tiago e João perguntam: “Senhor, quer que mandemos que desça fogo do céu e os destrua?” (Lucas 9:54) Jesus os repreende por isso, e eles continuam a viagem.

No caminho, um escriba diz a Jesus: “Instrutor, eu o seguirei para onde quer que o senhor vá.” Jesus responde: “As raposas têm tocas e as aves do céu têm ninhos, mas o Filho do Homem não tem onde deitar a cabeça.” (Mateus 8:19, 20) Ele quer dizer que o escriba vai passar por dificuldades se ele se tornar seguidor de Jesus. Pelo visto, o escriba é muito orgulhoso para aceitar esse modo de vida. Por isso, cada um de nós pode se perguntar: “Até que ponto estou disposto a ser seguidor de Jesus?”

Jesus diz a outro homem: “Seja meu seguidor.” O homem responde: “Senhor, permita-me primeiro ir enterrar meu pai.” Conhecendo a situação do homem, Jesus diz: “Deixe que os mortos enterrem seus mortos, mas você, vá e divulgue o Reino de Deus.” (Lucas 9:59, 60) É evidente que o pai dele ainda não morreu. Se isso fosse verdade, seria pouco provável que o filho estivesse conversando com Jesus. O filho não está preparado para colocar o Reino de Deus em primeiro lugar na sua vida.

Ao descer a estrada em direção a Jerusalém, outro homem diz a Jesus: “Eu o seguirei, Senhor, mas permita-me primeiro me despedir da minha família.” Ele responde: “Ninguém que tiver posto a mão num arado e olhar para trás está apto para o Reino de Deus.” — Lucas 9:61, 62.

Os que querem ser verdadeiros discípulos de Jesus devem se concentrar no serviço do Reino. Se um agricultor não ficar olhando para frente, o sulco poderá ficar torto. Se ele colocar o arado no chão e olhar para trás, o serviço no campo vai atrasar. De modo similar, quem olhar para trás neste sistema poderá acabar se desviando do caminho que leva à vida eterna.