Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 63

Jesus dá conselhos sobre tropeçar e pecar

Jesus dá conselhos sobre tropeçar e pecar

MATEUS 18:6-20 MARCOS 9:38-50 LUCAS 9:49, 50

  • CONSELHO CONTRA TROPEÇAR

  • QUANDO UM IRMÃO COMETE UM PECADO

Jesus acaba de usar uma ilustração para mostrar aos seus seguidores qual é o modo correto de pensar. Eles devem encarar a si mesmos como crianças, que são humildes e não têm destaque. Os discípulos devem ‘receber em seu nome criancinhas como estas, e assim receber também a Jesus’. — Mateus 18:5.

Um pouco antes, os apóstolos estavam discutindo sobre quem é o maior, por isso talvez achem que Jesus os está repreendendo. Agora o apóstolo João fala sobre algo que acaba de acontecer: “Instrutor, vimos alguém expulsar demônios usando o seu nome e tentamos impedi-lo, porque ele não segue o senhor conosco.” — Lucas 9:49.

Será que João acha que os apóstolos são os únicos autorizados a curar doentes ou expulsar demônios? Se isso é verdade, por que esse homem judeu consegue expulsar espíritos maus? Talvez João ache que o homem não deve realizar obras poderosas porque não está acompanhando Jesus e os apóstolos.

Para a surpresa de João, Jesus diz: “Não tentem impedi-lo, porque ninguém que faça uma obra poderosa em meu nome pode logo depois falar mal de mim. Pois quem não é contra nós é a favor de nós. E eu garanto a vocês que quem lhes der um copo de água para beber, por vocês pertencerem a Cristo, de modo algum perderá sua recompensa.” — Marcos 9:39-41.

Assim, o homem não precisa acompanhar a Cristo para estar do lado de Jesus. A congregação cristã ainda será formada, e embora esse homem não esteja viajando com Jesus, isso não quer dizer que ele é um opositor ou que está promovendo uma religião falsa. É evidente que ele tem fé no nome de Jesus, e o que Jesus diz dá a entender que o homem não vai perder a sua recompensa.

Por outro lado, seria muito grave se o homem tropeçasse por causa das palavras e ações dos apóstolos. Jesus declara: “Quem fizer tropeçar um destes pequenos que têm fé, seria melhor para ele que pusessem no seu pescoço uma pedra de moinho daquelas que o jumento faz girar, e que fosse lançado no mar.” (Marcos 9:42) Então Jesus diz que seus seguidores devem arrancar algo tão precioso como uma mão, um pé ou um olho se isso os faz tropeçar. É melhor ficar sem uma parte do corpo e entrar no Reino de Deus do que se apegar a ela e acabar na Geena (vale de Hinom). Provavelmente os apóstolos já viram esse vale perto de Jerusalém, onde o lixo é queimado. Assim, entendem que ele representa a destruição eterna.

Jesus também alerta: “Tomem cuidado para não desprezar um destes pequenos, pois eu lhes digo que os anjos deles no céu estão sempre vendo a face do meu Pai.” Até que ponto esses “pequenos” são preciosos para seu Pai? Jesus fala de um homem que tem cem ovelhas e perde uma. O homem deixa as 99 ovelhas para procurar a ovelha perdida e, ao encontrá-la, ele se alegra mais com ela do que com as outras 99. Jesus diz: “Não é o desejo do meu Pai, que está no céu, que se perca nem mesmo um destes pequenos.” — Mateus 18:10, 14.

Talvez pensando na discussão dos apóstolos sobre quem será o maior, Jesus diz: “Tenham sal em vocês mesmos e mantenham a paz uns com os outros.” (Marcos 9:50) O sal dá mais sabor aos alimentos. O sal figurativo torna mais fácil aceitar o que alguém diz e pode ajudar a manter a paz, algo que não se consegue discutindo. — Colossenses 4:6.

Às vezes, vão surgir problemas graves, e Jesus ensina a lidar com isso: “Se o seu irmão cometer um pecado, vá mostrar-lhe o seu erro, somente você e ele. Se ele o escutar, você ganhou o seu irmão.” Mas se não escutar, Jesus diz: “Leve com você mais um ou dois, para que, com base no depoimento de duas ou três testemunhas, toda questão seja estabelecida.” Se isso não resolver o problema, devem falar “à congregação”, ou seja, aos anciãos responsáveis que podem tomar uma decisão. E se o pecador ainda não escutar? “Seja ele para você apenas como homem das nações e como cobrador de impostos”, pessoas com quem os judeus não se associariam. — Mateus 18:15-17.

Os anciãos precisam se apegar à Palavra de Deus. Se acharem que um pecador é culpado e precisa ser disciplinado, o julgamento deles “já terá sido amarrado no céu”. Mas, se acharem que a pessoa é inocente, o julgamento “terá sido solto no céu”. As orientações de Jesus serão de ajuda quando a congregação cristã for formada. Sobre casos sérios como esses, ele diz: “Onde há dois ou três reunidos em meu nome, ali estou eu no meio deles.” — Mateus 18:18-20.