Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 98

Os apóstolos mais uma vez buscam ter destaque

Os apóstolos mais uma vez buscam ter destaque

MATEUS 20:17-28 MARCOS 10:32-45 LUCAS 18:31-34

  • JESUS PREDIZ A SUA MORTE DE NOVO

  • COMO ELE LIDA COM O DESEJO DOS APÓSTOLOS DE TER DESTAQUE

Jesus e seus discípulos estão viajando pela Pereia, indo em direção a Jerusalém ao sul. Quase no final da viagem, atravessam o rio Jordão, próximo de Jericó. Outras pessoas os acompanham para a Páscoa de 33 EC.

Jesus caminha na frente dos discípulos, decidido a chegar à cidade a tempo para a Páscoa. Mas os discípulos estão com medo. Numa ocasião anterior, quando Lázaro morreu e Jesus estava saindo da Pereia em direção à Judeia, Tomé disse aos outros discípulos: “Vamos também, para morrermos com ele.” (João 11:16, 47-53) Portanto, a viagem para Jerusalém é arriscada, e podemos entender por que os discípulos estão com medo.

A fim de prepará-los para o que vem pela frente, Jesus leva os discípulos à parte e lhes diz: “Estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem será entregue aos principais sacerdotes e aos escribas. Eles o condenarão à morte e o entregarão a homens das nações para que zombem dele, o açoitem, e o matem na estaca; e no terceiro dia ele será levantado.” — Mateus 20:18, 19.

Essa é a terceira vez que Jesus fala a seus discípulos sobre a sua morte e ressurreição. (Mateus 16:21; 17:22, 23) Mas, desta vez, ele menciona que será morto numa estaca. Eles ouvem Jesus, mas não entendem o significado das suas palavras. Talvez achem que o reino de Israel será restaurado na Terra e, assim, querem ter glória e honra junto com Cristo num reino terrestre.

A mãe dos apóstolos Tiago e João, que provavelmente é Salomé, está entre os viajantes. Jesus deu a esses dois apóstolos um nome que significa “filhos do trovão”, com certeza por causa do temperamento impetuoso deles. (Marcos 3:17; Lucas 9:54) Já faz algum tempo que eles querem ter destaque no Reino do Cristo. A mãe deles sabe disso. Agora ela se aproxima de Jesus, se curva e lhe pede um favor em nome deles. Jesus pergunta: “O que você quer?” Ela responde: “Declare que estes dois filhos meus se sentarão um à sua direita e outro à sua esquerda, no seu Reino.” — Mateus 20:20, 21.

O pedido na verdade vem de Tiago e João. Jesus acabou de falar sobre a vergonha e a humilhação que está para sofrer. Por isso, ele lhes diz: “Vocês não sabem o que estão pedindo. Será que podem beber o cálice que eu estou para beber?” Eles respondem: “Podemos.” (Mateus 20:22) É provável que não entendam o que isso realmente significa para eles.

Apesar disso, Jesus lhes diz: “De fato, vocês beberão o meu cálice, mas sentar-se à minha direita e à minha esquerda não cabe a mim conceder; esses lugares pertencem àqueles para quem o meu Pai os preparou.” — Mateus 20:23.

Quando os outros dez apóstolos descobrem o que Tiago e João pediram, ficam indignados. Será que Tiago e João foram os que mais expressaram seu desejo de ser o maior quando os apóstolos disputaram sobre isso anteriormente? (Lucas 9:46-48) Não sabemos, mas esse último pedido revela que os apóstolos ainda não aplicaram o conselho que Jesus deu sobre se comportar como alguém menor. Eles ainda têm o desejo de ter destaque.

Jesus decide abordar esse assunto e o desconforto que isso está criando. Ele chama os Doze e os aconselha amorosamente: “Vocês sabem que os que são considerados governantes das nações dominam sobre elas, e seus grandes exercem autoridade sobre elas. Não deve ser assim entre vocês; mas quem quiser se tornar grande entre vocês tem de ser o seu servo, e quem quiser ser o primeiro entre vocês tem de ser o escravo de todos.” — Marcos 10:42-44.

Então Jesus apresenta o exemplo que eles devem imitar: “O Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em troca de muitos.” (Mateus 20:28) Já faz três anos que Jesus tem servido aos outros. E ele fará isso a ponto de morrer pela humanidade. Os discípulos precisam cultivar a mesma disposição de Cristo, isto é, querer servir a outros em vez de ser servido, e ser como alguém menor em vez de ter destaque.