Pular para conteúdo

Pular para sumário

 HISTÓRIA 56

O primeiro rei de Israel

O primeiro rei de Israel

VEJA Samuel derramando óleo sobre a cabeça dum homem. Assim se fazia para mostrar que alguém foi escolhido para ser rei. Jeová mandou que Samuel derramasse óleo na cabeça de Saul. É óleo especial, cheiroso.

Saul não achava que merecia ser rei. ‘Sou da tribo de Benjamim, a menor de Israel’, disse ele a Samuel. ‘Por que diz que vou ser rei?’ Jeová gostava de Saul porque ele não se considerava grande nem importante. Por isso o escolheu para ser rei.

Mas Saul não era pobre nem pequeno. Vinha duma família rica e era homem alto e belo. Era quase um palmo e meio mais alto do que todos os outros em Israel! Era também bom corredor e muito forte. O povo alegrou-se de que Jeová havia escolhido Saul como rei. Clamaram: ‘Viva o rei!’

Os inimigos de Israel continuavam fortes. Ainda causavam muitas dificuldades aos israelitas. Logo depois de Saul ser feito rei, os amonitas vieram lutar contra eles. Mas Saul ajuntou um grande exército e obteve a vitória sobre os amonitas. O povo ficou feliz de ter Saul como rei.

No decorrer dos anos, Saul levou os israelitas a muitas vitórias contra os inimigos. Ele tinha um filho valente, chamado Jonatã. E Jonatã ajudou Israel a ganhar muitas batalhas. Os piores inimigos ainda eram os filisteus. Um dia, muitos milhares de filisteus foram lutar contra os israelitas.

Samuel mandou Saul esperar até sua chegada para fazer um sacrifício, ou oferenda, a Jeová. Mas Samuel demorou. Saul ficou com medo de que os filisteus começassem a batalha e ofereceu ele mesmo o sacrifício. Chegando Samuel finalmente, disse a Saul que ele tinha desobedecido. ‘Jeová escolherá outro para ser rei de Israel’, disse Samuel.

Depois, Saul desobedeceu de novo. Samuel disse-lhe: ‘É melhor obedecer a Jeová do que oferecer-lhe a melhor ovelha. Já que não obedeceu a Jeová, ele não o manterá como rei de Israel.’

Aprendemos disso uma boa lição. Mostra quão importante é obedecer sempre a Jeová. Mostra também que alguém bom, assim como Saul, pode mudar e tornar-se mau. Não queremos tornar-nos maus, queremos?