Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 2

“Sereis testemunhas de mim”

“Sereis testemunhas de mim”

Como Jesus preparou seus apóstolos para tomar a liderança na obra de pregação

Baseado em Atos 1:1-26

1-3. Como Jesus partiu da Terra, e que perguntas surgem?

ELES não querem que tudo aquilo acabe. Para os apóstolos, as últimas semanas foram emocionantes! Com a ressurreição de Jesus, eles passaram da profunda tristeza à intensa alegria. Por 40 dias, Jesus apareceu repetidas vezes, dando instrução e encorajamento adicionais a seus seguidores. Hoje, porém, é o dia em que fará isso pela última vez.

2 Parados no monte das Oliveiras, os apóstolos escutam cada palavra de Jesus com muita atenção. Quando Jesus termina, o que para os apóstolos parece rápido demais, ele levanta as mãos e os abençoa. Então, começa a subir ao céu. Seus seguidores mantêm os olhos fixos em Jesus à medida que ele ascende ao céu. Por fim, uma nuvem o encobre. Ele desaparece, mas os apóstolos continuam olhando para o céu. — Luc. 24:50; Atos 1:9, 10.

3 Essa cena marcou um momento decisivo na vida dos apóstolos. O que  fariam agora que seu Mestre, Jesus Cristo, tinha ascendido ao céu? Podemos ter certeza de que Jesus os havia preparado para continuarem a obra que ele começou. Como ele os equipou para essa designação importante, e como os apóstolos agiram? De que maneira isso afeta os cristãos hoje? O primeiro capítulo do livro de Atos contém respostas animadoras a essas perguntas.

“Muitas provas positivas” (Atos 1:1-5)

4. Como Lucas começa seu relato no livro de Atos?

4 Lucas começa seu relato dirigindo-se a Teófilo, o mesmo homem a quem escreveu seu Evangelho. * Nos versículos iniciais, Lucas faz um resumo dos eventos registrados no fim do seu Evangelho, usando palavras diferentes e fornecendo mais detalhes. Assim, ele deixa claro que o livro de Atos é uma continuação do seu relato anterior.

5, 6. (a) O que ajudaria os seguidores de Jesus a manter forte a fé? (b) Por que podemos dizer que hoje a fé dos cristãos também se baseia em “muitas provas positivas”?

5 O que manteria forte a fé dos seguidores de Jesus? Lemos em Atos 1:3: “[Jesus] mostrou-se . . . vivo, por meio de muitas provas positivas.” Na Bíblia, apenas Lucas, “o médico amado”, usou o termo traduzido “provas positivas”. (Col. 4:14) Esse termo era usado em documentos de medicina e significa “evidências demonstráveis, conclusivas e confiáveis”. Jesus forneceu provas desse tipo. Ele apareceu muitas vezes a seus seguidores — em algumas ocasiões, a um ou dois deles; em outras, a todos os apóstolos; e em uma ocasião, a mais de 500 discípulos. (1 Cor. 15:3-6) Provas realmente incontestáveis!

6 Hoje, de forma similar, a fé dos cristãos verdadeiros baseia-se em “muitas provas positivas”. Será que há provas de que Jesus viveu na Terra, morreu por nossos pecados e foi ressuscitado? Com certeza! Relatos confiáveis de testemunhas oculares, registrados na Palavra inspirada de Deus, fornecem todas as provas convincentes de que precisamos. Estudar esses relatos e orar a respeito deles pode fortalecer muito a nossa fé. Lembre-se: provas conclusivas podem fazer a diferença entre a genuína fé e a mera credulidade. A genuína fé é essencial para ganhar a vida eterna. — João 3:16.

7. Que exemplo Jesus deixou aos seus seguidores quanto a ensinar e pregar?

7 Jesus também ‘contou a seus discípulos as coisas a respeito do reino de Deus’. Por exemplo, ele explicou profecias que mostravam que o Messias  teria de sofrer e morrer. (Luc. 24:13-32, 46, 47) Por esclarecer assim seu papel como Messias, Jesus deu ênfase ao Reino de Deus, pois ele era o Rei-Designado. O Reino sempre foi o tema da pregação de Jesus, e esse também é o tema da pregação dos seus seguidores hoje. — Mat. 24:14; Luc. 4:43.

“Até à parte mais distante da terra” (Atos 1:6-12)

8, 9. (a) Que duas ideias incorretas os apóstolos de Jesus demonstraram ter? (b) O que Jesus disse para corrigir o modo de pensar dos apóstolos, e o que isso ensina aos cristãos de hoje?

8 No monte das Oliveiras, os apóstolos reuniram-se com Jesus pela última vez na Terra. Com grande expectativa, perguntaram-lhe: “Senhor, é neste tempo que restabeleces o reino a Israel?” (Atos 1:6) Nessa pergunta, os apóstolos demonstraram que tinham duas ideias incorretas. Primeiro, eles achavam que o Reino de Deus seria restaurado ao Israel carnal. Segundo, eles esperavam que o prometido Reino começasse seu domínio imediatamente, ‘naquele tempo’. Como Jesus os ajudou a corrigir o modo como pensavam?

9 Jesus sem dúvida sabia que a primeira ideia seria logo corrigida. Na realidade, seus seguidores testemunhariam o nascimento de uma nova nação, o Israel espiritual, apenas dez dias mais tarde. Em breve, Deus deixaria de ter tratos com o Israel carnal. Quanto à segunda ideia, Jesus bondosamente lhes lembrou: “Não vos cabe obter conhecimento dos tempos ou das épocas que o Pai tem colocado sob a sua própria jurisdição.” (Atos 1:7) Jeová é o Grande Cronometrista. Antes de morrer, o próprio Jesus disse que, naquela época, nem mesmo o Filho sabia ‘o dia e a hora’ em que o fim viria, mas “unicamente o Pai”. (Mat. 24:36) Hoje, do mesmo modo, quando cristãos se preocupam demais com a data do fim deste sistema de coisas, eles estão, na verdade, preocupando-se com algo que não lhes “cabe”.

10. Que atitude dos apóstolos nós devemos cultivar, e por quê?

10 Mesmo assim, devemos tomar cuidado para não ter um conceito negativo dos apóstolos de Jesus, que eram homens de muita fé. Humildemente, eles aceitaram a correção que receberam de Jesus. Além disso, embora a pergunta deles se originasse de ideias incorretas, ela também revelava uma boa atitude. Jesus havia aconselhado seus seguidores repetidas vezes: “Mantende-vos vigilantes.” (Mat. 24:42; 25:13; 26:41) Eles estavam espiritualmente alertas, bem atentos a evidências de que Jeová agiria em breve. Precisamos cultivar essa mesma atitude hoje. Na verdade, estes “últimos dias” decisivos tornam ainda mais urgente que façamos isso. — 2 Tim. 3:1-5.

11, 12. (a) Que comissão Jesus deu a seus seguidores? (b) Por que era apropriado que Jesus relacionasse o espírito santo com a comissão de pregar?

11 Jesus lembrou aos apóstolos qual deveria ser a principal preocupação deles. Ele disse: “Ao chegar sobre vós o espírito santo, recebereis poder  e sereis testemunhas de mim tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria, e até à parte mais distante da terra.” (Atos 1:8) A ressurreição de Jesus seria proclamada primeiro em Jerusalém, onde as pessoas o tinham entregado à morte. Dali, a mensagem seria espalhada por toda a Judeia, Samaria e então mais além.

12 Apropriadamente, foi só depois de repetir a promessa de enviar o espírito santo para ajudar seus seguidores que Jesus falou a respeito da comissão de pregar. Essa é uma das mais de 40 vezes que a expressão “espírito santo” ocorre no livro de Atos. Vez após vez, esse livro emocionante deixa claro que não podemos fazer a vontade de Jeová sem a ajuda do espírito santo. Como é importante, então, orarmos regularmente, pedindo esse espírito! (Luc. 11:13) Hoje precisamos dele mais do que nunca.

13. Qual é a atual extensão da comissão de pregar dada por Deus, e por que devemos aceitar de coração essa comissão?

13 O significado do que constitui ‘a parte mais distante da terra’ mudou desde aqueles dias. Mesmo assim, conforme vimos no capítulo anterior, as Testemunhas de Jeová aceitaram de coração a comissão de pregar, pois sabem que Deus deseja que todo tipo de pessoa ouça as boas novas de Seu Reino. (1 Tim. 2:3, 4) Você está empenhado nessa obra que salva vidas? Não há obra mais gratificante e satisfatória do que essa. Jeová lhe dará a força necessária para realizá-la. O livro de Atos lhe mostrará que métodos usar e que atitude desenvolver para ser bem-sucedido.

14, 15. (a) O que os anjos disseram sobre a volta de Cristo, e o que eles queriam dizer? (Veja também a nota.) (b) Como a volta de Cristo ocorreu “da mesma maneira” que a sua partida?

14 Como mencionado no início deste capítulo, Jesus subiu ao céu e desapareceu. Apesar disso, os 11 apóstolos continuaram parados, olhando para cima. Por fim, dois anjos apareceram e, com brandura, repreenderam os apóstolos: “Homens da Galileia, por que estais parados aí olhando para o céu? Este Jesus, que dentre vós foi acolhido em cima, no céu, virá assim da mesma maneira em que o observastes ir para o céu.” (Atos 1:11) Será que os anjos queriam dizer que Jesus retornaria no mesmo corpo, conforme alguns religiosos ensinam? Não. Como sabemos disso?

15 Os anjos disseram que Jesus voltaria “da mesma maneira”, não na mesma forma. * De que maneira Jesus partiu? Quando os anjos falaram, não era mais possível vê-lo. Apenas os apóstolos perceberam que Jesus havia deixado a Terra e estava indo para o céu. Jesus voltaria de maneira similar. E assim aconteceu. Hoje, somente os que têm discernimento espiritual percebem que Jesus está presente com poder régio. (Luc. 17:20) Precisamos discernir as evidências da presença de Cristo e falar sobre elas a outras pessoas para que também vejam a urgência dos tempos em que vivemos.

 “Indica qual destes . . . tens escolhido” (Atos 1:13-26)

16-18. (a) Ao lermos Atos 1:13, 14, o que aprendemos a respeito das reuniões cristãs? (b) O que aprendemos do exemplo deixado por Maria, mãe de Jesus? (c) Por que as reuniões cristãs são vitais hoje?

16 Diante de tudo o que aconteceu, não é de admirar que os apóstolos tenham ‘voltado para Jerusalém com grande alegria’. (Luc. 24:52) Mas como eles reagiriam às orientações e instruções de Cristo? Em Atos capítulo 1, versículos 13 e 14, lemos que os apóstolos estavam reunidos em um “quarto de andar superior” e aprendemos alguns detalhes interessantes sobre as reuniões dos primeiros discípulos. Naquela época, era comum as casas na Palestina terem um cômodo no andar de cima, acessível por uma escada externa. Será que esse “quarto de andar superior” ficava na casa mencionada em Atos 12:12, que pertencia à mãe de Marcos? Seja como for, é provável que fosse um lugar simples e adequado para os seguidores de Cristo se reunirem. Mas quem esteve reunido ali, e o que fizeram?

17 Veja que naquela reunião não havia apenas os apóstolos nem se tratava de uma reunião exclusiva aos homens. “Algumas mulheres” estavam lá, incluindo Maria, mãe de Jesus. Essa é a última vez que a Bíblia menciona Maria de modo direto. É razoável concluir que ela não estava ali em busca de destaque, mas humildemente se reunia para adoração na companhia de seus irmãos espirituais. Deve ter sido consolador para Maria ver seus outros quatro filhos homens, que antes não eram seguidores de Jesus, reunidos ali. (Mat. 13:55; João 7:5) Esses homens haviam mudado desde a morte e ressurreição de Jesus, seu meio-irmão. — 1 Cor. 15:7.

18 Observe, também, por que esses discípulos se reuniram: “De comum acordo, todos eles persistiam em oração.” (Atos 1:14) Reunir-se sempre foi essencial na adoração cristã. Nós nos reunimos para encorajar uns aos outros, receber instruções e conselhos e, acima de tudo, adorar nosso Pai celestial, Jeová, junto com nossos irmãos. Nossas orações e cantos de louvor nessas ocasiões agradam muito a Jeová e são vitais para nós. Nunca deixemos de nos reunir nessas ocasiões sagradas e edificantes! — Heb. 10:24, 25.

19-21. (a) O que aprendemos do fato de Pedro ter desempenhado um papel ativo na congregação? (b) Por que foi necessário substituir Judas, e o que aprendemos do modo como o assunto foi resolvido?

19 Mas agora esses seguidores de Cristo estavam diante de um importante assunto organizacional, e o apóstolo Pedro tomou a iniciativa de abordá-lo. (Versículos 15-26) Não nos encoraja ver como Pedro se recuperou espiritualmente em poucas semanas, depois de negar seu Senhor três vezes? (Mar. 14:72) Todos nós somos pecadores e precisamos de relatos como esse para nos lembrar que Jeová é ‘bom e está pronto a perdoar’ os que se arrependem sinceramente. — Sal. 86:5.

20 Pedro chegou à conclusão de que Judas, o apóstolo que havia traído Jesus, devia ser substituído. Mas por quem? Pedro disse que o novo  apóstolo deveria ser alguém que tivesse seguido a Jesus durante Seu ministério e que tivesse testemunhado Sua ressurreição. (Atos 1:21, 22) Isso estava em harmonia com a promessa do próprio Jesus: “Vós, os que me seguistes, também estareis sentados em doze tronos, julgando as doze tribos de Israel.” (Mat. 19:28) Pelo visto, era do propósito de Jeová que 12 apóstolos que tivessem seguido a Jesus durante seu ministério terrestre constituíssem as futuras “doze pedras de alicerce” da Nova Jerusalém. (Rev. 21:2, 14) Assim, Deus permitiu que Pedro entendesse que a seguinte profecia se aplicava a Judas: “Tome outro seu cargo de superintendência.” — Sal. 109:8.

21 Como a escolha foi feita? Lançando-se sortes, uma prática comum nos tempos bíblicos. (Pro. 16:33) No entanto, essa é a última vez que a Bíblia fala a respeito de sortes sendo usadas dessa maneira. Pelo visto, o derramamento do espírito santo, que ocorreu depois, tornou aquele método obsoleto. Observe, porém, por que foram usadas sortes. Os apóstolos oraram: “Ó Jeová, tu que conheces os corações de todos, indica qual destes dois homens tens escolhido.” (Atos 1:23, 24) Eles queriam que Jeová fizesse a escolha. Matias, provavelmente um dos 70 discípulos que Jesus havia enviado para pregar, foi o escolhido. Assim, Matias tornou-se um dos “doze”. * — Atos 6:2.

22, 23. Por que devemos ser submissos e obedientes aos que hoje exercem a liderança na congregação?

22 Esse incidente nos lembra da importância de as coisas ocorrerem de forma organizada entre o povo de Deus. Até hoje, homens responsáveis são designados para servir como superintendentes nas congregações. Os anciãos consideram com cuidado as qualificações bíblicas que se exigem dos superintendentes e oram pedindo a orientação do espírito santo. Por isso, a congregação considera esses homens como designados pelo espírito santo. Da nossa parte, nós permanecemos submissos e obedientes à liderança desses homens, contribuindo para que haja um espírito de cooperação na congregação. — Heb. 13:17.

Nós permanecemos submissos e obedientes à liderança dos superintendentes designados

23 Depois de terem visto o ressuscitado Jesus e de terem feito alguns ajustes organizacionais, aqueles discípulos estavam fortalecidos e plenamente preparados para o que aconteceria a seguir. O próximo capítulo vai considerar isso.

^ parágrafo 4 Em seu Evangelho, Lucas trata Teófilo por “excelentíssimo”, levando alguns a concluir que Teófilo pode ter sido um homem importante que ainda não havia se tornado cristão. No livro de Atos, porém, Lucas dirige-se a ele simplesmente com as palavras “ó Teófilo”. Alguns estudiosos sugerem que Teófilo se tornou cristão depois de ler o Evangelho de Lucas e que, por isso, Lucas não mais se dirige a ele como “excelentíssimo”, mas o trata como irmão espiritual.

^ parágrafo 15 Aqui a Bíblia usa a palavra grega tró·pos, que significa “maneira”, e não mor·fé, que significa “forma”.

^ parágrafo 21 Mais tarde, Paulo foi designado “apóstolo para as nações”, mas nunca foi considerado um dos 12. (Rom. 11:13; 1 Cor. 15:4-8) Ele não tinha seguido a Jesus durante Seu ministério terrestre e, portanto, não se habilitava para esse privilégio especial.