Pular para conteúdo

Pular para sumário

 CAPÍTULO 3

“Cheios de espírito santo”

“Cheios de espírito santo”

O resultado do derramamento do espírito santo no Pentecostes

Baseado em Atos 2:1-47

1. Descreva o clima da Festividade de Pentecostes.

AS RUAS de Jerusalém estão cheias; e as pessoas, animadas. * A fumaça sobe do altar do templo à medida que os levitas cantam o Halel (Salmos 113 a 118), provavelmente em estilo antifônico, em que uma parte do coro canta e a outra parte responde. Há muitos visitantes nas ruas. Eles vieram de lugares tão distantes como Elão, Mesopotâmia, Capadócia, Ponto, Egito e Roma. * Qual é o motivo? A Festividade de Pentecostes, chamada também de o “dia dos primeiros frutos maduros”. (Núm. 28:26) Essa festividade anual marca o fim da colheita da cevada e o início da colheita do trigo. É um dia alegre.

2. Que eventos impressionantes ocorreram no Pentecostes de 33 EC?

2 Por volta das 9 horas dessa agradável manhã de maio de 33 EC, acontece algo que deixará pessoas admiradas durante séculos. De repente, ‘ocorre do céu um ruído, bem semelhante ao duma forte brisa impetuosa’, ou “parecido com o de uma ventania”. (Atos 2:2; Bíblia Fácil de Ler) O forte ruído enche a casa onde cerca de 120 discípulos de Jesus estão reunidos. A seguir, acontece algo impressionante. Línguas como que de fogo tornam-se visíveis, uma sobre a cabeça de cada discípulo. * Então os discípulos ficam “cheios de espírito santo” e começam a falar em línguas estrangeiras. Quando os discípulos saem da casa e começam a falar com os visitantes que encontram nas ruas de Jerusalém, estes ficam boquiabertos, pois cada visitante os ouve “falar no seu próprio idioma”. — Atos 2:1-6.

3. (a) Por que o Pentecostes de 33 EC pode ser considerado um marco na história da adoração verdadeira? (b) Qual é a relação entre o discurso de Pedro e o uso das “chaves do reino”?

3 Esse relato empolgante descreve um marco na história da adoração verdadeira: a formação do Israel espiritual, a congregação dos cristãos  ungidos. (Gál. 6:16) Além disso, quando Pedro se dirigiu à multidão naquele dia, ele usou a primeira das três “chaves do reino”. Cada uma dessas chaves abriria uma porta de privilégios especiais para diferentes grupos. (Mat. 16:18, 19) Essa primeira chave permitiu que judeus e prosélitos aceitassem as boas novas e fossem ungidos com o espírito santo de Deus. * Assim, eles se tornariam parte do Israel espiritual e, dessa forma, teriam a esperança de governar como reis e sacerdotes durante o Reino messiânico. (Rev. 5:9, 10) Com o tempo, esse privilégio se estenderia a samaritanos e então a gentios. O que os cristãos hoje podem aprender dos eventos importantes que ocorreram no Pentecostes de 33 EC?

“Todos eles estavam juntos no mesmo lugar” (Atos 2:1-4)

4. De que modo a atual congregação cristã é uma extensão da congregação formada em 33 EC?

4 A congregação cristã teve início com cerca de 120 discípulos que “estavam juntos no mesmo lugar”, uma sala de sobrado, e que foram ungidos com espírito santo. (Atos 2:1) No fim do dia, o número de membros batizados daquela congregação já havia chegado à casa dos milhares. Mas esse era só o começo do crescimento de uma organização que continua a se expandir hoje. De fato, um grupo de homens e mulheres tementes a Deus, a atual congregação cristã, é o meio pelo qual as “boas novas do reino” são “pregadas em toda a terra habitada, em testemunho a todas as nações” antes do fim deste sistema. — Mat. 24:14.

5. Qual seria a bênção de se associar com a congregação cristã, tanto no primeiro século como hoje?

5 A congregação cristã também seria fonte de encorajamento espiritual  para seus membros ungidos e, mais tarde, para as “outras ovelhas”. (João 10:16) Paulo demonstrou seu apreço pelo apoio que os membros da congregação dão uns aos outros quando escreveu aos cristãos em Roma: “Anseio ver-vos, para vos conferir algum dom espiritual, a fim de que sejais firmados; ou, antes, para que haja um intercâmbio de encorajamento entre vós, cada um por intermédio da fé que o outro tem, tanto a vossa como a minha.” — Rom. 1:11, 12.

6, 7. Como a congregação cristã hoje está cumprindo a comissão dada por Jesus de pregar a todas as nações?

6 Hoje, a congregação cristã tem os mesmos objetivos que tinha no primeiro século. Jesus deu a seus discípulos uma obra desafiadora e ao mesmo tempo emocionante. Ele lhes disse: “Fazei discípulos de pessoas de todas as nações, batizando-as em o nome do Pai, e do Filho, e do espírito santo, ensinando-as a observar todas as coisas que vos ordenei.” — Mat. 28:19, 20.

7 A congregação cristã das Testemunhas de Jeová é o meio pelo qual essa obra é realizada hoje. Sem dúvida é um desafio pregar a pessoas de diferentes idiomas. Apesar disso, as Testemunhas de Jeová produzem publicações bíblicas em mais de 400 idiomas. Caso você esteja assistindo regularmente às reuniões cristãs e participando na obra de pregar o Reino e fazer discípulos, tem motivos para se alegrar. Você está entre os relativamente poucos na Terra que têm o privilégio de dar testemunho cabal a respeito do nome de Jeová!

8. De que maneira os membros da congregação são abençoados individualmente?

8 Para ajudar você a perseverar com alegria durante estes tempos críticos, Jeová Deus providenciou uma associação mundial de irmãos. Paulo escreveu aos cristãos hebreus: “Consideremo-nos uns aos outros para nos estimularmos ao amor e a obras excelentes, não deixando de nos ajuntar, como é costume de alguns, mas encorajando-nos uns aos outros, e tanto mais quanto vedes chegar o  dia.” (Heb. 10:24, 25) A congregação cristã é uma provisão de Jeová para que você possa encorajar outros e também ser encorajado. Permaneça achegado a seus irmãos espirituais. Nunca deixe de estar presente às reuniões cristãs!

“Cada um os ouvia falar no seu próprio idioma” (Atos 2:5-13)

“Nós os ouvimos falar em nossas línguas sobre as coisas magníficas de Deus.” — Atos 2:11

9, 10. Como alguns se têm colocado à disposição para pregar aos que falam outro idioma?

9 Imagine como aquele diversificado grupo de judeus e prosélitos deve ter ficado emocionado no Pentecostes de 33 EC. É provável que a maioria dos presentes tivesse um idioma em comum, talvez o grego ou o hebraico. Mas agora “cada um os ouvia [ou seja, os discípulos] falar no seu próprio idioma”. (Atos 2:6) Ouvir as boas novas em sua língua materna com certeza tocou o coração daqueles ouvintes. Naturalmente, os cristãos de hoje não possuem o dom milagroso de falar em línguas estrangeiras. No entanto, muitos se têm colocado à disposição para divulgar a mensagem do Reino a pessoas de todas as nacionalidades. Como? Alguns aprendem um novo idioma para poder apoiar uma congregação de língua estrangeira em sua região ou até para se mudar para outro país. Com frequência, eles observam que os ouvintes ficam admirados pelos seus esforços.

10 Veja o caso de Christine, que fez um curso de guzerate com outras sete Testemunhas de Jeová. Ao encontrar com uma colega de trabalho cuja língua materna é o guzerate, Christine a cumprimentou nesse idioma. A mulher ficou impressionada e quis saber por que ela estava se esforçando para aprender guzerate. Christine pôde então dar um excelente testemunho. A mulher disse-lhe: “Nenhuma outra religião incentivaria seus membros a aprender uma língua tão difícil. Vocês devem ter algo muito importante para dizer.”

11. Como podemos fazer bom uso do folheto Boas Novas para Pessoas de Todas as Nações?

 11 É claro que nem todos nós podemos aprender uma nova língua, mas podemos estar preparados para pregar a mensagem do Reino a pessoas que falam outros idiomas. Como? Uma maneira é usar o folheto Boas Novas para Pessoas de Todas as Nações. Esse folheto contém uma mensagem breve em vários idiomas. Observe um caso em que essa publicação foi bem usada. Uma família de Testemunhas de Jeová visitou três parques nacionais pouco depois do lançamento do folheto. Nesses locais, encontraram pessoas das Filipinas, da Holanda, da Índia e do Paquistão. O marido disse: “Apesar de todas elas falarem um pouco de inglês, ficaram muito impressionadas quando lhes mostramos a mensagem em sua própria língua, mesmo estando a milhares de quilômetros de casa. Elas puderam notar claramente a natureza internacional de nossa obra e a união que há entre nós.”

“Pedro pôs-se de pé” (Atos 2:14-37)

12. (a) Como a profecia de Joel já apontava para o evento milagroso que ocorreu no Pentecostes de 33 EC? (b) Por que se esperava um cumprimento da profecia de Joel no primeiro século?

12 “Pedro pôs-se de pé” para falar com a multidão de várias nacionalidades. (Atos 2:14) A todos que estavam dispostos a ouvir, ele explicou que o dom milagroso de falar em línguas tinha sido dado por Deus em cumprimento da profecia de Joel: “Derramarei meu espírito sobre toda sorte de carne.” (Joel 2:28) Antes de ascender ao céu, Jesus disse a seus discípulos: “Eu solicitarei ao Pai e ele vos dará outro ajudador”, o qual Jesus identificou como “o espírito”. — João 14:16, 17.

13, 14. Como Pedro se esforçou para tocar o coração de seus ouvintes, e como podemos imitá-lo?

13 Ao concluir seu discurso, Pedro foi franco ao dizer: “Que toda a casa de Israel saiba com certeza que Deus o fez tanto Senhor como Cristo, a este Jesus, a quem pregastes numa estaca.” (Atos 2:36)  Evidentemente, a maioria das pessoas ali não presenciou a morte de Jesus na estaca de tortura. Mas, como membros da nação, eles também tinham parte da culpa. Note, porém, que Pedro se dirigiu a seus companheiros judeus de modo respeitoso, tentando tocar-lhes o coração. O objetivo de Pedro não era condená-los, mas levá-los ao arrependimento. Será que a multidão se ofendeu com as palavras de Pedro? De forma alguma. Em vez disso, as pessoas ficaram ‘compungidas no coração’. Perguntaram: “O que havemos de fazer?” Sem dúvida, o modo positivo como Pedro falou contribuiu para tocar o coração de muitos, levando-os a se arrepender. — Atos 2:37.

14 Assim como Pedro, nós também podemos tentar tocar o coração das pessoas. Na pregação, não precisamos corrigir todo conceito antibíblico que o morador talvez tenha. Em vez disso, seria melhor nos concentrarmos naquilo que temos em comum com ele. Se fizermos isso, poderemos raciocinar com tato, usando a Palavra de Deus. Em geral, as pessoas sinceras aceitam nossa mensagem com mais facilidade quando apresentamos as verdades bíblicas dessa forma.

“Cada um de vós seja batizado” (Atos 2:38-47)

15. (a) O que Pedro disse a judeus e prosélitos, e qual foi o resultado? (b) Por que milhares que ouviram as boas novas no Pentecostes de 33 EC puderam qualificar-se para o batismo naquele mesmo dia?

15 No emocionante dia do Pentecostes de 33 EC, Pedro disse a judeus e prosélitos receptivos: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado.” (Atos 2:38) Em resultado disso, cerca de 3 mil pessoas foram batizadas, provavelmente em reservatórios em Jerusalém ou perto dali. * Eles agiram por impulso? Será que esse relato serve de precedente para que estudantes da Bíblia ou filhos de pais cristãos se apressem a se batizar  antes de estarem prontos? De modo algum. Lembre-se de que aqueles judeus e prosélitos que foram batizados no Pentecostes de 33 EC eram aplicados estudantes da Palavra de Deus e faziam parte de uma nação que antes era dedicada a Jeová. Além disso, eles já estavam demonstrando seu zelo — em alguns casos, viajando grandes distâncias para estarem presentes a essa festividade anual. Depois de aceitarem as verdades vitais a respeito do papel de Jesus Cristo no cumprimento do propósito de Deus, eles estavam prontos para continuar servindo a Deus — mas agora como seguidores batizados de Cristo.

16. Como os cristãos do primeiro século demonstraram um espírito de abnegação?

16 Aquele grupo com certeza tinha a bênção de Jeová. O relato diz: “Todos os que se tornavam crentes estavam unidos em terem todas as coisas em comum, e foram vender as suas propriedades e bens, e distribuir a receita entre todos, conforme alguém tivesse necessidade.” * (Atos 2:44, 45) Certamente, todos os cristãos verdadeiros querem imitar esse espírito de amor e abnegação.

17. Que passos são necessários para alguém se qualificar para o batismo?

17 A Bíblia mostra que, antes da dedicação e do batismo cristãos, vários passos são necessários. A pessoa precisa obter conhecimento da Palavra de Deus. (João 17:3) Ela tem de exercer fé e demonstrar genuíno arrependimento de seu anterior modo de vida. (Atos 3:19) Daí, precisa converter-se, ou dar meia-volta, e passar a agir em harmonia com a vontade de Deus. (Rom. 12:2; Efé. 4:23, 24) Depois de dar esses passos, a pessoa dedica-se a Deus em oração e então é batizada. — Mat. 16:24; 1 Ped. 3:21.

18. Que privilégio está disponível para os discípulos batizados de Cristo?

18 Você é um discípulo dedicado e batizado de Jesus Cristo? Em caso afirmativo, seja grato pelo privilégio que recebeu. Como os discípulos do primeiro século que ficaram cheios de espírito santo, você também pode receber poder de Jeová para dar testemunho cabal e fazer a vontade dele!

^ parágrafo 2 As “línguas” não eram de fogo literal, mas “como que de fogo”, pelo visto indicando que aquela manifestação vista sobre cada discípulo tinha a aparência e o brilho de fogo.

^ parágrafo 15 Para efeito de comparação, em 7 de agosto de 1993, num congresso internacional das Testemunhas de Jeová em Kiev, Ucrânia, 7.402 pessoas foram batizadas em seis piscinas, o que levou duas horas e quinze minutos.

^ parágrafo 16 Essa medida temporária foi necessária porque os visitantes permaneceram em Jerusalém para obter mais instrução espiritual. Foi uma ação voluntária e não deve ser confundida com alguma forma de comunismo. — Atos 5:1-4.