Pular para conteúdo

Pular para sumário

 HISTÓRIA 35

A oração de Ana

A oração de Ana

Um homem chamado Elcana viajava todo ano com a família para adorar a Jeová na cidade de Silo, onde o tabernáculo estava montado. Ele tinha duas esposas, Ana e Penina. Mas ele gostava mais de Ana. Penina tinha muitos filhos, só que Ana não tinha nenhum. E Penina vivia maltratando Ana por causa disso. Uma vez, quando eles estavam em Silo, Elcana viu que Ana estava muito triste. Ele ficou preocupado e foi conversar com ela, mas não adiantou.

Depois de um tempo, Ana saiu para orar. Chorando muito, ela disse:

— Jeová, se o Senhor me der um filho, eu prometo que eu vou levá-lo ao tabernáculo e ele vai trabalhar a vida toda para o Senhor.

O sumo sacerdote Eli não achou que Ana estava orando. Ele achou que ela estava bêbada. Ana falou com ele:

— Não, meu senhor, eu juro que não bebi. Eu tô sofrendo muito e por isso vim aqui falar com Jeová.

Eli viu que estava errado e disse que Jeová ia dar o que Ana queria. Então, ela foi embora mais animada. Não demorou muito e Ana teve um filho chamado Samuel. Ela deve ter ficado muito feliz, não acha?

 Será que Ana esqueceu da promessa que tinha feito para Jeová? Não! Assim que Samuel parou de mamar, ela o levou para o tabernáculo. Entregando Samuel para Eli, Ana disse:

— Lembra que eu tinha feito um pedido pra Jeová? Ele me ouviu e me deu um filho. Ele vai servir a Jeová a vida toda.

Todo ano, Ana e Elcana iam visitar o filho e levar uma roupa nova para ele. Depois Jeová deu mais três filhos e duas filhas para Ana.

“Persistam em pedir, e lhes será dado; persistam em buscar, e acharão.” — Mateus 7:7