Pular para conteúdo

Pular para sumário

México: Eles aprenderam braile juntos

 PREGAÇÃO E ENSINO NO MUNDO INTEIRO

As Américas

As Américas
  • PAÍSES 57

  • POPULAÇÃO 998.254.087

  • PUBLICADORES 4.154.608

  • ESTUDOS BÍBLICOS 4.353.152

“A gente pode aprender junto”

Ismael, que mora no México, ficou cego. Antes disso, ele tinha lido a Bíblia duas vezes em menos de um ano. Já fazia um tempo que ele era cego quando o irmão Ángel falou com ele sobre as promessas de Deus. Ismael gostou e quis saber mais. Só que ele disse: “Agora que sou cego, não consigo mais ler a Bíblia.”

 Ángel respondeu: “Não tem problema. Eu te ensino a ler braile.”

Ismael perguntou: “Ah, você sabe ler braile?”

Ángel respondeu: “Não, mas a gente pode aprender junto.” Ismael não acreditou que Ángel fosse fazer isso. Mas Ángel fez pesquisas sobre como ler braile. Daí ele pegou um pedaço de cartolina e fez os pontinhos que formavam as letras do alfabeto braile e começou a ensinar o braile para Ismael. Em pouco tempo, Ismael aprendeu o alfabeto, começou a assistir às reuniões e a ler as publicações em braile. Hoje, Ángel tem quatro estudantes cegos. Eles gostam muito de conversar sobre o Paraíso, onde eles vão enxergar.

“Eu nem percebi quem era”

Viannei, uma irmã de 14 anos nos Estados Unidos, escreveu: “Na aula de Estudos Sociais, o professor substituto começou a falar sobre religião. Ele pediu para a gente dizer o nome de religiões. Quando eu disse Testemunhas de Jeová, os outros alunos riram e disseram que jogavam fora as nossas publicações. Também achavam que as Testemunhas de Jeová fazem as pessoas perder tempo e que não têm o que fazer. Até o professor começou a falar mal de nós.

“Eu pedi para Jeová me ajudar a dar testemunho. Daí, virei para a sala e disse que a gente não vai na casa das pessoas para tomar o tempo delas. Nós vamos porque Jeová quer que a gente mostre os bons conselhos da  Bíblia. Eu pedi para eles não jogarem fora nossas publicações porque elas poderiam mudar a vida deles e dar uma esperança para o futuro. Daí, o professor pediu desculpas e disse que na próxima vez que uma Testemunha de Jeová fosse na casa dele, ele ia atender, escutar e ler o que elas deixassem. Eu não levei a sério.

“Eu só vi esse professor de novo quatro meses depois. Ele contou que estava estudando a Bíblia. Eu nem acreditei!  Depois de mais seis meses, ele foi até a escola para me agradecer por ter dado testemunho para ele. Ele estava tão diferente que eu nem percebi quem era. Ele tinha cortado o cabelo e feito a barba. Hoje, ele é publicador não batizado.”

Campanha de pregação no Amazonas

No ano passado, as Testemunhas de Jeová no Brasil deram uma atenção especial para a enorme região  amazônica. Muitas pessoas ali nunca tinham falado com uma Testemunha de Jeová. Por isso, o Corpo Governante aprovou uma campanha especial de um ano naquela região. O objetivo era pregar para milhares de pessoas que vivem em áreas isoladas.

Brasil: Pregação no Amazonas

Essa campanha de pregação foi realizada em 53 cidades escolhidas por Betel. Muitas dessas cidades ficam nas margens dos rios. Em apenas quatro meses, mais de 6.500 publicadores se ofereceram para ir ao Amazonas.

Uma dessas cidades foi Anamã, que não tinha publicadores. Durante a campanha, dez irmãos e irmãs pregaram na cidade por 11 dias. Eles colocaram mais de 12.500 publicações e abriram uns 200 estudos bíblicos, que estão sendo dirigidos por telefone. Nesse período, os irmãos também fizeram reuniões na cidade. Eles ficaram muito animados com a presença de 90 pessoas na última reunião. Essa campanha ainda vai dar muito que falar.

A solução foi o jw

Mariana e Jehizel são duas jovens da Venezuela. Faz seis anos que elas estudam na mesma classe. Jehizel é Testemunha de Jeová e, por causa disso, Mariana sempre pegava no pé dela. Ela dizia que Jehizel não sabia aproveitar a vida. Um dia, depois de aguentar Mariana falando no seu ouvido, Jehizel teve uma ideia. Ela disse: “Mariana, entra no site jw.org. Clique em ‘Encontre vídeos’ e depois em ‘Adolescentes’.”

À tarde, Mariana ligou para Jehizel e disse: “Agora eu te entendo.”

 Jehizel não sabia se ela estava falando sério e perguntou: “Você tá me zoando de novo?”

Mariana respondeu: “Não, eu nunca mais vou te zoar. Na verdade, eu queria dizer obrigada. Eu achava que sabia aproveitar a vida e tomar minhas próprias decisões. Mas percebi que só estou me dando mal.” Elas combinaram de estudar a Bíblia, e agora Mariana não perde as reuniões.

Ela fez quatro perguntas

Gérole trabalhava como secretária de uma igreja no Haiti. Ela achava incrível as Testemunhas de Jeová responderem todas as suas perguntas usando a Bíblia. Ela  e a filha começaram a estudar. Elas gostavam tanto do estudo que pediram para estudar duas vezes por semana.

Depois de três meses, Gérole foi até o pastor da igreja dela e fez quatro perguntas: “Em que ano Jesus se tornou Rei? Pra onde as pessoas boas vão depois que morrem? E os maus, pra onde vão? Jesus morreu numa cruz ou numa estaca?” O pastor disse que só sabia responder duas perguntas. Ele disse: “As Testemunhas de Jeová dizem que só 144 mil pessoas vão para o céu. Mas isso não é verdade. Todo mundo que faz a vontade de Deus vai para o céu. E os maus vão queimar para sempre no inferno.” Gérole queria que ele mostrasse isso na Bíblia, mas ele não conseguiu. A decepção foi tão grande que ela ficou com mais vontade ainda de continuar estudando com as Testemunhas de Jeová. Ela decidiu abandonar de vez a religião dela. Gérole disse que em três meses ela aprendeu mais sobre a Bíblia estudando com as Testemunhas de Jeová do que nos 30 anos que ela ficou na igreja. Faz pouco tempo que ela e a filha foram batizadas. Hoje, elas dirigem 23 estudos na vila onde moram.

Haiti: Gérole e a filha têm muitos estudos