Pular para conteúdo

Pular para sumário

 REPÚBLICA DOMINICANA

O primeiro surdo a aceitar a verdade

José Pérez

O primeiro surdo a aceitar a verdade
  • ANO DE NASCIMENTO 1960

  • ANO DE BATISMO 1982

  • RESUMO BIOGRÁFICO Quando menino, José foi atraído à verdade por ver o amor demonstrado pelos irmãos, apesar de ninguém na congregação saber língua de sinais.

QUANDO criança, perdi a audição e aprendi língua de sinais numa escola para surdos. Aos 11 anos, tive meu primeiro contato com a verdade quando uma família do meu bairro que era Testemunha de Jeová me convidou para uma reunião. Embora eu não tenha entendido os discursos, fui muito bem recebido e decidi continuar a assistir às reuniões. Muitos na congregação me convidavam para tomarmos refeições juntos e para outras atividades.

Eu me tornei publicador e fui batizado em 1982. Em 1984, casei-me com Eva, que também era surda. Nós não entendíamos bem algumas verdades bíblicas, mas tínhamos certeza de que aquela era a organização de Jeová por causa de seu sinal identificador, o amor, e gostávamos de fazer parte da congregação. — João 13:35.

 Em 1992, foram organizadas aulas para ensinar língua de sinais americana (ASL) a alguns publicadores. Em pouco tempo, eles começaram a procurar pessoas surdas e a pregar as boas novas a elas. Daí, em 1994, o campo de língua de sinais ganhou força quando um casal de Porto Rico foi convidado à sede na República Dominicana para ensinar ASL a 25 irmãos.

Mais tarde naquele ano, eu e Eva começamos a assistir às reuniões no recém-formado grupo de língua de sinais. Foi só a partir daí que começamos a entender melhor os detalhes de ensinos bíblicos como, por exemplo, o desafio de Satanás contra a soberania universal de Jeová e o papel do Reino messiânico no propósito de Deus.

Em 1.° de dezembro de 1995, foram formadas congregações em ASL nas cidades de Santo Domingo e Santiago. Em agosto de 2014, já havia 26 congregações e 18 grupos em ASL.

Eu e Eva ensinamos língua de sinais a nossos três filhos como seu primeiro idioma. Nosso filho mais velho, Éber, ajuda na tradução de ASL na sede nos Estados Unidos. Eu sou servo ministerial, e Eva é pioneira regular.