O segundo de Samuel 14:1-33

14  Joabe, filho de Zeruia,+ ficou sabendo que o rei estava com saudades de Absalão.+  Assim, Joabe mandou buscar uma mulher inteligente em Tecoa+ e lhe disse: “Por favor, finja que está de luto; vista-se com roupas de luto e não passe óleo no corpo.+ Aja como uma mulher que há muito tempo chora por um morto.  Depois vá ao rei e fale o que eu vou lhe dizer.” Assim, Joabe pôs as palavras na sua boca.*  A mulher de Tecoa compareceu perante o rei, prostrou-se, lançando-se com o rosto por terra, e disse: “Ajude-me, ó rei!”  O rei lhe perguntou: “Qual é o problema?” Ela respondeu: “Sou viúva; meu marido morreu  e deixou a sua serva com dois filhos. Eles brigaram no campo e não havia ninguém que os apartasse. Um deles golpeou o outro e o matou.  Agora toda a família ficou contra a sua serva, e estão dizendo: ‘Entregue-nos aquele que matou o seu irmão. Nós vamos matá-lo para que ele pague pela vida* do seu irmão, a quem matou,+ mesmo que isso signifique eliminar o herdeiro!’ Eles querem apagar a última brasa que me restou,* e querem deixar o meu marido sem nome e sem nenhum sobrevivente* na face da terra.”  O rei disse então à mulher: “Vá para casa, e eu mandarei cuidar do seu caso.”  Então a mulher de Tecoa disse ao rei: “Ó meu senhor, o rei, que a culpa recaia sobre mim e sobre a casa de meu pai, e que o rei e seu trono sejam inocentes.” 10  O rei respondeu: “Se alguém falar mais alguma coisa com você sobre isso, traga-o a mim, e ele nunca mais a incomodará.” 11  Mas ela disse: “Por favor, ó rei, lembre-se de Jeová, seu Deus, para que o vingador do sangue+ não cause dano e mate meu filho.” Ele respondeu: “Tão certo como Jeová vive,+ nenhum fio de cabelo do seu filho cairá ao chão.” 12  A mulher disse então: “Por favor, deixe que a sua serva fale mais uma coisa ao meu senhor, o rei.” Ele respondeu: “Fale!” 13  A mulher disse: “Por que então o senhor pensou em fazer a mesma coisa contra o povo de Deus?+ Falando assim, o rei está condenando a si mesmo, pois baniu o seu próprio filho e não o traz de volta.+ 14  Certamente, todos nós morreremos e seremos como águas derramadas no chão, que não podem ser recuperadas. Mas Deus não tiraria uma vida;* e ele procura motivos para que aquele que foi banido não permaneça afastado dele. 15  Vim aqui para dizer isso ao meu senhor, o rei, porque fiquei com medo do povo. Sua serva pensou: ‘Vou falar com o rei. Talvez o rei atenda ao pedido da sua escrava. 16  O rei talvez me ouça e livre a sua escrava das mãos do homem que está tentando eliminar a mim e ao meu único filho da herança que Deus nos deu.’+ 17  Sua serva também pensou: ‘Que a palavra do meu senhor, o rei, me tranquilize’, pois meu senhor, o rei, é como um anjo do verdadeiro Deus, capaz de discernir entre o bem e o mal. Que Jeová, seu Deus, esteja com o senhor.” 18  Então o rei disse à mulher: “Não esconda nada do que eu lhe perguntar.” A mulher disse: “Por favor, fale, meu senhor, o rei.” 19  Então o rei perguntou: “Foi Joabe quem mandou você falar tudo isso?”+ A mulher respondeu: “Tão certo como o senhor* vive, ó rei, é exatamente como* o senhor diz, pois foi o seu servo Joabe que me instruiu e colocou todas essas palavras na boca da sua serva. 20  Seu servo Joabe fez isso para mudar a aparência das coisas, mas o meu senhor é sábio como um anjo do verdadeiro Deus, e sabe tudo o que está acontecendo no país.” 21  Depois, o rei disse a Joabe: “Está bem, vou fazer isso.+ Vá e traga de volta o jovem Absalão.”+ 22  Nisto Joabe prostrou-se, lançando-se com o rosto por terra, e louvou o rei. Joabe disse: “Hoje o seu servo sabe que achou favor aos seus olhos, ó meu senhor, o rei, porque o rei atendeu ao pedido do seu servo.” 23  Então Joabe se levantou, foi a Gesur+ e trouxe Absalão a Jerusalém. 24  No entanto, o rei disse: “Que ele volte para casa, mas não compareça à minha presença.” Portanto, Absalão voltou para casa e não compareceu perante o rei. 25  Em todo o Israel não havia homem que fosse tão elogiado por sua beleza quanto Absalão. Da cabeça aos pés,* ele era sem defeito. 26  Quando cortava o cabelo (ele tinha de fazer isso no final de cada ano, porque ficava muito pesado), este pesava 200 siclos,* segundo o peso real de pedra.* 27  Absalão teve três filhos+ e uma filha. Ela se chamava Tamar e era uma mulher muito bonita. 28  E Absalão ficou morando em Jerusalém por dois anos inteiros, mas não compareceu perante o rei.+ 29  Portanto, Absalão mandou chamar Joabe, a fim de enviá-lo ao rei, mas ele não quis vir. Então mandou chamá-lo novamente, pela segunda vez, mas ainda assim ele não quis vir. 30  Por fim, Absalão disse aos seus servos: “O terreno de Joabe fica ao lado do meu, e ele tem ali uma plantação de cevada. Vão e ponham fogo nela.” Assim, os servos de Absalão puseram fogo na plantação. 31  Em vista disso, Joabe foi à casa de Absalão e lhe perguntou: “Por que os seus servos puseram fogo na minha plantação?” 32  Absalão respondeu a Joabe: “Eu enviei a você esta mensagem: ‘Venha e deixe-me enviá-lo ao rei para perguntar: “Por que voltei de Gesur?+ Seria melhor eu ter ficado lá. Agora deixe-me ver o rei, e, se sou culpado de alguma coisa, que ele me mate.”’” 33  Assim, Joabe foi até o rei e lhe contou isso. Então o rei chamou Absalão, que se apresentou ao rei e se prostrou, lançando-se com o rosto por terra diante do rei. E o rei beijou Absalão.+

Notas de rodapé

Ou: “disse o que ela devia falar”.
Ou: “alma”.
Isto é, a última esperança de ter descendentes.
Lit.: “restante”.
Ou: “alma”.
Ou: “sua alma”.
Ou: “ninguém pode ir nem para a esquerda nem para a direita do que”.
Ou: “Desde a sola dos pés até o alto da cabeça”.
Cerca de 2,3 kg. Veja Ap. B14.
Esse pode ter sido um peso-padrão guardado no palácio real ou um siclo “real”, que era diferente do siclo comum.

Notas de estudo

Mídia