A Primeira aos Coríntios 3:1-23

3  Assim, irmãos, não lhes pude falar como a homens espirituais,+ mas como a homens carnais, como a criancinhas+ em Cristo.  Eu os alimentei com leite, não com alimento sólido, pois vocês ainda não eram fortes o suficiente. De fato, nem mesmo agora são fortes o suficiente,+  pois ainda são carnais.+ Visto que há entre vocês ciúme e brigas,+ não é verdade que são carnais+ e estão andando como homens?  Pois, quando um diz: “Eu pertenço a Paulo”, mas outro diz: “Eu a Apolo”,+ será que vocês não estão agindo como simples homens?  O que, então, é Apolo? Sim, o que é Paulo? Ministros+ por meio de quem vocês se tornaram crentes, assim como o Senhor concedeu a cada um.  Eu plantei,+ Apolo regou,+ mas Deus fazia crescer,  de modo que nem o que planta nem o que rega são alguma coisa, mas sim Deus, que faz crescer.+  Quem planta e quem rega são um só, mas cada um receberá a sua própria recompensa, segundo o seu próprio trabalho.+  Pois somos colaboradores de Deus.+ Vocês são lavoura de Deus, edifício de Deus.+ 10  Segundo a bondade imerecida de Deus que me foi concedida, eu lancei um alicerce+ como construtor perito, mas outro constrói sobre ele. Que cada um, porém, preste atenção a como constrói sobre ele. 11  Pois ninguém pode lançar outro alicerce, a não ser o que já foi lançado, que é Jesus Cristo.+ 12  Ora, se alguém construir sobre o alicerce com ouro, prata, pedras preciosas, ou com madeira, feno, palha, 13  a qualidade da obra de cada um ficará evidente,* pois o dia a porá à mostra; porque será revelada por meio de fogo,+ e o próprio fogo mostrará que tipo de obra cada um realizou. 14  Se a obra que alguém construiu sobre o alicerce permanecer, ele receberá uma recompensa; 15  caso se queime a obra de alguém, ele sofrerá perda, mas ele mesmo será salvo; contudo, nesse caso, será como que através do fogo. 16  Vocês não sabem que são templo de Deus+ e que o espírito de Deus mora em vocês?+ 17  Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; pois o templo de Deus é santo, e vocês são esse templo.+ 18  Que ninguém engane a si mesmo: se alguém entre vocês pensa que é sábio neste sistema de coisas, torne-se tolo, para que se torne sábio.+ 19  Porque a sabedoria deste mundo é tolice perante Deus, pois está escrito: “Ele apanha os sábios na sua própria astúcia.”+ 20  E também: “Jeová sabe que os raciocínios dos sábios são fúteis.”+ 21  Assim, que ninguém ponha seu orgulho nos homens; porque a vocês pertence tudo: 22  quer Paulo, quer Apolo, quer Cefas,+ quer o mundo, quer a vida, quer a morte, quer as coisas presentes, quer as coisas por vir, tudo pertence a vocês; 23  vocês, por sua vez, pertencem a Cristo;+ Cristo, por sua vez, pertence a Deus.

Notas de rodapé

Ou: “será claramente vista”. Lit.: “será tornada manifesta”.

Notas de estudo

com leite, não com alimento sólido: Assim como o leite ajuda a criança a crescer e se desenvolver, os ensinos básicos da Bíblia ajudam os que se tornam cristãos a crescer e se desenvolver em sentido espiritual. (He 5:12–6:2) Essas verdades básicas são essenciais para a salvação. (1Pe 2:2) Mas Paulo queria que os cristãos em Corinto continuassem crescendo em sentido espiritual ou, como ele disse aos cristãos judeus em Jerusalém, que eles ‘avançassem à madureza’. (He 6:1) Assim, Paulo mostra aqui que é importante ingerir alimento sólido, ou seja, verdades espirituais profundas.

Apolo: Este cristão judeu de Alexandria tinha viajado de Éfeso para Corinto, onde ele ajudou os que tinham se tornado cristãos. (At 18:24-28; 19:1; veja a nota de estudo em At 18:24.) Apolo “regou” as sementes que Paulo tinha plantado em Corinto. — 1Co 3:5, 6; veja a nota de estudo em 1Co 16:12.

servo: Ou: “ministro”. A Bíblia muitas vezes usa a palavra grega diákonos para se referir a uma pessoa que presta serviço a outros de modo humilde e perseverante. A Bíblia usa essa palavra para descrever Jesus (Ro 15:8); os ministros, ou servos, de Cristo (1Co 3:5-7; Col 1:23); e os servos ministeriais (Fil 1:1; 1Ti 3:8). A palavra também é usada para se referir a servos domésticos (Jo 2:5, 9) e a autoridades do governo (Ro 13:4).

servo: Ou: “ministro”. A Bíblia muitas vezes usa a palavra grega diákonos para se referir a uma pessoa que presta serviço a outros de modo humilde. (Veja a nota de estudo em Mt 20:26.) Aqui, essa palavra é usada para se referir a Cristo. Antes de vir para a Terra, Jesus já tinha servido a Jeová por incontáveis anos. Mas, depois que Jesus veio para a Terra e se batizou, ele passou a realizar um novo serviço, que envolvia cuidar das necessidades espirituais dos humanos pecadores. Como parte desse serviço, ele chegou até mesmo a dar sua vida como resgate. (Mt 20:28; Lu 4:16-21) Paulo diz que Jesus se tornou servo dos judeus circuncisos para mostrar a veracidade de Deus, porque, como parte de seu serviço, Jesus cumpriu promessas que Deus tinha feito aos antepassados deles. Entre elas, estava a promessa que Deus fez a Abraão de que todas as nações da Terra seriam abençoadas por meio do descendente dele. (Gên 22:17, 18) Essa promessa mostrava que o serviço de Jesus também beneficiaria pessoas das nações, que iriam ‘basear a sua esperança’ nele. — Ro 15:9-12.

Ministros: Ou: “Servos”. A Bíblia muitas vezes usa a palavra grega diákonos para se referir a uma pessoa que presta serviço a outros de modo humilde e perseverante. (Veja a nota de estudo em Mt 20:26.) Em Ro 15:8, essa palavra é usada para se referir a Jesus. (Veja a nota de estudo.) Aqui em 1Co 3:5, Paulo fala de si mesmo e de Apolo como ministros, ou servos, que tinham ajudado os coríntios a se tornarem cristãos. O ministério de Paulo e Apolo (assim como o ministério de qualquer cristão batizado) envolvia ajudar outras pessoas a satisfazerem suas necessidades espirituais. — Lu 4:16-21.

Eu plantei, Apolo regou: Aqui, Paulo compara o ministério cristão ao trabalho de um lavrador. Quando Paulo levou as boas novas para as pessoas de Corinto, era como se ele estivesse plantando uma semente (a mensagem do Reino) em uma lavoura. O trabalho que Apolo fez depois, continuando a ensinar aquelas pessoas, poderia ser comparado a regar e nutrir a semente. (At 18:24; 19:1) Mas foi Deus, por meio do seu espírito, quem fez aqueles novos discípulos crescerem em sentido espiritual. O ponto da ilustração de Paulo era que o crescimento espiritual não depende dos esforços individuais de nenhum humano. Todos são ministros, trabalhando juntos como “colaboradores de Deus”. (1Co 3:9) Deus, por sua vez, abençoa os esforços altruístas de seus servos e é o verdadeiro responsável pelo crescimento.

somos um: Ou: “estamos em união”. Este comentário de Jesus mostra que ele e seu Pai estão unidos em proteger as pessoas semelhantes a ovelhas e em guiá-las para a vida eterna. O Pai e o Filho fazem juntos esse trabalho de pastoreio. Os dois têm a mesma preocupação com as ovelhas e não permitem que ninguém as arranque da mão deles. (Jo 10:27-29; compare com Ez 34:23, 24.) O Evangelho de João menciona muitas vezes o companheirismo e a união de pensamento que existem entre o Pai e o Filho. A palavra grega traduzida aqui como “um” está, não no gênero masculino (indicando “uma pessoa”), mas no gênero neutro (indicando “uma coisa”). Isso apoia a ideia de que Jesus e seu Pai são “um”, não porque sejam a mesma pessoa, mas porque cooperam um com o outro. (Jo 5:19; 14:9, 23) Uma comparação entre as palavras de Jesus aqui no capítulo 10 com a oração dele registrada no capítulo 17 confirma que Jesus estava dizendo que ele e seu Pai estão unidos nos seus objetivos, não que eles são iguais em divindade. (Jo 10:25-29; 17:2, 9-11) Isso fica claro no pedido que Jesus fez a seu Pai sobre seus seguidores: “Que [eles] sejam um, assim como nós somos um.” (Jo 17:11) Dessa forma, pode-se concluir que os capítulos 10 e 17 de João falam do mesmo tipo de união. — Veja as notas de estudo em Jo 17:11, 21; 1Co 3:8.

sejam um: Ou: “estejam em união”. Jesus orou para que seus verdadeiros seguidores fossem “um”, ou seja, que trabalhassem unidos com o mesmo objetivo. Assim, eles seriam como ele e seu Pai, que também são “um” porque pensam da mesma forma e cooperam um com o outro. O que Jesus pediu nesta oração lembra as palavras dele registradas em Jo 10:30. Ali, quando disse “eu e o Pai somos um”, Jesus estava se referindo ao modo unido de ele e o Pai cuidarem dos discípulos, as “ovelhas” que o Pai deu a ele. (Jo 10:25-30; 17:2, 9) A palavra grega traduzida aqui como “um” está, não no gênero masculino (indicando “uma pessoa”), mas no gênero neutro (indicando “uma coisa”). — Veja a nota de estudo em Jo 10:30.

sejam um: Ou: “estejam em união”. Jesus orou para que seus verdadeiros seguidores fossem “um”, ou seja, que trabalhassem unidos com o mesmo objetivo. Assim, eles seriam como ele e seu Pai, que também são “um” porque pensam da mesma forma e cooperam um com o outro. (Jo 17:22) Em 1Co 3:6-9, Paulo fala sobre esse tipo de união entre os cristãos, que cooperam uns com os outros e com Deus. — Veja 1Co 3:8 e as notas de estudo em Jo 10:30; 17:11.

são um só: Ou: “têm um só propósito”. Aqui, Paulo usa estas palavras para descrever a união que existe entre os cristãos quando eles trabalham juntos uns com os outros e com Deus. (1Co 3:9) A palavra grega traduzida aqui como “um só” não está no gênero masculino (indicando “uma pessoa”), mas no gênero neutro (indicando “uma coisa”). Assim, Paulo fala que quem planta e quem rega são “um só” no sentido de que eles agem de modo unido, cooperando um com o outro. — Veja as notas de estudo em Jo 10:30; 17:11, 21, onde a palavra grega traduzida aqui como “um só” foi usada de forma parecida.

Eu plantei, Apolo regou: Aqui, Paulo compara o ministério cristão ao trabalho de um lavrador. Quando Paulo levou as boas novas para as pessoas de Corinto, era como se ele estivesse plantando uma semente (a mensagem do Reino) em uma lavoura. O trabalho que Apolo fez depois, continuando a ensinar aquelas pessoas, poderia ser comparado a regar e nutrir a semente. (At 18:24; 19:1) Mas foi Deus, por meio do seu espírito, quem fez aqueles novos discípulos crescerem em sentido espiritual. O ponto da ilustração de Paulo era que o crescimento espiritual não depende dos esforços individuais de nenhum humano. Todos são ministros, trabalhando juntos como “colaboradores de Deus”. (1Co 3:9) Deus, por sua vez, abençoa os esforços altruístas de seus servos e é o verdadeiro responsável pelo crescimento.

Prisca e Áquila: Este casal de cristãos fiéis tinha sido expulso de Roma no ano 49 ou no início do ano 50 d.C., quando o imperador Cláudio emitiu um decreto expulsando os judeus dali. Cláudio morreu em 54 d.C. e, quando Paulo escreveu aos cristãos romanos por volta de 56 d.C., Prisca e Áquila já tinham voltado para Roma. (Veja a nota de estudo em At 18:2.) Paulo chama Prisca e Áquila de seus colaboradores. A palavra grega para “colaborador”, synergós, ocorre 12 vezes nas Escrituras Gregas Cristãs, a maioria delas nas cartas de Paulo. (Ro 16:9, 21; Fil 2:25; 4:3; Col 4:11; Flm 1, 24) Entre essas ocorrências, se destaca a de 1Co 3:9, onde Paulo diz: “Somos colaboradores de Deus.”

Eu plantei, Apolo regou: Aqui, Paulo compara o ministério cristão ao trabalho de um lavrador. Quando Paulo levou as boas novas para as pessoas de Corinto, era como se ele estivesse plantando uma semente (a mensagem do Reino) em uma lavoura. O trabalho que Apolo fez depois, continuando a ensinar aquelas pessoas, poderia ser comparado a regar e nutrir a semente. (At 18:24; 19:1) Mas foi Deus, por meio do seu espírito, quem fez aqueles novos discípulos crescerem em sentido espiritual. O ponto da ilustração de Paulo era que o crescimento espiritual não depende dos esforços individuais de nenhum humano. Todos são ministros, trabalhando juntos como “colaboradores de Deus”. (1Co 3:9) Deus, por sua vez, abençoa os esforços altruístas de seus servos e é o verdadeiro responsável pelo crescimento.

Vocês . . . são templo de Deus: Esta é uma das várias vezes que a Bíblia compara pessoas a um templo. Em Jo 2:19, o próprio Jesus se comparou a um templo. Além disso, as Escrituras diziam que Jesus se tornaria “a principal pedra angular” de um templo espiritual. (Sal 118:22; Is 28:16, 17; At 4:10, 11) O verbo grego traduzido aqui como “são” está na segunda pessoa do plural. Isso indica que todos os cristãos ungidos formam, como grupo, o “templo de Deus” em que o espírito dele mora. Esses cristãos, que servem como sacerdotes, são “edifício de Deus”. (1Co 3:9; veja a nota de estudo.) Por isso, o versículo 17 destaca que esse templo espiritual é santo e alerta sobre as consequências de tentar profaná-lo. Em Ef 2:20-22 e 1Pe 2:6, 7, Paulo e Pedro fazem comparações parecidas ao falar de Jesus e de seus seguidores.

colaboradores de Deus: A palavra grega para “colaborador”, synergós, ocorre mais de dez vezes nas Escrituras Gregas Cristãs, a maioria delas nas cartas de Paulo. Ela foi usada para se referir aos que trabalhavam juntos divulgando as boas novas. (Ro 16:9, 21; 2Co 1:24; 8:23; Fil 2:25; 4:3; Col 4:11; Flm 1, 24) Aqui, Paulo chama atenção ao enorme privilégio que os cristãos têm de serem “colaboradores de Deus”. (Veja a nota de estudo em 1Co 3:6.) Em 2Co 6:1, Paulo expressa uma ideia parecida quando fala sobre ‘cooperar com ele’, ou seja, com Deus. — 2Co 5:20; veja a nota de estudo em Ro 16:3.

Vocês são lavoura de Deus: O verdadeiro dono da lavoura figurativa onde os cristãos estavam crescendo era Deus, e não Paulo. Sem as bênçãos e o espírito de Deus, o trabalho de Paulo e de Apolo não teria tido nenhum resultado. (Veja a nota de estudo em 1Co 3:6.) Esta é a única vez que a palavra grega geórgion, traduzida aqui como “lavoura”, aparece nas Escrituras Gregas Cristãs. Apesar de a economia de Corinto se basear principalmente no comércio, as terras da região eram famosas por serem muito férteis. Além dessa comparação ligada à agricultura, neste versículo Paulo também faz uma comparação relacionada à construção. (Veja a nota de estudo em edifício de Deus neste versículo.) Tanto a agricultura como a construção eram atividades comuns no mundo antigo. Por usar essas duas comparações, Paulo conseguiu tocar o coração de diferentes membros da congregação.

edifício de Deus: Aqui, Paulo compara a congregação cristã a um edifício. No versículo seguinte, Paulo se compara a um construtor que estava trabalhando junto com Deus numa obra de construção espiritual. Essa obra envolvia produzir cristãos que tivessem qualidades que os ajudariam a permanecer firmes. (1Co 3:10-15) Em 1Co 3:16 (veja a nota de estudo), Paulo chama a congregação de “templo de Deus”. E, em Ef 2:21, 22, ele diz que a congregação é “um templo santo” em que Deus habita “por espírito”. Deus faz isso usando seu espírito santo (sua força ativa invisível) para motivar e dar apoio aos cristãos da congregação e para ajudá-los a desenvolver o fruto do espírito. (Gál 5:22, 23) O apóstolo Pedro faz uma comparação parecida em 1Pe 2:5, onde ele chama os discípulos de “pedras viventes”. Em Ef 2:20, Paulo compara os apóstolos e profetas ao alicerce, e Jesus à “pedra angular de alicerce”.

filho do carpinteiro: A palavra grega tékton, traduzida como “carpinteiro”, é bem abrangente e pode se referir a qualquer artesão ou construtor. Quando essa palavra é usada para se referir a alguém que trabalha com madeira, ela pode descrever alguém que constrói casas, fabrica móveis ou faz outros itens de madeira. Justino, o Mártir, que viveu no século 2 d.C., escreveu que Jesus, “enquanto estava entre os homens, trabalhava como carpinteiro, fabricando arados e jugos”. As primeiras traduções da Bíblia em idiomas antigos também passam a ideia de alguém que trabalha com madeira. Jesus era conhecido como “o filho do carpinteiro” e como “o carpinteiro”. (Mr 6:3) Pelo visto, Jesus aprendeu a carpintaria com seu pai adotivo, José. Naquela época, os filhos começavam a aprender a profissão do pai quando tinham entre 12 e 15 anos, e esse treinamento levava muitos anos.

o carpinteiro: Jesus era conhecido como “o carpinteiro” e também como “o filho do carpinteiro”. Essas expressões nos dão uma ideia da criação de Jesus e do que ele fez entre sua visita ao templo, aos 12 anos, e o início de seu ministério. (Veja a nota de estudo em Mt 13:55.) Os relatos de Mateus e de Marcos se complementam.

construtor perito: Ou: “sábio diretor de obras”. A palavra grega arkhitékton poderia ser traduzida literalmente como “artesão principal”. Essa palavra geralmente era usada para se referir ao encarregado de uma construção, que trabalhava no canteiro de obras. Ele contratava os trabalhadores e supervisionava o serviço deles. Neste versículo, Paulo se compara a um construtor que estava trabalhando junto com Deus numa obra de construção espiritual. Essa obra envolvia produzir cristãos que tivessem qualidades que os ajudariam a permanecer firmes. (1Co 3:9-16) Esta é a única vez que a palavra arkhitékton aparece nas Escrituras Gregas Cristãs. A palavra grega relacionada tékton foi usada para se referir a Jesus e a seu pai adotivo, José, e foi traduzida como “carpinteiro”. — Veja as notas de estudo em Mt 13:55; Mr 6:3.

com ouro, prata, pedras preciosas, ou com madeira, feno, palha: Nesta passagem, Paulo incentiva os cristãos em Corinto que estavam dando continuidade ao seu trabalho a serem bons instrutores, ajudando os novos discípulos a desenvolverem qualidades cristãs. (1Co 3:6) Para ilustrar isso, Paulo faz um contraste entre construir com materiais de boa qualidade, resistentes ao fogo e duráveis, e construir com materiais inferiores, inflamáveis e que não duravam muito. Mesmo sendo uma cidade rica, Corinto sem dúvida tinha construções dos dois tipos. Havia templos impressionantes, feitos com blocos de pedra enormes e caros. Alguns deles talvez fossem decorados com ouro e prata. É bem provável que perto desses templos houvesse moradias pobres e barracas de feira feitas com estruturas simples de madeira e telhado de palha. Na ilustração de Paulo, o ouro, a prata e as pedras preciosas representam qualidades cristãs como forte fé, sabedoria divina, discernimento, lealdade, e apreço e amor por Jeová e por suas leis. Qualidades como essas são indispensáveis para que os cristãos tenham uma forte amizade com Jeová Deus e, assim, consigam resistir a testes de fé.

será como que através do fogo: Os ministros cristãos precisam ajudar seus estudantes a desenvolver qualidades cristãs que resistam a testes de fé. Ao fazer isso, eles estão como que construindo com materiais resistentes ao fogo. (1Co 3:10-14) Se um instrutor cristão não seguir as instruções da Bíblia sobre como fazer o seu trabalho, pode ser que sua “obra” não resista quando passar por um teste de fogo. (Mt 28:19, 20; Ro 2:21, 22; 1Ti 4:16; 2Ti 2:15; 4:2) Além disso, o próprio instrutor pode acabar sofrendo, como se fosse um homem que perdeu tudo em um incêndio e que por pouco se salvou. Assim como Paulo usa aqui a palavra “fogo” em sentido figurado, outros escritores gregos usaram a expressão “através do fogo” como uma metáfora para dizer que alguém tinha escapado por pouco de um problema ou de uma situação difícil.

edifício de Deus: Aqui, Paulo compara a congregação cristã a um edifício. No versículo seguinte, Paulo se compara a um construtor que estava trabalhando junto com Deus numa obra de construção espiritual. Essa obra envolvia produzir cristãos que tivessem qualidades que os ajudariam a permanecer firmes. (1Co 3:10-15) Em 1Co 3:16 (veja a nota de estudo), Paulo chama a congregação de “templo de Deus”. E, em Ef 2:21, 22, ele diz que a congregação é “um templo santo” em que Deus habita “por espírito”. Deus faz isso usando seu espírito santo (sua força ativa invisível) para motivar e dar apoio aos cristãos da congregação e para ajudá-los a desenvolver o fruto do espírito. (Gál 5:22, 23) O apóstolo Pedro faz uma comparação parecida em 1Pe 2:5, onde ele chama os discípulos de “pedras viventes”. Em Ef 2:20, Paulo compara os apóstolos e profetas ao alicerce, e Jesus à “pedra angular de alicerce”.

Vocês . . . são templo de Deus: Esta é uma das várias vezes que a Bíblia compara pessoas a um templo. Em Jo 2:19, o próprio Jesus se comparou a um templo. Além disso, as Escrituras diziam que Jesus se tornaria “a principal pedra angular” de um templo espiritual. (Sal 118:22; Is 28:16, 17; At 4:10, 11) O verbo grego traduzido aqui como “são” está na segunda pessoa do plural. Isso indica que todos os cristãos ungidos formam, como grupo, o “templo de Deus” em que o espírito dele mora. Esses cristãos, que servem como sacerdotes, são “edifício de Deus”. (1Co 3:9; veja a nota de estudo.) Por isso, o versículo 17 destaca que esse templo espiritual é santo e alerta sobre as consequências de tentar profaná-lo. Em Ef 2:20-22 e 1Pe 2:6, 7, Paulo e Pedro fazem comparações parecidas ao falar de Jesus e de seus seguidores.

deste sistema de coisas: A palavra grega aión tem o sentido básico de “época”. Ela pode se referir também a uma situação existente ou a características marcantes de certo período ou época. (Veja o Glossário, “Sistema(s) de coisas”.) Aqui, ela se refere ao que 2Ti 4:10 chama de “este mundo”, ou seja, à situação predominante no mundo em geral.

neste sistema de coisas: Veja a nota de estudo em 1Co 1:20.

pois está escrito: O que Paulo diz em seguida é uma citação das palavras de Elifaz, o temanita. Quando Elifaz falou com Jó, ele disse que Deus “apanha os sábios na sua própria astúcia” e aplicou essas palavras de forma errada a Jó. (Jó 4:1; 5:13) O fato de Paulo ter feito essa citação não significa que ele apoiava tudo o que Elifaz disse, já que muitas coisas eram mentira ou tinham sido mal aplicadas. (Jó 42:7) Mas a observação de Elifaz registrada em Jó 5:13 reflete uma verdade que está de acordo com outros versículos das Escrituras. (Sal 10:2; compare Jó 5:17 com Sal 94:12.) Paulo foi inspirado a citar essas palavras para mostrar que não há como comparar a sabedoria do homem com a sabedoria de Deus.

Jeová: Esta é uma citação do Sal 94:11. No texto hebraico original desse salmo, aparecem as quatro letras hebraicas que formam o nome de Deus (que equivalem a YHWH). — Veja os Apêndices C1 e C2.

Cefas: Este era um dos nomes do apóstolo Simão Pedro. Na ocasião em que Jesus conheceu Simão, Jesus lhe deu o nome semítico de Cefas (em grego, Kefás). Esse nome talvez esteja relacionado com o substantivo hebraico kefím (“rochas”), que aparece em Jó 30:6 e Je 4:29. Em Jo 1:42, João explica que o nome Cefas “traduzido é Pedro” (Pétros, um nome grego que significa “um pedaço de rocha”). O nome Cefas aparece apenas em Jo 1:42 e em duas cartas de Paulo (1 Coríntios e Gálatas). — 1Co 1:12; 3:22; 9:5; 15:5; Gál 1:18; 2:9, 11, 14; veja as notas de estudo em Mt 10:2; Jo 1:42.

Mídia