Jeremias 46:1-28

46  Isto é o que veio a haver como palavra de Jeová para Jeremias, o profeta, a respeito das nações:+  Para o Egito,+ referente à força militar de Faraó Neco,* rei do Egito,+ que veio a estar junto ao rio Eufrates, em Carquemis,+ a quem Nabucodorosor, rei de Babilônia, derrotou no quarto ano de Jeoiaquim,+ filho de Josias, rei de Judá:  “Enfileirai o broquel e o escudo grande e aproximai-vos para a batalha.+  Arreai os cavalos e montai, ó cavaleiros, e postai-vos com o capacete. Bruni as lanças. Vesti cotas de malha.+  “‘Por que é que os vi aterrorizados? Eles retrocedem, e os próprios poderosos deles estão esmiuçados; e eles positivamente fugiram e não se viraram.+ Há horror ao redor’,+ é a pronunciação de Jeová.  ‘Não tente fugir o ligeiro e não tente escapar o poderoso.+ Lá no norte,+ junto à margem do rio Eufrates, eles tropeçaram e caíram.’+  “Quem é este que sobe como o rio Nilo, como os rios cujas águas se encapelam?+  O próprio Egito sobe como o rio Nilo+ e como rios cujas águas se encapelam.+ E diz: ‘Subirei. Cobrirei a terra. Destruirei prontamente a cidade e os que habitam nela.’+  Subi, ó cavalos; e andai como doidos, ó carros! E saiam os poderosos, Cus*+ e Pute,+ que manejam o escudo, e os ludins+ que manejam [e] entesam o arco. 10  “E aquele dia pertence ao Soberano Senhor, Jeová dos exércitos, o dia de vingança para vingar-se dos seus adversários.+ E a espada há de devorar e fartar-se, e embebedar-se do seu sangue, porque o Soberano+ Senhor, Jeová dos exércitos, tem um sacrifício+ na terra do norte, junto ao rio Eufrates.+ 11  “Sobe a Gileade e obtém bálsamo,+ ó virgem filha do Egito.+ Foi em vão que multiplicaste os meios de cura. Não há restabelecimento para ti.+ 12  As nações ouviram [falar] da tua desonra*+ e teu próprio clamor encheu a terra.*+ Pois tropeçaram, poderoso contra poderoso.+ Ambos caíram juntos.” 13  A palavra que Jeová falou a Jeremias, o profeta, concernente à vinda de Nabucodorosor, rei de Babilônia, para golpear a terra do Egito:+ 14  “Contai-o no Egito, e publicai-o em Migdol,+ e publicai-o em Nofe*+ e em Tafnes.+ Dizei: ‘Toma posição, faze também preparativos para ti,+ pois uma espada há de devorar em todo o teu redor.+ 15  Por que foram arrasados os teus possantes?+ Não mantiveram posição firme, porque o próprio Jeová os empurrou.+ 16  Tropeçam em grandes números. Também caem realmente. E estão dizendo, um ao outro: “Levanta-te deveras e retornemos deveras ao nosso povo e à terra de nossa parentela, por causa da espada que maltrata.”’ 17  Ali proclamaram: ‘Faraó, o rei do Egito, é meramente um barulho.+ Deixou passar o tempo festivo.’+ 18  “‘Assim como vivo’, é a pronunciação do Rei, cujo nome é Jeová dos exércitos,+ ‘ele entrará como Tabor+ entre os montes e como o Carmelo+ junto ao mar. 19  Faze para ti meramente bagagem para o exílio,+ ó moradora, filha+ do Egito. Pois a própria Nofe+ tornar-se-á mero assombro e será realmente incendiada, de modo a ficar sem habitante.+ 20  O Egito é como uma novilha bonita. Contra ela* há de vir do norte o próprio mosquito.+ 21  Além disso, seus [soldados] mercenários no meio dela são como bezerros cevados.+ Mas eles mesmos também cederam;+ fugiram juntos. Não se mantiveram firmes.+ Pois chegou sobre eles o próprio dia do seu desastre, o tempo de se fixar a atenção neles.’+ 22  “‘Sua voz é como a duma serpente que avança;+ pois homens irão com energia vital e realmente entrarão até ela com machados, como os que ajuntam* lenha. 23  Certamente cortarão a floresta dela’,+ é a pronunciação de Jeová, ‘porque não se podia penetrar nela. Pois, tornaram-se mais numerosos do que o gafanhoto,+ e são inúmeros. 24  A filha+ do Egito certamente se sentirá envergonhada. Ela será realmente entregue na mão do povo do norte.’+ 25  “Jeová dos exércitos, o Deus de Israel, disse: ‘Eis que volto a minha atenção para Amom,*+ de Nô,*+ e para Faraó, e para o Egito, e para os seus deuses,+ e para os seus reis,+ sim, para Faraó e para todos os que confiam nele.’+ 26  “‘E vou entregá-los na mão dos que procuram a sua alma,* e na mão de Nabucodorosor, rei de Babilônia,+ e na mão dos seus servos; e depois se residirá nela como nos dias de outrora’,+ é a pronunciação de Jeová. 27  “‘E quanto a ti, não tenhas medo, ó meu servo Jacó, e não fiques aterrorizado, ó Israel.+ Pois eis que te salvo do longínquo e a tua descendência da terra do seu cativeiro.+ E Jacó há de retornar e ter sossego, e estar despreocupado, e sem que alguém cause tremor.+ 28  No que se refere a ti, não tenhas medo, ó meu servo Jacó’, é a pronunciação de Jeová, ‘pois eu estou contigo.+ Porque farei uma exterminação entre todas as nações às quais te dispersei,+ mas contigo não farei nenhuma exterminação.+ Todavia, terei de castigar-te no devido grau+ e de modo algum te deixarei impune.’”+

Notas de rodapé

Ou “Necau”. LXXVg: “Necao”.
“Cus”, M; TSy: “cusitas”; LXX: “dos etíopes”; Vg: “Etiópia”.
“Desonra”, MTSyVg; LXX: “voz”.
“A terra.” Hebr.: ha·’á·rets.
“Nofe”, M; T(aram.): Ma·féhs; LXXVg: “Mênfis”.
“Contra ela”, TLXXSy e 100 mss. hebr.
Ou “cortam”.
Ou “Amém”. M: ’A·móhn, uma palavra egípcia.
“De Nô”, M; TVg: “de Alexandria”; LXX: “seu filho”; Sy: “das águas”. Também conhecida como Tebas.
“Sua alma.” Hebr.: naf·shám; lat.: á·ni·mam. Veja Ap. 4A.