João 6:1-71

6  Depois destas coisas, Jesus partiu, atravessando o mar da Galiléia, ou Tiberíades.+  Mas, seguia-o uma grande multidão, porque observavam os sinais que ele realizava nos enfermos.+  Jesus subiu assim a um monte+ e estava ali sentado com os seus discípulos.  Ora, estava próxima a páscoa,+ a festividade dos judeus.  Portanto, quando Jesus levantou os olhos e observou que uma grande multidão se chegava a ele, disse a Filipe: “Onde vamos comprar pães para estes comerem?”+  No entanto, dizia isso para prová-lo, pois ele mesmo sabia o que ia fazer.  Filipe respondeu-lhe: “Pães no valor de duzentos denários* não bastam para eles, para que cada um tenha um pouco.”+  Um dos seus discípulos, André, irmão de Simão Pedro, disse-lhe:  “Há aqui um rapazinho que tem cinco pães de cevada+ e dois peixinhos. Mas, o que são estes para tantos?”+ 10  Jesus disse: “Fazei os homens recostar-se como numa refeição.”+ Ora, havia muita grama no lugar. Os homens recostaram-se assim, cerca de cinco mil em número.+ 11  Jesus tomou assim os pães, e, tendo dado graças, distribuiu-os aos recostados, do mesmo modo também os peixinhos, tantos quantos quiseram.+ 12  Mas, quando ficaram saciados,+ ele disse aos seus discípulos: “Ajuntai os pedaços que sobraram, para que nada se desperdice.” 13  Eles os ajuntaram, portanto, e encheram doze cestos com os pedaços dos cinco pães de cevada, que foram deixados pelos que haviam comido.+ 14  Por isso, quando os homens viram os sinais que realizava, começaram a dizer: “Este é certamente o profeta+ que havia de vir ao mundo.” 15  Jesus, portanto, sabendo que estavam para vir e apoderar-se dele para o fazerem rei, retirou-se+ novamente para o monte, sozinho. 16  Chegando a noite, seus discípulos desceram para o mar,+ 17  e, entrando num barco, partiram, atravessando o mar rumo a Cafarnaum. Pois bem, já ficara escuro e Jesus ainda não viera ter com eles. 18  O mar também começava a agitar-se, porque soprava um forte vento.+ 19  No entanto, tendo eles remado cerca de cinco ou seis quilômetros,* observaram Jesus andando sobre o mar e chegando perto do barco; e ficaram temerosos.+ 20  Mas ele lhes disse: “Sou eu; não temais!”+ 21  Portanto, estavam dispostos a acolhê-lo no barco, e o barco chegou logo à terra para onde procuravam ir.+ 22  No dia seguinte, a multidão parada do outro lado do mar viu que não havia barco, exceto um pequeno, e que Jesus não tinha entrado no barco com seus discípulos, mas que apenas os discípulos tinham partido; 23  chegaram, porém, barcos de Tiberíades às proximidades do lugar onde haviam comido os pães, depois de o Senhor* ter dado graças. 24  Portanto, quando a multidão viu que nem Jesus nem os seus discípulos estavam ali, entraram nos seus pequenos barcos e foram a Cafarnaum, para procurar+ Jesus. 25  Assim, quando o acharam do outro lado do mar, disseram-lhe: “Rabi,+ quando chegaste para cá?” 26  Jesus respondeu-lhes e disse: “Digo-vos em toda a verdade: Vós me procurais, não porque vistes sinais, mas porque comestes dos pães e ficastes satisfeitos.+ 27  Trabalhai, não pelo alimento que perece,+ mas pelo alimento que permanece para a vida eterna,+ que o Filho do homem vos dará; pois neste o Pai, sim, Deus, tem posto o seu selo [de aprovação].”+ 28  Disseram-lhe, portanto: “Que devemos fazer para realizar as obras de Deus?” 29  Em resposta, Jesus disse-lhes: “Esta é a obra de Deus, que exerçais fé+ naquele a quem Este enviou.”+ 30  Disseram-lhe, portanto: “O que, então, realizas como sinal,+ a fim de que [o] vejamos e acreditemos em ti? Que obra estás fazendo? 31  Nossos antepassados comeram o maná+ no ermo, assim como está escrito: ‘Ele lhes deu pão do céu para comer.’”+ 32  Por isso, Jesus disse-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: Moisés não vos deu o pão do céu, mas o meu Pai vos dá o verdadeiro pão do céu.+ 33  Porque o pão de Deus é aquele que desce do céu e dá vida ao mundo.” 34  Disseram-lhe, portanto: “Senhor, dá-nos sempre este pão.”+ 35  Jesus disse-lhes: “Eu sou o pão da vida. Quem vem a mim, não terá mais fome, e quem exerce fé em mim, não terá mais sede.+ 36  Mas, eu vos tenho dito: Vós até mesmo me* vistes, e, contudo, não credes.+ 37  Tudo o que o Pai me dá virá a mim, e aquele que vem a mim, eu de modo algum enxotarei;+ 38  porque desci do céu,+ não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.+ 39  Esta é a vontade daquele que me enviou, que eu não perca nada de tudo o que ele me tem dado, mas que eu o ressuscite+ no último dia. 40  Pois esta é a vontade de meu Pai, que todo aquele que observa o Filho e exerce fé nele tenha vida eterna,+ e eu o ressuscitarei no último dia.”+ 41  Os judeus começaram, portanto, a resmungar contra ele, porque dissera: “Eu sou o pão que desceu do céu”;+ 42  e começaram a dizer:+ “Não é este Jesus, filho de José,+ cujo pai e mãe conhecemos? Como é que ele diz agora: ‘Eu desci do céu’?” 43  Em resposta, Jesus disse-lhes: “Parai de resmungar entre vós. 44  Ninguém pode vir a mim, a menos que o Pai, que me enviou, o atraia;+ e eu o ressuscitarei no último dia.+ 45  Está escrito nos Profetas: ‘E todos eles serão ensinados* por Jeová.’*+ Todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim.+ 46  Não é que algum homem tenha visto o Pai,+ exceto aquele que é de Deus; este tem visto o Pai.+ 47  Eu vos digo em toda a verdade: Quem crê, tem vida eterna.+ 48  “Eu sou o pão+ da vida. 49  Vossos antepassados comeram o maná+ no ermo, e, não obstante, morreram. 50  Este é o pão que desce do céu, para que qualquer um possa comer dele e não morrer. 51  Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para sempre; e, de fato, o pão que eu hei de dar é a minha carne+ a favor da vida do mundo.”+ 52  Portanto, os judeus começaram a contender entre si, dizendo: “Como pode este homem dar-nos sua carne para comer?” 53  Concordemente, Jesus disse-lhes: “Digo-vos em toda a verdade: A menos que comais a carne+ do Filho do homem e bebais o seu sangue,+ não tendes vida+ em vós mesmos. 54  Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue tem vida eterna, e eu o hei de ressuscitar+ no último dia; 55  pois a minha carne é verdadeiro alimento, e o meu sangue é verdadeira bebida. 56  Quem se alimenta de minha carne e bebe meu sangue permanece em união comigo* e eu em união com ele.+ 57  Assim como o Pai vivente+ me enviou e eu vivo por causa do Pai, também aquele que se alimenta de mim, sim, esse viverá por causa de mim.+ 58  Este é o pão que desceu do céu. Não é como quando os vossos antepassados comeram, e, não obstante, morreram. Quem se alimentar deste pão viverá para sempre.”+ 59  Estas coisas ele disse enquanto estava ensinando numa assembléia pública em Cafarnaum. 60  Portanto, muitos dos seus discípulos, ao ouvirem isso, disseram: “Esta palavra é chocante; quem pode escutar isso?”+ 61  Mas Jesus, sabendo em si mesmo que seus discípulos estavam resmungando sobre isso, disse-lhes: “Causa-vos isso tropeço?+ 62  Que [seria], portanto, se observásseis o Filho do homem ascender para onde estava antes?+ 63  É o espírito que é vivificante;+ a carne não é de nenhum proveito. As declarações que eu vos tenho feito são* espírito+ e são vida.+ 64  Mas, há alguns de vós que não crêem.” Pois Jesus sabia desde [o] princípio quem eram os que não criam e quem era o que o havia de trair.+ 65  Prosseguiu assim a dizer: “É por isso que eu vos tenho dito: Ninguém pode vir a mim, a menos que isso lhe seja concedido pelo Pai.”+ 66  Devido a isso, muitos dos seus discípulos foram embora para as coisas [deixadas] atrás+ e não andavam mais com ele.+ 67  Portanto, Jesus disse aos doze: “Será que vós também quereis ir?” 68  Simão Pedro+ respondeu-lhe: “Senhor, para quem havemos de ir?+ Tu tens declarações de vida eterna;+ 69  e nós cremos e viemos a saber que tu és o Santo de Deus.”+ 70  Jesus respondeu-lhes: “Não escolhi eu a vós doze?+ Contudo, um de vós é um caluniador.”*+ 71  Ele estava, de fato, falando de Judas, [filho] de Simão Iscariotes; porque este ia traí-lo,+ embora [fosse] um dos doze.

Notas de rodapé

O denário era uma moeda romana de prata que pesava 3,85 g.
Lit.: “cerca de vinte e cinco ou trinta estádios”. O estádio equivalia a um oitavo de milha romana, 185 m.
Ou “Amo”.
“Me”, P66,75BD; אASyc,s omitem isso.
Ou “serão os ensinados”.
Veja Ap. 1D.
“Em união comigo.” Ou “em mim”. Gr.: en e·moí.
Ou “significam”. Veja Mt 12:7 n.
Ou “é um diabo”. Gr.: di·á·bo·lós e·stin.