João 2:1-25

2  Ora, no terceiro dia realizou-se uma festa de casamento em Caná+ da Galiléia, e a mãe+ de Jesus estava lá.  Jesus e seus discípulos foram também convidados para a festa de casamento.  Quando o vinho estava escasseando, a mãe+ de Jesus disse-lhe: “Eles não têm vinho.”  Mas Jesus disse-lhe: “Que tenho eu que ver contigo,* mulher?+ Minha hora não chegou ainda.”+  Sua mãe disse aos que ministravam: “O que ele vos disser, fazei.”+  Acontece que havia ali seis talhas de pedra, para água, conforme exigidas pelas regras de purificação+ dos judeus, cada uma capaz de conter duas ou três medidas de líquidos.*  Jesus disse-lhes: “Enchei com água as talhas.” E encheram-nas até em cima.  E ele lhes disse: “Tirai agora um pouco e levai-o ao diretor da festa.” Levaram-no assim.  Ora, quando o diretor da festa provou a água que tinha sido transformada em vinho,+ mas sem saber donde vinha, embora o soubessem os ministrantes que haviam tirado a água, o diretor da festa chamou o noivo 10  e disse-lhe: “Todo outro homem apresenta primeiro o vinho excelente,+ e, quando as pessoas ficam inebriadas, o inferior. Tu reservaste o vinho excelente até agora.” 11  Jesus realizou isso em Caná da Galiléia, como princípio dos seus sinais, e tornou manifesta a sua glória;+ e seus discípulos depositaram nele a sua fé. 12  Depois disso, ele, e sua mãe, e os irmãos+ e os discípulos dele, desceram para Cafarnaum,+ mas não ficaram ali muitos dias. 13  Aproximara-se então a páscoa+ dos judeus, e Jesus subiu para Jerusalém.+ 14  E ele achou no templo os que vendiam gado, e ovelhas, e pombas,+ e os corretores de dinheiro nos seus assentos. 15  Assim, depois de fazer um chicote de cordas, expulsou do templo a todos com as ovelhas e o gado, e derramou as moedas dos cambistas e derrubou as suas mesas.+ 16  E ele disse aos que vendiam as pombas: “Tirai estas coisas daqui! Parai de fazer da casa+ de meu Pai uma casa de comércio!”+ 17  Seus discípulos lembraram-se de que está escrito: “O zelo da tua casa me devorará.”+ 18  Portanto, os judeus disseram-lhe, em resposta: “Que sinal+ tens para mostrar-nos, visto que fazes estas coisas?” 19  Em resposta, Jesus disse-lhes: “Demoli este templo,*+ e em três dias o levantarei.” 20  Os judeus disseram, portanto: “Este templo foi construído em quarenta e seis anos, e tu o levantarás em três dias?” 21  Mas ele estava falando do templo+ do seu corpo. 22  Quando, porém, foi levantado dentre os mortos, seus discípulos lembraram-se+ de que costumava dizer isso; e eles acreditaram na Escritura e na palavra que Jesus dissera. 23  No entanto, quando ele estava em Jerusalém, na páscoa, na sua festividade,+ muitas pessoas depositaram sua fé no nome+ dele, observando os sinais que realizava.+ 24  Mas o próprio Jesus não se confiava+ a eles, porque os conhecia a todos 25  e porque não tinha necessidade de que alguém desse testemunho do homem, pois ele mesmo sabia o que havia no homem.+

Notas de rodapé

Lit.: “O que para mim e para ti?” significando: “O que há de comum entre mim e ti?” Esta é uma expressão idiomática; é uma pergunta de repulsa, indicando objeção. Veja Ap 7B.
Provavelmente o bato, que equivalia a 22 l. Veja Ap. 8A.
Ou “habitação (morada) divina”. Gr.: na·ón; lat.: tém·plum; J17,18,22(hebr.): ha·heh·khál haz·zéh, “este palácio (templo)”.