Ir para conteúdo

Porque é que as Testemunhas de Jeová não comemoram certos feriados?

Porque é que as Testemunhas de Jeová não comemoram certos feriados?

 Como é que as Testemunhas de Jeová decidem se devem ou não comemorar um feriado?

Antes de decidir se devem ou não comemorar um feriado, as Testemunhas de Jeová examinam a Bíblia. Quando é claro que o feriado ou a celebração desrespeita os princípios bíblicos, as Testemunhas de Jeová não o comemoram. Quanto a outros feriados, cada cristão toma a sua própria decisão, esforçando-se “para manter uma consciência limpa perante Deus e os homens.” — Atos 24:16.

Antes de decidir se devem ou não celebrar um feriado, as Testemunhas de Jeová analisam perguntas como as que se seguem. *

  • O feriado é baseado em algum ensino que não está na Bíblia?

    Princípio bíblico: “‘Saiam do meio deles e separem-se,’ diz Jeová, ‘e parem de tocar em coisas impuras’”. — 2 Coríntios 6:15-17.

    Para continuarem totalmente separadas de ensinos espiritualmente impuros, ou seja, contrários ao que a Bíblia ensina, as Testemunhas de Jeová não comemoram feriados que tenham as características abaixo mencionadas.

    Feriados baseados na crença de outros deuses ou na adoração a eles. Jesus disse: “Adora a Jeová, teu Deus, e presta-lhe serviço sagrado apenas a ele.” (Mateus 4:10) Seguindo este conselho, as Testemunhas de Jeová não comemoram o Natal, a Páscoa nem o dia 1 de Maio *, visto que estes feriados têm origem na adoração de deuses falsos. Além disso, também não celebram feriados como os alistados a seguir.

    • Kwanzaa. Segundo a Encyclopedia of Black Studies (Enciclopédia de Estudos Negros), o nome Kwanzaa “tem origem nas palavras do idioma suaíli ‘matunda ya kwanza, que significam ‘primeiros frutos’, e [isso] indica que o feriado tem origem nas primeiras celebrações da colheita registadas na história africana.” Embora algumas pessoas vejam o Kwanzaa como uma comemoração não religiosa, a Encyclopedia of African Religion (Enciclopédia da Religião Africana) compara-o a uma outra celebração africana em que os primeiros frutos “são oferecidos aos deuses e aos antepassados como forma de agradecimento”, e acrescenta: “É o mesmo espírito de gratidão pelas bênçãos da vida concedidas pelos antepassados que é observado no feriado afro-americano, o Kwanzaa.

      Kwanzaa

    • Festival da Lua ou Festival do Meio do Outono. Segundo o Holidays, Festivals, and Celebrations of the World Dictionary (Dicionário de Feriados, Festas Religiosas e Celebrações do Mundo), este é um “festival que honra a deusa da Lua”. Inclui um ritual “em que as mulheres da casa se curvam diante da deusa, o que em chinês se chama kowtow, [um ato de reverência].” — Religions of the World – A Comprehensive Encyclopedia of Beliefs and Practices (Religiões do Mundo – Uma Enciclopédia Abrangente de Crenças e Práticas).

    • Nauruz (Nowruz). “Algumas das origens mais antigas desta festividade encontram-se [na religião] do zoroastrismo; é um dos dias mais sagrados do antigo calendário zoroastriano. [...] Em especial, o Espírito do Meio-dia, conhecido como Rapithwin, que se acreditava ter sido levado à força para o subsolo pelo Espírito do Inverno durante os meses de frio, é recebido de volta com celebrações ao meio-dia no dia de Nauruz, segundo a tradição zoroastriana.” — UNESCO. *

    • Shab-e Yalda. Segundo o livro Sufism in the Secret History of Persia (Sufismo na História Secreta da Pérsia), esta celebração do solstício de inverno (a noite mais longa do ano) está “definitivamente ligada à adoração de Mitra”, o deus da luz. Acredita-se também que o feriado pode estar relacionado com a adoração dos deuses romanos e gregos do Sol. *

    • Dia de Ação de Graças. Assim como o Kwanzaa, este feriado tem origem nas antigas celebrações das colheitas que honravam vários deuses. Com o tempo, “essas antigas tradições populares foram incorporadas nas religiões cristãs.” — A Great and Godly Adventure – The Pilgrims and the Myth of the First Thanksgiving (Uma Grande e Divina Aventura – Os Peregrinos e a Lenda do Primeiro Dia de Ação de Graças).

    Feriados baseados em superstições ou na crença na sorte. A Bíblia diz que aqueles “que põem a mesa para o deus da boa sorte” estão “entre os que abandonam a Jeová”. (Isaías 65:11) Assim, as Testemunhas de Jeová não celebram os feriados abaixo mencionados.

    • Ivan Kupala. “De acordo com a crença popular, durante [o Ivan Kupala], a natureza liberta poderes mágicos, e se a pessoa for corajosa e tiver sorte poderá conseguir um pouco desses poderes”, afirma o livro The A to Z of Belarus (A a Z da Bielorrússia). Originalmente, o evento era um feriado pagão que celebrava o solstício de verão (o dia mais longo do ano). No entanto, segundo a Encyclopedia of Contemporary Russian Culture (Enciclopédia da Cultura Russa Contemporânea), esse feriado pagão foi “incorporado no feriado da igreja [o dia de “São” João Batista] após [os pagãos] terem aceitado o cristianismo.”

    • Ano Novo Lunar (Ano Novo Chinês ou Ano Novo Coreano). Segundo o livro Mooncakes and Hungry Ghosts: Festivals of China (Bolos da Lua e Espíritos Famintos: Festividades da China), “nessa época do ano, mais do que em qualquer outra, a principal preocupação da família, amigos e parentes é atrair a boa sorte, dar honra aos deuses e aos espíritos, e desejar que o novo ano traga boa sorte.” Da mesma forma, o Ano Novo coreano “inclui a adoração dos antepassados, rituais para afastar os espíritos maus e garantir boa sorte para o novo ano, e adivinhações para saber o que o ano novo promete.” — Encyclopedia of New Year’s Holidays Worldwide (Enciclopédia das Comemorações de Ano Novo ao Redor do Mundo).

      Ano Novo Chinês

    Feriados baseados na ideia de que a alma é imortal. A Bíblia mostra claramente que a alma morre. (Ezequiel 18:4) Por isso, as Testemunhas de Jeová não comemoram os feriados citados abaixo, que promovem o ensino da imortalidade da alma.

    • Dia de Finados (Dia dos Mortos ou Dia dos Fiéis Defuntos). De acordo com a Nova Enciclopédia Católica, este é um dia para “lembrar todos os mortos”. A obra acrescenta que, “durante toda a Idade Média, era popular a crença de que, nesse dia, as almas no purgatório podiam aparecer em forma de fantasma, bruxa, sapo, etc., àqueles que, em vida, as trataram injustamente.”

    • Qingming (Ching Ming) e Festa dos Fantasmas Famintos. Estas duas celebrações são realizadas para honrar os antepassados. Durante o Ching Ming, “queima-se comida, bebida e dinheiro (notas) para garantir que os mortos não sintam fome, nem sede, nem fiquem sem dinheiro”, afirma o livro Celebrating Life Customs Around the World – From Baby Showers to Funerals (Tradições de Celebração da Vida ao Redor do Mundo – de Baby Showers a Funerais). O livro acrescenta que “durante o Mês dos Fantasmas Famintos, mais precisamente na noite de lua cheia, [os participantes acreditam] que existe uma grande ligação entre os vivos e os mortos, mais do que em qualquer outra noite, e, por isso, são importantes os cuidados para apaziguar os mortos, assim como para honrar os antepassados.”

    • Chuseok. O livro The Korean Tradition of Religion, Society, and Ethics (A Tradição Coreana de Religião, Sociedade e Ética) afirma que esta celebração inclui “ofertas de comida e de vinho às almas dos mortos”. As ofertas refletem “a crença de que a alma sobrevive à morte do corpo.”

    Feriados relacionados com o ocultismo. A Bíblia afirma que alguém “que empregue adivinhação, ou que pratique magia, ou que procure presságios, ou um feiticeiro, ou alguém que prenda outros com encantamento, ou que consulte quem invoca espíritos, ou um adivinho, ou alguém que consulte os mortos [...] é detestável para Jeová”. (Deuteronómio 18:10-12) Assim, para se manterem longe de qualquer coisa relacionada com o ocultismo (incluindo a astrologia, que é uma forma de adivinhação), as Testemunhas de Jeová não celebram o Halloween nem os feriados abaixo.

    • Ano Novo Tâmil e Cingalês. “Os rituais tradicionais relacionados com este evento [...] incluem realizar certas atividades em momentos astrológicos específicos para trazer boa sorte.” — Encyclopedia of Sri Lanka (Enciclopédia do Sri Lanka).

    • Songkran (Ano Novo Tailandês). O nome desta festividade asiática “deriva da palavra em sânscrito que significa ‘movimento’ ou ‘passagem’, e [esta festa] marca a passagem do Sol pela constelação do zodíaco chamada Áries”. — Food, Feasts, and Faith: An Encyclopedia of Food Culture in World Religions (Comida, Banquetes e Fé: Enciclopédia de Cultura Gastronómica nas Religiões do Mundo).

    Celebrações relacionadas com o sistema de adoração estabelecido na Lei mosaica, que terminou com o sacrifício de Jesus. A Bíblia declara: “Cristo é o fim da Lei”. (Romanos 10:4) Os princípios da Lei mosaica, dada ao Israel antigo, ainda beneficiam os cristãos. No entanto, eles não celebram as festividades dessa Lei, especialmente aquelas que apontam para a vinda do Messias, pois os cristãos acreditam que ele já veio. A Bíblia diz: “Estas coisas são uma sombra do que viria, mas a realidade pertence ao Cristo.” (Colossenses 2:17) Por este motivo, e também porque algumas dessas festividades passaram a incluir costumes antibíblicos, as Testemunhas de Jeová não participam nas celebrações abaixo referidas.

    • Hannukkah. Esta festividade comemora a segunda dedicação do templo judaico em Jerusalém. No entanto, a Bíblia afirma que Jesus se tornou sumo sacerdote de uma “tenda [ou, templo] maior e mais perfeita, que não foi feita por mãos humanas, isto é, não desta criação.” (Hebreus 9:11) Para os cristãos, este templo espiritual substituiu o templo físico em Jerusalém.

    • Rosh Hashanah (Ano Novo Judaico). É o primeiro dia do ano judaico. Nos tempos antigos, esta festividade incluía sacrifícios especiais oferecidos a Deus. (Números 29:1-6) No entanto, Jesus Cristo, como Messias, fez “cessar o sacrifício e a oferta”. Por isso, estes sacrifícios são agora inaceitáveis aos olhos de Deus. — Daniel 9:26, 27.

  • O feriado promove o ecumenismo?

    Princípio bíblico: “O que é que o crente tem em comum com o descrente? E que acordo há entre o templo de Deus e os ídolos?” — 2 Coríntios 6:15-17.

    As Testemunhas de Jeová esforçam-se para conviver pacificamente com os seus vizinhos e respeitam o direito que cada pessoa tem de escolher as suas crenças. Apesar disso, elas não participam em celebrações que promovem o ecumenismo, conforme os exemplos que se seguem.

    Celebrações que honram uma personagem religiosa ou eventos que promovem a união de adoração entre pessoas de diferentes religiões. No passado, quando Deus conduziu o seu povo para uma terra em que as pessoas praticavam outras religiões, ele disse-lhes: “Não faças um pacto com eles nem com os seus deuses. [...] Servirias os seus deuses, o que certamente seria um laço para ti.” (Êxodo 23:32, 33) Por isso, as Testemunhas de Jeová não participam nos feriados abaixo.

    • Loi Krathong. Durante esta festa tailandesa, “as pessoas fazem umas tigelas com folhas onde colocam velas e incenso, e depois lançam-nas à água. Acredita-se que esses recipientes levam o azar embora. Na verdade, esta celebração comemora a pegada sagrada deixada por Buda.” — Encyclopedia of Buddhism (Enciclopédia do Budismo).

    • Dia Nacional do Arrependimento. De acordo com um membro do governo, citado num jornal da Papua Nova Guiné, as pessoas que participam neste evento “concordam com os fundamentos da fé cristã”. E acrescentou que a celebração do Dia Nacional do Arrependimento ajuda a promover “os princípios cristãos no país”.

    • Vesak. “Este é o dia mais sagrado do Budismo, porque celebra o nascimento, a iluminação e morte de Buda, ou o atingir do Nirvana.” — Holidays, Festivals, and Celebrations of the World Dictionary (Dicionário de Feriados, Festas Religiosas e Celebrações do Mundo).

      Vesak

    Festividades baseadas em tradições religiosas que não são ensinadas na Bíblia. Jesus disse aos líderes religiosos: “Vocês invalidaram a palavra de Deus por causa da vossa tradição.” Ele afirmou ainda que a adoração deles era em vão, porque ensinavam “regras de homens como doutrinas”. (Mateus 15:6, 9) Por levarem a sério este aviso, as Testemunhas de Jeová não participam em vários eventos religiosos, como os citados a seguir.

    • Epifania (Timkat, Dia de Reis ou Dia dos Três Reis Magos). Esta celebração pode comemorar tanto a visita dos astrólogos a Jesus como o batismo dele. Esta festividade “cristianizou determinadas festas pagãs da primavera, que honravam os deuses das águas correntes, rios e ribeiros”. (The Christmas Encyclopedia (Enciclopédia do Natal)) Uma festa relacionada com essa celebração, chamada Timkat, “tem profundas raízes na tradição.” — Encyclopedia of Society and Culture in the Ancient World (Enciclopédia da Sociedade e da Cultura do Mundo Antigo)

    • Festa da Assunção de Nossa Senhora. Esta festividade celebra a crença de que a mãe de Jesus subiu ao céu com o seu corpo físico. “Esta crença era desconhecida dos primeiros cristãos, e não existe nenhuma referência a tal nas Escrituras”, diz o livro Religion and Society – Encyclopedia of Fundamentalism (Religião e Sociedade – Enciclopédia do Fundamentalismo).

    • Festa da Imaculada Conceição. “A Imaculada Conceição [de Maria] não é ensinada explicitamente nas Escrituras. [...] É uma doutrina da Igreja.” — New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica).

    • Quaresma. De acordo com a New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica), este período de penitência e jejum foi estabelecido “no século quarto”, mais de 200 anos depois de a Bíblia ter sido concluída. Em relação ao primeiro dia da quaresma, a mesma enciclopédia afirma: “A prática de os fiéis receberem cinzas na Quarta-feira de Cinzas é universal desde o Sínodo de Benevento, em 1091.”

    • Meskel. Esta festividade etíope celebra “a descoberta da Verdadeira Cruz (a cruz em que Cristo foi pregado), acendendo-se fogueiras e dançando-se ao redor delas”, diz a Encyclopedia of Society and Culture in the Medieval World (Enciclopédia da Sociedade e da Cultura no Mundo Medieval; os parêntesis são do autor). No entanto, as Testemunhas de Jeová não usam a cruz na sua adoração.

  • O feriado glorifica um humano, uma organização ou um símbolo nacional?

    Princípio bíblico: “Assim diz Jeová: ‘Maldito o homem que confia em meros humanos, que conta com a força dos homens, e cujo coração se afasta de Jeová.’” — Jeremias 17:5.

    Embora mostrem consideração pelo seu próximo e até mesmo orem pelos outros, as Testemunhas de Jeová não participam nos eventos ou celebrações abaixo.

    Feriados que honram um governante ou outra pessoa importante. A Bíblia diz: “Para o vosso próprio bem, parem de confiar no mero homem, que é apenas o fôlego das suas narinas. Porque deveria ele ser levado em conta?” (Isaías 2:22) Assim, as Testemunhas de Jeová não comemoram, por exemplo, o aniversário de um rei ou de uma rainha.

    Celebrações relacionadas com a bandeira nacional. As Testemunhas de Jeová não comemoram o Dia da Bandeira. Porquê? Porque a Bíblia diz: “Guardem-se dos ídolos.” (1 João 5:21) Hoje, algumas pessoas não consideram a bandeira como ídolo, ou objeto de adoração, mas o historiador Carlton J. H. Hayes escreveu que, no nacionalismo, “o principal símbolo de fé e objeto central de adoração é a bandeira”.

    Feriados ou celebrações que glorificam um santo. O que é que aconteceu quando um homem temente a Deus se curvou diante do apóstolo Pedro? A Bíblia diz: “Pedro levantou-o, dizendo: ‘Levanta-te! Eu também sou apenas um homem.’” (Atos 10:25, 26) Assim como Pedro e os outros apóstolos não aceitaram uma homenagem especial ou veneração, as Testemunhas de Jeová não participam em eventos que honram pessoas consideradas santas, como os mencionados a seguir.

    • Dia de Todos os Santos. “Uma festa em homenagem a todos os santos. [...] As origens desta festa são incertas.” — New Catholic Encyclopedia (Nova Enciclopédia Católica).

    • Festa da Nossa Senhora de Guadalupe. Esta festa religiosa honra “a santa padroeira do México”, que alguns acreditam ser Maria, a mãe de Jesus. Acredita-se que ela apareceu milagrosamente a um camponês, em 1531. — The Greenwood Encyclopedia of Latino Literature (Enciclopédia Greenwood da Literatura Latina).

      Festa da Nossa Senhora de Guadalupe

    • Dia do Nome (Dia Onomástico). “O dia do nome é a celebração do santo cujo nome é dado a uma criança durante o seu batismo ou no crisma”, afirma o livro Celebrating Life Customs Around the World: From Baby Showers to Funerals (Tradições de Celebração da Vida ao Redor do Mundo – de Baby Showers a Funerais). A obra acrescenta que existe “um forte elemento religioso relacionado com esse dia.”

    Celebrações de movimentos políticos ou sociais. A Bíblia diz: “É melhor refugiar-se em Jeová do que confiar nos humanos.” (Salmo 118:8, 9) As Testemunhas de Jeová não participam nas celebrações do Dia Internacional da Mulher ou do Dia Internacional da Juventude, que apoiam campanhas políticas ou sociais. Elas confiam que apenas Deus vai resolver os problemas da humanidade, não os humanos. Pelo mesmo motivo, as Testemunhas de Jeová também não participam no Dia da Abolição da Escravatura ou em celebrações desse tipo. Em vez disso, acreditam que somente o Reino de Deus vai acabar com problemas como o racismo e a desigualdade. — Romanos 2:11; 8:21.

  • O feriado faz uma nação ou um grupo étnico parecer superior a outros?

    Princípio bíblico: “Deus não é parcial, mas, em todas as nações, ele aceita aquele que o teme e faz o que é certo.” — Atos 10:34, 35.

    Muitas Testemunhas de Jeová amam a sua terra natal, mas não participam em celebrações que dão destaque a uma nação ou a um grupo étnico, como as alistadas a seguir.

    Eventos que honram as forças armadas. Em vez de promover a guerra, Jesus disse aos seus seguidores: “Continuem a amar os vossos inimigos e a orar pelos que vos perseguem.” (Mateus 5:44) Assim, as Testemunhas de Jeová não participam em celebrações que honram soldados, incluindo os feriados abaixo.

    • Dia de Anzac. Em inglês, o acrónimo “‘Anzac’ significa Forças Armadas da Austrália e da Nova Zelândia”, e “o dia de Anzac, com o tempo, tornou-se um dia para lembrar os mortos em combate.” — Historical Dictionary of Australia (Dicionário Histórico da Austrália).

    • Dia dos Veteranos de Guerra (Aniversário do Armistício ou Dia do Combatente). Estas celebrações honram “veteranos das forças armadas e aqueles que morreram nas guerras do país.” — Encyclopædia Britannica (Enciclopédia Britânica).

    Celebrações da história ou da independência de uma nação. Jesus disse sobre os seus seguidores: “Eles não fazem parte do mundo, assim como eu não faço parte do mundo.” (João 17:16) Embora as Testemunhas de Jeová gostem de aprender sobre a história de uma nação, elas não participam em eventos como os que se seguem.

    • Dia da Austrália. De acordo com a Worldmark Encyclopedia of Cultures and Daily Life (Enciclopédia Worldmark de Culturas e do Quotidiano), este feriado celebra “o dia, no ano de 1788, em que os soldados ingleses levantaram a sua bandeira e declararam a Austrália uma nova colónia.”

    • Dia de Guy Fawkes. É “o dia da celebração e comemoração nacional da tentativa fracassada de Guy Fawkes e outros simpatizantes católicos de matar o rei Jaime I e os membros do Parlamento Inglês, em 1605”. — A Dictionary of English Folklore (Dicionário do Folclore Inglês).

    • Dia da Independência. Em vários lugares, este é o dia em que um país celebra o aniversário da ocasião em que se tornou independente de outro país.

  • O feriado incentiva o comportamento descontrolado e imoral?

    Princípio bíblico: “Pois, já bastou o tempo que gastaram no passado a fazer a vontade das nações, quando viviam em conduta insolente, em paixões desenfreadas, em embriaguez, em festas descontroladas, em bebedeiras e em idolatrias ilícitas.” — 1 Pedro 4:3.

    Em harmonia com este princípio bíblico, as Testemunhas de Jeová não participam em celebrações que envolvam festas descontroladas e excesso de bebidas alcoólicas. No entanto, gostam de se reunir com os seus amigos e, nessas ocasiões, decidem se vão ou não beber bebidas alcoólicas moderadamente. As Testemunhas de Jeová esforçam-se sempre ao máximo para seguir o conselho bíblico: “Quer comam, quer bebam, quer façam qualquer outra coisa, façam todas as coisas para a glória de Deus.” — 1 Coríntios 10:31.

    Portanto, as Testemunhas de Jeová não participam em carnavais ou festivais semelhantes, que promovem a conduta indecente condenada pela Bíblia. Isso inclui a festividade judaica de Purim. Antigamente, o Purim era a celebração da libertação dos judeus no século quinto antes de Cristo, mas, hoje, o Purim pode ser “de certa forma descrito como a versão judaica do Mardi Gras ou Carnaval”, afirma o livro Essential Judaism (O Essencial do Judaísmo). Para os foliões, participar nesta festa “envolve o uso de disfarces (geralmente, com os homens a vestir roupa de mulher), comportamento descontrolado, bebedeiras e muito barulho.”

 As Testemunhas de Jeová ainda amam os seus familiares, apesar de não comemorarem certos feriados com eles?

Sim. A Bíblia ensina que as pessoas devem amar e respeitar todos os membros da família, não importa qual a religião que eles tenham. (1 Pedro 3:1, 2, 7) Naturalmente, quando uma Testemunha de Jeová deixa de participar em determinadas celebrações, alguns dos seus familiares podem ficar aborrecidos, ofendidos ou, até, sentir-se traídos. Sabendo disso, muitas Testemunhas de Jeová tomam a iniciativa de reafirmar o amor que sentem pelos seus parentes, explicando-lhes com cuidado as razões de não comemorarem certos feriados e de os visitarem em outras ocasiões.

 Será que as Testemunhas de Jeová proíbem outras pessoas de comemorar certos feriados?

Não. Elas acreditam que cada pessoa deve tomar a sua própria decisão. (Josué 24:15) As Testemunhas de Jeová respeitam “homens de todo o tipo”, independentemente da crença deles. — 1 Pedro 2:17.

^ par. 2 Este artigo não menciona todos os feriados que as Testemunhas de Jeová não comemoram, nem todos os princípios bíblicos envolvidos.

^ par. 6 Em alguns países, o dia 1 de Maio é conhecido principalmente como o Dia do Trabalhador, mas a celebração deste feriado tem origem na Roma antiga. Para saber mais, veja o artigo “Primeiro de Maio – o que significa para você?”, na Despertai! de 22 de abril de 2005, páginas 12-14.

^ par. 9 United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization.

^ par. 10 Mithra, Mithraism, Christmas Day & Yalda (Mitra, Mitraísmo, Natal e Yalda), de K. E. Eduljee, páginas 31-33.