Ir para conteúdo

Porque é que as Testemunhas de Jeová são neutras em assuntos políticos?

Porque é que as Testemunhas de Jeová são neutras em assuntos políticos?

As Testemunhas de Jeová são neutras em assuntos políticos por causa das suas crenças religiosas, baseadas no que a Bíblia ensina. Nós não votamos em candidatos ou partidos políticos, não concorremos a cargos políticos e não participamos em nenhuma ação para influenciar ou mudar governos. Acreditamos que a Bíblia dá bons motivos para sermos neutros.

  • Seguimos o exemplo de Jesus, que se recusou a aceitar um cargo político. (João 6:15) Ele ensinou que os seus discípulos não deveriam ‘fazer parte do mundo’ e deixou claro que eles não deveriam envolver-se em assuntos políticos. — João 17:14, 16; 18:36; Marcos 12:13-17.

  • Somos leais ao Reino de Deus, ao qual Jesus se referiu quando disse: “Estas boas novas do reino serão pregadas em toda a terra habitada.” (Mateus 24:14) Somos representantes do Reino de Deus e temos a obrigação de anunciar a sua chegada. Por isso, somos neutros nos assuntos políticos de todos os países, incluindo o país onde moramos. — 2 Coríntios 5:20; Efésios 6:20.

  • Por permanecermos neutros, podemos falar das boas novas do Reino de Deus com todas as pessoas, independentemente da ideologia política que tenham. Tentamos mostrar por palavras e ações que confiamos no Reino de Deus para resolver os problemas do mundo. — Salmo 56:11.

  • Como não há divisão política entre nós, estamos unidos numa fraternidade mundial. (Colossenses 3:14; 1 Pedro 2:17) Por outro lado, religiões que se intrometem na política causam divisão entre os seus adeptos. — 1 Coríntios 1:10.

Respeito pelos governos. Embora não nos envolvamos na política, respeitamos a autoridade dos governos sob os quais vivemos. Isto está de acordo com o que a Bíblia manda: “Que todos estejam sujeitos às autoridades superiores.” (Romanos 13:1) Nós obedecemos às leis, pagamos impostos e colaboramos com as medidas tomadas pelos governos para o bem-estar dos seus cidadãos. Em vez de participarmos em tentativas de desestabilizar o governo, seguimos o conselho bíblico de orar pelos “reis e [por] todos os que estão em altos cargos”, principalmente quando eles têm de tomar decisões que podem afetar a liberdade de adoração. — 1 Timóteo 2:1, 2.

Nós também respeitamos o direito de outros fazerem as suas próprias decisões em assuntos políticos. Por exemplo, nós não interrompemos eleições nem impedimos aqueles que desejam votar.

Será que a nossa posição neutra é algo recente? Não. Os apóstolos e outros cristãos do primeiro século tinham a mesma posição em relação às autoridades do governo. O livro Beyond Good Intentions (Além das Boas Intenções) declara: “Embora acreditassem ter a obrigação de honrar as autoridades governamentais, os primeiros cristãos entendiam que não deviam envolver-se em assuntos políticos.” Igualmente, o livro On the Road to Civilization (Na Estrada Para a Civilização) diz que os primeiros cristãos “não aceitavam cargos políticos”.

Será que a nossa neutralidade política é uma ameaça à segurança nacional? Não. Somos cidadãos que amam a paz, e os governos não precisam de se sentir ameaçados. Veja o que diz um relatório de 2001 produzido pela Academia Nacional de Ciências da Ucrânia. A respeito da nossa neutralidade política, o relatório comentava: “Alguns hoje podem não gostar desta posição das Testemunhas de Jeová. Esse foi um dos motivos principais de elas terem sido acusadas no passado pelos regimes totalitários do nazismo e do comunismo.” Mesmo debaixo da repressão soviética, as Testemunhas de Jeová “continuaram a ser pessoas que respeitavam as leis. De modo honesto e abnegado, elas trabalharam em propriedades coletivas e em fábricas, e nunca representaram uma ameaça ao regime comunista”. Do mesmo modo, hoje, as crenças e práticas das Testemunhas de Jeová não “minam a segurança e a integridade de nenhum Estado”, conforme concluiu o relatório.