Ir para conteúdo

A BÍBLIA MUDA VIDAS

Ganhei o melhor prémio da minha vida

Ganhei o melhor prémio da minha vida
  • ANO DE NASCIMENTO: 1967

  • PAÍS DE ORIGEM: FINLÂNDIA

  • HISTÓRICO: JOGADOR DE TÉNIS PROFISSIONAL

O MEU PASSADO

Cresci em Tampere, uma região tranquila e verdejante na Finlândia. A minha família não era muito religiosa, mas, para eles, estudar e ter boas maneiras eram coisas importantes. A minha mãe é alemã e, quando eu era criança, ia de vez em quando passar uma temporada na casa dos meus avós, na Alemanha Ocidental.

Eu gosto de desporto desde criança. Na infância, pratiquei desportos de todos os tipos. Mas, quando tinha uns 14 anos, resolvi concentrar-me no ténis. Aos 16 anos, treinava duas ou três vezes por dia: tinha dois treinos profissionais e, à noite, treinava sozinho. Ficava impressionado com os diferentes aspetos desse desporto. Jogar ténis era um modo de desafiar a minha mente e o meu corpo. Eu gostava de estar com os meus amigos e beber uma cerveja de vez em quando, mas nunca tive problemas com o álcool e nunca usei drogas. A minha vida girava em torno do ténis. Essa era a minha prioridade.

Aos 17 anos, comecei a participar nos torneios do circuito ATP. * Depois de vencer alguns, fiquei conhecido em todo o país. Quando tinha 22 anos, estava entre os 50 melhores tenistas do mundo.

Durante muitos anos, viajei pelo mundo inteiro como jogador de ténis profissional. Visitei lugares incríveis, mas também vi muitos problemas mundiais, como o crime, as drogas e os problemas ambientais. Por exemplo, quando estávamos nos Estados Unidos, disseram para não visitarmos certos locais de algumas cidades por causa da violência. Tudo isso me incomodava muito. Além disso, no fim do dia, eu sentia um vazio, apesar de fazer uma coisa que amava.

COMO A BÍBLIA MUDOU A MINHA VIDA

Sanna, a minha namorada, tinha começado a estudar a Bíblia com as Testemunhas de Jeová. Eu até achava engraçado ver esse seu lado religioso, e não me importava que ela estudasse a Bíblia. Em 1990, casámo-nos, e ela batizou-se como Testemunha de Jeová no ano seguinte. Eu não me considerava uma pessoa religiosa, mas acreditava em Deus. Lembrava-me de que a minha avó alemã lia bastante a Bíblia, e de que ela até me tinha ensinado a orar.

Um dia, quando eu e a Sanna estávamos a visitar um casal de Testemunhas de Jeová, o marido, Kari, mostrou-me na Bíblia a profecia sobre os “últimos dias”. (2 Timóteo 3:1-5) Fiquei muito impressionado. Percebi que isso explicava por que motivo as coisas estão tão difíceis no mundo. Naquele dia, não falámos muito de religião. Mas, a partir daí, comecei a conversar com o Kari sobre a Bíblia, e tudo o que eu aprendia fazia sentido. Como eu tinha uma vida muito ocupada e viajava muito, era difícil encontrarmo-nos com regularidade. Mas o Kari não desistiu. Escrevia-me cartas com as respostas às perguntas que eu tinha feito nas nossas sessões de estudo. Todas as perguntas importantes que eu tinha sobre a vida eram respondidas na Bíblia de forma lógica. Aos poucos, comecei a ver qual é o tema principal da Bíblia: que o Reino de Deus vai realizar a sua vontade. Aprender o nome de Deus, Jeová, e ver tudo o que ele fez por nós, também me deixou muito impressionado. (Salmo 83:18) Mas, o que me deixou mais maravilhado foi Jeová ter enviado o seu filho como resgate para nos salvar. Esse resgate não é só uma provisão técnica ou uma simples formalidade. É uma prova do amor de Deus. (João 3:16) Também aprendi que eu tinha a oportunidade de ser amigo de Deus e de viver em paz, num paraíso, para sempre. (Tiago 4:8) Comecei a perguntar-me: “Como posso mostrar a Deus quão grato estou?”

Eu parei e pensei bastante sobre a minha vida. Estava a aprender na Bíblia que a verdadeira felicidade vem de ajudar as pessoas. E eu tinha vontade de compartilhar com elas o que estava a aprender. (Atos 20:35) Mas, como era atleta profissional, ficava longe de casa a participar em torneios cerca de 200 dias por ano. A vida da minha família girava em torno de mim: do meu treino, da minha rotina e da minha carreira. Percebi que tinha de mudar isso.

Sabia que muitas pessoas não iam entender se eu desistisse da minha carreira desportiva bem-sucedida por motivos religiosos. No entanto, a oportunidade de conhecer melhor a Jeová e de viver para sempre era muito mais valiosa para mim do que qualquer prémio que eu pudesse ganhar. Por isso, tomar uma decisão não foi difícil. Eu estava decidido a não dar ouvidos ao que as pessoas pudessem dizer. A decisão tinha de ser minha. Um texto da Bíblia que me deu muita força para resistir à pressão de outros foi o Salmo 118:6: “Jeová está do meu lado; não terei medo. O que me pode fazer o homem?”

Nessa época, alguns patrocinadores ofereceram-me um acordo lucrativo que me permitiria jogar ténis profissional durante muitos anos, sem me preocupar. Mas eu estava decidido. Recusei a oferta e, por fim, parei de jogar nos torneios ATP. Continuei a estudar a Bíblia e, no dia 2 de julho de 1994, fui batizado como Testemunha de Jeová.

COMO FUI BENEFICIADO

No meu caso, não foi uma tragédia que me levou a pensar em Deus. Eu achava que a minha vida era razoavelmente boa e que não estava a faltar nada. E eu também não estava à procura das verdades da Bíblia, mas foi como se elas estivessem à espera de que eu as encontrasse. Depois descobri que a vida tem um objetivo muito maior, e a minha vida tornou-se muito melhor do que eu poderia imaginar! A nossa família é mais forte e mais unida do que nunca. E fico muito feliz por ver que os meus três filhos seguiram os meus passos, não como atletas, mas como cristãos.

Eu ainda gosto de jogar ténis. Ao longo dos anos, tenho sustentado a minha família trabalhando em atividades relacionadas com este desporto, por exemplo, como treinador e gerente de um clube de ténis. Mas a minha vida já não gira em torno do desporto. Antigamente, eu treinava muitas horas por semana para ser um tenista melhor, para ser um campeão. Hoje, fico feliz quando uso boa parte do meu tempo para ajudar outros a aprender e a pôr em prática as verdades da Bíblia que mudaram a minha vida. As coisas que me dão mais alegria são a minha amizade com Jeová e compartilhar com outros a esperança de um futuro melhor. — 1 Timóteo 6:19.

^ par. 3 ATP é a sigla da Associação de Tenistas Profissionais. É o órgão que regula os torneios de ténis profissional masculino. O circuito ATP inclui vários torneios profissionais que atribuem pontos e prémios em dinheiro aos vencedores. O total de pontos acumulados nos torneios é o que determina a posição do jogador no ranking mundial.