Ir para conteúdo

A BÍBLIA MUDA VIDAS

“Já não sou escravo da violência”

“Já não sou escravo da violência”
  • Ano de nascimento: 1956

  • País de origem: Canadá

  • Histórico: Desiludido com a vida, promíscuo e violento

O MEU PASSADO

Nasci na cidade de Calgary, em Alberta, no Canadá. Quando ainda era muito pequeno, os meus pais divorciaram-se. Então, eu e a minha mãe fomos morar para a casa dos meus avós. Os meus avós amavam-nos muito, a mim e à minha mãe, e, por isso, fui uma criança muito feliz. Eu ainda recordo com muito carinho aqueles anos calmos da infância.

À idade de sete anos, a minha vida mudou para pior, quando a minha mãe voltou a casar-se com o meu pai; nessa altura, mudámos para os Estados Unidos, mais precisamente para St. Louis, no Missouri. Rapidamente descobri que o meu pai conseguia ser bastante cruel. Por exemplo, quando cheguei a casa depois do primeiro dia de aulas na minha nova escola, ele descobriu que eu tinha sido alvo de algumas agressões e que não tinha lutado em resposta. Ele ficou furioso e bateu-me mais do que os miúdos da escola! Eu tomei a suposta lição a peito, e entrei na minha primeira luta com apenas sete anos de idade.

O mau temperamento do meu pai amargurava a minha mãe e, por isso, havia com frequência conflitos e gritaria em casa. Comecei a consumir drogas e álcool aos 11 anos. Tornei-me cada vez mais agressivo e participava frequentemente em lutas de rua. Quando terminei o ensino secundário, eu já me tinha tornado uma pessoa muito violenta.

Aos 18 anos, alistei-me no Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA. O treino que então recebi transformou a minha agressividade em habilidades para matar. Cinco anos depois, deixei a carreira militar para estudar psicologia, na esperança de fazer carreira no FBI (Departamento Federal de Investigação, sigla em inglês). Iniciei os meus estudos universitários nos Estados Unidos. Depois, voltei para o Canadá, onde continuei a estudar.

Na universidade, fiquei completamente desiludido com a humanidade e a sociedade em geral. As pessoas pareciam tão egoístas, tudo no mundo parecia tão vazio, e os problemas da humanidade pareciam não ter solução. Perdi a esperança de que os humanos conseguissem fazer do mundo um lugar melhor.

Não vendo qualquer objetivo na vida, a minha própria vida foi uma espiral de consumo de álcool e drogas e consistia em procurar, insaciavelmente, dinheiro e sexo. Só queria saber qual era a próxima festa e qual era a próxima mulher. Sentia-me confiante por causa do treino militar que tinha recebido e, por isso, envolvia-me frequentemente em lutas. Eu tinha o meu próprio senso de justiça e confrontava qualquer um que eu achasse que estava a ser injusto com os outros. Contudo, na realidade, eu tinha-me tornado um escravo da violência.

COMO A BÍBLIA MUDOU A MINHA VIDA

Certo dia, eu e um amigo meu estávamos sob o efeito de drogas e a preparar um carregamento ilegal de marijuana na cave da minha casa. Nessa ocasião, o meu amigo perguntou-me se eu acreditava em Deus, ao que eu respondi: “Se Deus é responsável pelo sofrimento no mundo, eu não quero ter nada a ver com ele!” No dia seguinte, o primeiro no meu novo emprego, um colega de trabalho que era Testemunha de Jeová perguntou-me: “Achas que Deus é responsável pelo sofrimento no mundo?” Fiquei surpreendido por causa do que eu tinha dito precisamente no dia anterior, e isso despertou a minha curiosidade. Nos seis meses seguintes, conversámos muito e ele mostrou-me as respostas da Bíblia a algumas das questões mais complexas que eu tinha sobre a vida.

A minha noiva, com quem eu vivia na altura, não quis que eu compartilhasse com ela as coisas que estava a aprender. Certo domingo, eu disse-lhe que tinha convidado as Testemunhas de Jeová para virem à nossa casa, para estudarem a Bíblia connosco. No dia seguinte, ao voltar do trabalho, vi que ela me tinha abandonado e levado tudo o que havia em casa. Saí de casa e comecei a chorar. Também orei a Deus, a pedir-lhe ajuda. Aquela foi a primeira vez que usei o nome pessoal de Deus, Jeová, numa oração. — Salmo 83:18.

Dois dias depois, tive o meu primeiro estudo da Bíblia com as Testemunhas de Jeová. Depois de o casal que tinha vindo estudar a Bíblia comigo sair, continuei a ler a publicação de estudo, que era o livro Poderá Viver Para Sempre no Paraíso na Terra, e terminei-o naquela mesma noite. * O que aprendi acerca de Jeová Deus e do seu Filho, Jesus Cristo, tocou o meu coração. Eu vi que Jeová é compassivo e que sofre quando nós sofremos. (Isaías 63:9) Tocou-me particularmente o amor de Deus por mim e o sacrifício que o seu Filho fez em meu favor. (1 João 4:10) Concluí que Jeová tinha sido muito paciente comigo “porque não deseja que ninguém seja destruído, mas deseja que todos alcancem o arrependimento”. (2 Pedro 3:9) Eu senti que Jeová estava a atrair-me a si. — João 6:44.

Comecei a assistir às reuniões congregacionais naquela mesma semana. Eu tinha o cabelo comprido, usava brincos e tinha uma aparência assustadora, mas as Testemunhas trataram-me como se eu fosse um familiar há muito perdido. Agiram como verdadeiros cristãos. Eu senti-me como se tivesse voltado para a casa dos meus avós, mas num ambiente ainda mais maravilhoso.

Em pouco tempo, o que eu estava a aprender da Bíblia começou a transformar a minha vida. Cortei o cabelo, deixei todas as práticas sexualmente imorais, e parei de consumir drogas e álcool. (1 Coríntios 6:9, 10; 11:14) Eu queria agradar a Jeová. Assim, quando ficava a saber que ele desaprova algo que eu estava a fazer, nunca tentei arranjar desculpas para o meu mau comportamento, Em vez disso, sentia-me apunhalado no coração. Eu dizia para mim mesmo: “Não posso voltar a comportar-me deste modo.” E, sem hesitação, tentava mudar o meu modo de pensar e as minhas ações. Rapidamente, comecei a sentir os benefícios de fazer as coisas à maneira de Jeová. No dia 29 de julho de 1989 – seis meses depois do meu primeiro estudo bíblico – batizei-me como Testemunha de Jeová.

COMO FUI BENEFICIADO

A Bíblia tem-me ajudado a mudar a minha personalidade. No passado, eu costumava reagir violentamente quando confrontado com uma pessoa hostil, mas agora esforço-me para ser “pacífico com todos”. (Romanos 12:18) Eu não tenho nenhum mérito nesta mudança; antes, agradeço a Jeová pelo poder transformador da sua Palavra e do seu espírito santo. — Gálatas 5:22, 23; Hebreus 4:12.

Em vez de ser escravo das drogas, da violência e de desejos imorais, agora esforço-me ao máximo por agradar a Jeová e dar-lhe o meu melhor. Isso inclui ajudar outros a conhecê-lo. Alguns anos depois de estar batizado, mudei-me para outra parte do mundo, para ajudar a pregar em áreas onde havia mais necessidade de evangelizadores. Ao longo dos anos, tenho tido a alegria de ensinar muitas pessoas e de ver como a Bíblia melhorou a vida delas também. Fiquei muito contente por a minha mãe se ter tornado Testemunha de Jeová – em parte, devido às mudanças positivas que ela viu na minha atitude e no meu comportamento.

Em 1999, em El Salvador, fui um dos formandos da que agora se chama Escola para Evangelizadores do Reino. Essa escola treinou-me e equipou-me para tomar a dianteira na evangelização e para ensinar e cuidar da congregação. Mais tarde nesse mesmo ano, casei-me com a minha adorável esposa, Eugénia. Juntos, estamos a servir como pregadores de tempo integral na Guatemala.

Agora, em vez de estar desiludido com a vida, sou imensamente feliz. A aplicação dos princípios bíblicos tem-me libertado da imoralidade sexual e da violência, e tem-me dado uma vida cheia de verdadeiro amor e paz.

^ par. 9 Atualmente, o livro O Que Nos Ensina a Bíblia? é a publicação de estudo mais frequentemente usada pelas Testemunhas de Jeová.