Ir para conteúdo

26 DE JUNHO DE 2017
RÚSSIA

Autoridades russas dão reconhecimento público a Testemunhas de Jeová, incluindo a um cidadão dinamarquês que está preso, por notável serviço comunitário

Autoridades russas dão reconhecimento público a Testemunhas de Jeová, incluindo a um cidadão dinamarquês que está preso, por notável serviço comunitário

Nota de agradecimento das autoridades de Oriol: “Em agradecimento pelo bom serviço prestado à comunidade e a favor do meio ambiente.”

NOVA IORQUE – No dia 2 de junho de 2017, a congregação das Testemunhas de Jeová em Oriol recebeu um reconhecimento público, da parte das autoridades da cidade, pela participação na limpeza anual da cidade, no dia 22 de abril de 2017. Nesse dia, 70 Testemunhas de Jeová ofereceram-se para passar o dia a recolher lixo das ruas de Oriol e do rio Orlik, que atravessa a cidade. Como forma de agradecimento, as autoridades entregaram às Testemunhas de Jeová um pequeno presente e uma nota de agradecimento. Parte da nota diz: “Em agradecimento pelo bom serviço prestado à comunidade e a favor do meio ambiente.”

No entanto, no dia 25 de maio, um mês depois da limpeza e uma semana antes de receberem o agradecimento formal por parte das autoridades, Dennis Christensen (em destaque na fotografia acima), uma das Testemunhas de Jeová que participou na limpeza, foi preso por suposta atividade extremista, enquanto participava numa reunião religiosa pacífica. As autoridades russas têm usado a alegação de participação em atividades extremistas para atacar as Testemunhas de Jeová na Rússia.

Dennis Christensen a ajudar na limpeza de Oriol, em outubro de 2011.

David A. Semonian, porta-voz da sede mundial das Testemunhas de Jeová, disse: “Quem conhece as Testemunhas de Jeová não fica admirado ao ver Dennis e os outros membros da congregação oferecerem-se para participar na limpeza da cidade. Eles já o fazem há muitos anos, mesmo depois de a sua associação jurídica em Oriol ter sido encerrada em 2016. As Testemunhas de Jeová de Oriol e de outras cidades ao redor do mundo são conhecidas por serem cidadãos exemplares. Por isso, não faz sentido que Dennis, um cristão trabalhador e um bom cidadão, seja tratado como um criminoso, depois de ter recebido reconhecimento público por parte das autoridades por contribuir, positivamente, em prol da cidade de Oriol. Dennis deveria ser libertado imediatamente. Além disso, as autoridades deveriam permitir que ele continuasse a adorar a Deus e a realizar atividades de apoio à comunidade juntamente com os seus companheiros de adoração.”

Dennis foi preso quase um ano depois de a associação jurídica usada pelas Testemunhas de Jeová em Oriol ter sido encerrada, a 14 de junho de 2016. As acusações contra Dennis também foram levantadas depois de 20 de abril de 2017, quando o Supremo Tribunal da Federação Russa decidiu fechar o Centro Administrativo das Testemunhas de Jeová na Rússia, localizado perto de São Petersburgo. Até ao momento, Dennis Christensen ainda se encontra em prisão preventiva.

Contacto para a comunicação social:

David A. Semonian, Departamento de Informação Pública, +1-845-524-3000