Ir para conteúdo

O irmão Dmitriy Barmakin com a sua esposa, Elena, após sair da prisão

19 DE NOVEMBRO DE 2019
RÚSSIA

Juiz russo ordena a libertação do irmão Dmitriy Barmakin, após passar 447 dias na prisão

Juiz russo ordena a libertação do irmão Dmitriy Barmakin, após passar 447 dias na prisão

A 18 de outubro de 2019, depois de passar 447 dias em prisão preventiva, o irmão Dmitriy Barmakin foi transferido para o regime de prisão domiciliária. Ele pode agora estar de novo com a sua esposa, Elena, com quem está casado há 13 anos.

O irmão Barmakin foi preso a 28 de julho de 2018. Ele estava de visita em casa da avó da sua esposa, de 90 anos de idade, quando agentes da polícia armados e encapuzados invadiram a casa. O irmão Barmakin foi acusado de participar nas atividades religiosas das Testemunha de Jeová. O Tribunal Distrital de Pervorechenskiy, em Vladivostok, determinou que o irmão Barmakin fosse colocado em prisão preventiva durante dois meses. Posteriormente, o tribunal estendeu o prazo da prisão preventiva oito vezes.

Numa das audiências, o tribunal descreveu a adoração pacífica do irmão Barmakin como “crime contra os fundamentos da ordem constitucional e da segurança do estado”. Esta acusação falsa contradiz o artigo 28 da Constituição da Federação Russa, o qual estabelece, de maneira clara, que todos podem “escolher, ter e divulgar livremente crenças, religiosas ou não, e agir de acordo com as mesmas”.

Embora com isto a investigação criminal ao irmão Barmakin não termine, ficamos contentes por o juiz Stanislav Salnikov, do Tribunal Distrital de Pervorechenskiy, em Vladivostok, ter decretado a libertação do nosso irmão da prisão preventiva.

Estamos confiantes de que Jeová continuará a fortalecer e a apoiar os nossos queridos irmãos na Rússia, especialmente os que estão em estabelecimentos prisionais ou em prisão domiciliária. Tal como o irmão Barmakin, esses irmãos são um excelente exemplo de fé e de coragem para a associação inteira dos irmãos. — Filipenses 1:13, 14.