Ir para conteúdo

Será que o conceito da Bíblia sobre o certo e o errado ainda tem algum valor?

Será que o conceito da Bíblia sobre o certo e o errado ainda tem algum valor?

Muitas pessoas, incluindo algumas que se consideram cristãs, acham que os padrões de moral da Bíblia sobre sexo e casamento estão ultrapassados. Para se adaptarem aos novos tempos, algumas igrejas mudaram os seus ensinos sobre o tipo de conduta que é certo ou errado. Será que o conceito da Bíblia sobre o certo e o errado ainda tem algum valor? Sim. Este artigo vai explicar porquê.

Os humanos precisam dos padrões de Deus sobre o que é certo e o que é errado

Nós fomos criados com a necessidade de recorrer à orientação do nosso Criador. A Bíblia diz: “Nem sequer cabe ao homem dirigir os seus passos.” (Jeremias 10:23) Embora Jeová * Deus nos tenha criado com a capacidade de tomar decisões, ele não nos deu a autoridade nem a habilidade para determinarmos por nós mesmos o que é certo e o que é errado. Ele espera que confiemos nele para tomar essa decisão. — Provérbios 3:5.

Podemos encontrar a orientação moral de Deus na Bíblia. Consideremos duas razões para os seus padrões serem tão valiosos.

  • Deus criou-nos. (Salmo 100:3) Como nosso Criador, Jeová Deus sabe exatamente aquilo de que precisamos para sermos saudáveis e felizes a nível físico, mental e emocional. Ele também sabe quais são as consequências de ignorarmos a sua orientação moral. (Gálatas 6:7) Além disso, Jeová quer o melhor para nós. É por isso que a Bíblia o descreve como “aquele que te ensina o que é melhor para ti, aquele que te guia no caminho em que deves andar”. — Isaías 48:17.

  • Os nossos desejos podem induzir-nos em erro. Muitas pessoas acham que podem determinar o que é certo e errado por seguirem o coração, ou seja, os seus desejos. No entanto, a Bíblia diz que “o coração é mais traiçoeiro do que qualquer outra coisa e está desesperado”. (Jeremias 17:9) Se o nosso coração não for guiado pela sabedoria divina, vai levar-nos a agir de uma forma de que nos vamos arrepender mais tarde. — Provérbios 28:26; Eclesiastes 10:2.

Será que os líderes religiosos devem ignorar aquilo que a Bíblia diz sobre o que é certo e o que é errado?

Não. A Bíblia ensina a verdade sobre Deus e sobre o comportamento que ele quer que tenhamos. (1 Coríntios 6:9-11; Gálatas 5:19-23) Ele deseja que as pessoas conheçam essas verdades. (1 Timóteo 2:3, 4) Portanto, os ministros cristãos devem ensinar aquilo que a Palavra de Deus diz. — Tito 1:7-9.

Muitas pessoas que não querem seguir os padrões de moral da Bíblia recorrem a líderes religiosos, para que estes “lhes digam o que querem ouvir”. (2 Timóteo 4:3, nota) Contudo, a Palavra de Deus contém este sério aviso: “Ai dos que dizem que o bom é mau e que o mau é bom.” (Isaías 5:20) Obviamente, Deus vai responsabilizar os líderes religiosos que não ensinarem corretamente às pessoas as normas de moral encontradas na Bíblia.

Será que os valores morais da Bíblia promovem a intolerância?

Não. Aqueles que desejam agradar a Deus seguem o exemplo e os ensinos de Jesus Cristo, que incentivou os seus seguidores a não julgar os outros, mas a demonstrar amor e respeito por todos. — Mateus 5:43, 44; 7:1.

Os seguidores de Jesus deviam aplicar os padrões de moral de Deus na vida pessoal. Ainda assim, deviam aceitar que as outras pessoas poderiam escolher viver de acordo com padrões diferentes. (Mateus 10:14) Jesus não autorizou os seus seguidores a usarem a política ou qualquer outro meio para forçar os outros a aceitarem a perspetiva divina. — João 17:14, 16; 18:36.

Como é que os valores morais da Bíblia nos beneficiam?

Aqueles que se esforçam para seguir os padrões de Deus sobre o que é certo e errado receberão muitos benefícios, tanto agora como no futuro. (Salmo 19:8, 11) Por exemplo, eles têm:

^ par. 2 Segundo a Bíblia, Jeová é o nome de Deus. — Salmo 83:18.