Ir para conteúdo

AJUDA PARA A FAMÍLIA

O que devo fazer se o meu filho for vítima de bullying?

O que devo fazer se o meu filho for vítima de bullying?

O seu filho diz que sofre bullying na escola. O que é que pode fazer? Exigir que a escola castigue o agressor? Ensinar o seu filho a lutar para se defender? Antes de decidir, considere alguns factos sobre o bullying. *

 O que devo saber sobre o bullying?

O que é o bullying? O bullying é um tormento físico ou emocional infligido repetidamente e de forma intencional. Portanto, nem todos os insultos ou atitudes hostis constituem bullying.

Porque é importante entender bem o que é o bullying? Algumas pessoas usam o termo “bullying” para se referir a qualquer comportamento perturbador, mesmo que seja de caráter ligeiro. No entanto, se reagir de forma exagerada a pequenos incidentes e intervier mesmo em situações de menor importância, pode acabar por, inadvertidamente, impedir o seu filho de desenvolver a capacidade de resolver conflitos – algo que já lhe faz falta agora e de que precisará na vida adulta.

Princípio bíblico: “Não te ofendas facilmente.” — Eclesiastes 7:9.

Conclusão: embora algumas situações requeiram, de facto, a sua intervenção, há outras situações que podem dar ao seu filho uma oportunidade de aprender a superar dificuldades e a lidar com os outros. — Colossenses 3:13.

Mas e se o seu filho afirmar ser vítima de maus-tratos constantes e deliberados?

 Como é que posso ajudar o meu filho?

  • Ouça pacientemente o seu filho. Tente perceber (1) o que é que se está a passar e (2) a razão de ele ter sido escolhido como alvo. Não tire conclusões precipitadas sem conhecer todos os factos e pense na possibilidade de haver outro lado da história. Para conhecer devidamente todos os detalhes do que aconteceu, pode ser necessário falar com o professor do seu filho ou com os pais da outra criança.

    Princípio bíblico: “Responder antes de ouvir os factos é tolice e resulta em humilhação.” — Provérbios 18:13.

  • Se descobrir que o seu filho é realmente alvo de bullying, ajude-o a entender que a forma como ele reage pode melhorar ou piorar a situação. Por exemplo, a Bíbla diz: “Uma resposta branda acalma o furor, mas uma palavra dura atiça a ira.” (Provérbios 15:1) A verdade é que vingar-se pode piorar a situação, fazendo com que o bullying se intensifique, em vez de diminuir.

    Princípio bíblico: “Não paguem o mal com o mal, nem o insulto com o insulto.” — 1 Pedro 3:9.

  • Explique ao seu filho que recusar-se a pagar na mesma moeda não é sinal de fraqueza. Pelo contrário, não se vingar é sinal de que ele é forte, porque se recusa a ser controlado por outra pessoa. Pode dizer-se que, assim, ele vence o agressor sem se tornar igual a ele.

    Ter isso em mente é especialmente importante para o seu filho se ele for vítima de cyberbullying, isto é, bullying feito através da Internet. Envolver-se numa guerra de palavras, trocando insultos na Internet, só serve para dar ao agressor uma desculpa para continuar, e, além disso, pode levar a que o seu filho também seja acusado de praticar bullying! Por esta razão, às vezes a melhor resposta é não responder – uma tática que pode desarmar mais facilmente o agressor e dar o controlo da situação ao seu filho.

    Princípio bíblico: “Onde não há lenha, apaga-se o fogo.” —  Provérbios 26:20.

  • Em alguns casos, o seu filho pode simplesmente evitar pessoas e lugares que poderiam levá-lo a sofrer bullying. Por exemplo, se ele souber que determinada pessoa ou grupo vai estar em certo lugar, escolher um caminho diferente pode ser o suficiente para evitar problemas.

    Princípio bíblico: “Quem é prudente vê o perigo e esconde-se, mas os inexperientes vão em frente e sofrem as consequências.” —  Provérbios 22:3.

É possível que tenha de falar com o professor do seu filho ou com os pais da outra criança

TENTE O SEGUINTE: Ajude o seu filho a pensar nos prós e nos contras das opções existentes. Por exemplo:

  • O que é que pode acontecer se ele simplesmente ignorar o agressor?

  • E se ele disser ao agressor, de forma confiante, para parar?

  • E se ele contar a algum professor o que está a acontecer?

  • Seria possível usar um tom amigável ou o humor para “desarmar” o agressor?

Cada caso de bullying é único, independentemente de acontecer cara a cara ou online. Portanto, tente encontrar, juntamente com o seu filho, uma solução que seja prática. Garanta-lhe que vai apoiá-lo e estar sempre ao lado dele.

Princípio bíblico: “O verdadeiro amigo ama em todos os momentos e torna-se um irmão em tempos de aflição.” — Provérbios 17:17.

^ par. 1 Embora, neste artigo, nos refiramos à criança como sendo um menino, os princípios analisados também se aplicam às meninas.