Ir para conteúdo

AJUDA PARA A FAMÍLIA | CRIAR ADOLESCENTES

Quando o seu filho adolescente trai a sua confiança

Quando o seu filho adolescente trai a sua confiança

Alguns adolescentes não respeitam a hora de chegar a casa. Outros enganam os pais, talvez mentindo ou saindo de casa às escondidas para se encontrarem com os amigos. O que é que pode fazer se o seu filho adolescente traiu a sua confiança?

 O meu filho adolescente é um rebelde?

Não obrigatoriamente. A Bíblia diz: “A tolice está ligada ao coração dos jovens”, e os adolescentes provam muitas vezes a veracidade desta afirmação. (Provérbios 22:15, nota) “Os adolescentes tomam algumas decisões precipitadas e insensatas”, escreve o Dr. Laurence Steinberg. “Conte com alguns erros.” *

 O meu filho enganou-​me. O que é que posso fazer?

Não pense que o seu filho tem como objetivo desafiá-​lo. Estudos indicam que, embora não pareça, os adolescentes se preocupam verdadeiramente com o que os pais pensam deles. Mesmo que não o demonstre, talvez o seu filho esteja dececionado com ele próprio – e angustiado só de pensar que o desapontou a si. *

Assim como um osso, mesmo depois de partido, pode recuperar a sua força, uma relação de confiança, mesmo que seja quebrada, pode ser restaurada

 De quem é a culpa?

  •  Será que o meu filho está a ser influenciado? A Bíblia diz: “Más companhias estragam bons hábitos.” (1 Coríntios 15:33) Na verdade, os amigos conseguem exercer uma grande influência nos adolescentes, e o mesmo acontece com as redes sociais e a publicidade. Junte a isso o facto de os adolescentes terem pouca experiência de vida, e pode ver por que motivo eles talvez tomem decisões menos apropriadas. Seja como for, para se tornarem adultos responsáveis, eles têm de aprender a assumir a responsabilidade pelas suas decisões.

  •  A culpa é minha? Talvez se pergunte se foi demasiado rígido e se foi isso que levou ao mau comportamento do seu filho. Ou talvez se questione se foi demasiado permissivo e se lhe deu liberdade a mais. Mas, em vez de se focar no que talvez tenha feito para contribuir para o problema, pense naquilo que pode fazer agora para o resolver.

 Como é que posso ajudar o meu filho a recuperar a minha confiança?

  • Controle a sua reação. O seu filho, provavelmente, espera que você fique irritado. Porque não tentar uma abordagem diferente? Converse calmamente com ele sobre o que o levou a comportar-​se daquela maneira. Ele estava curioso? Cansado? Sentia-​se sozinho? Desesperado por ter amigos? Nada disto justifica o que ele fez, mas falar sobre isso pode ajudá-​lo a si – e ao seu filho adolescente – a compreender melhor a origem do problema.

    Princípio bíblico: “Devem estar prontos para ouvir, mas não devem precipitar-​se em falar, nem irritar-​se com facilidade.” — Tiago 1:19.

  • Ajude o seu filho a raciocinar sobre o que aconteceu. Pergunte-​lhe, por exemplo: “O que é que aprendeste com esta experiência? O que é que farias de maneira diferente se voltasses a estar nesta situação?” Estas perguntas podem ajudá-​lo, como pai, a desenvolver as capacidades de raciocínio do seu filho.

    Princípio bíblico: “Repreende, censura, exorta, com toda a paciência e arte de ensino.” — 2 Timóteo 4:2.

  • Ajude-​o a perceber que todas as ações têm consequências. A disciplina é mais eficaz se estiver relacionada com o erro. Se descobrir que o seu filho traiu a sua confiança, por exemplo, por faltar às aulas para estar com os amigos, poderá limitar o tempo que ele passa com os amigos durante um período razoável.

    Princípio bíblico: “O que a pessoa semear, isso também colherá.” — Gálatas 6:7.

  • Concentre-​se em ajudar o seu filho a recuperar a sua confiança. A verdade é que isso não vai acontecer de um dia para o outro, mas explique ao seu filho que, com o tempo, a confiança perdida pode ser recuperada. Certifique-​se de que ele vê uma luz ao fundo do túnel, como se costuma dizer. Se ele achar que nunca vai conseguir recuperar a sua confiança, talvez desista de tentar.

    Princípio bíblico: “Não irritem os vossos filhos, para que eles não desanimem.” — Colossenses 3:21.

^ par. 10 Do livro You and Your Adolescent (Você e o Seu Filho Adolescente).

^ par. 12 Embora falemos de “filhos”, no masculino, a informação deste artigo também se aplica às filhas.