Ir para conteúdo

OS JOVENS PERGUNTAM

Será que dizer palavrões é assim tão mau?

Será que dizer palavrões é assim tão mau?

“Estou tão habituado a ouvir palavrões que já não me incomoda. Agora, parece normal.” Christopher, 17 anos.

“Quando eu era mais nova, dizia muitos palavrões. É um hábito fácil de apanhar e muito difícil de largar.” Rebecca, 19 anos.

 Teste

  • Como te sentes quando ouves alguém dizer palavrões?

    • Nem me dou conta, acho normal.

    • Fico um pouco incomodado, mas não ligo.

    • Acho ofensivo e não consigo habituar-me a isso.

  • Com que frequência é que tu dizes palavrões?

    • Nunca

    • Às vezes

    • O tempo todo

  • Na tua opinião, como é que encaras a questão da linguagem ofensiva?

    • Sem importância

    • Muito importante

 Porque é importante

Será que dizer palavrões é um assunto sério? Talvez respondas: ‘Acho que não. Existem problemas maiores no mundo com que nos preocuparmos. Além disso, toda a gente diz palavrões!’ Será que isso é verdade?

Acredites ou não, muitas pessoas evitam dizer palavrões. Elas têm bons motivos para não usarem linguagem ofensiva. Por exemplo:

  • Dizer palavrões revela mais do que tu imaginas. A tua maneira de falar mostra quem realmente és. Assim, dizer palavrões pode indicar que não te importas com os sentimentos dos outros. Será que és uma pessoa assim?

    A Bíblia diz: “Tudo o que sai da boca vem do coração.” Mateus 15:18.

    A linguagem ofensiva é uma forma de poluição verbal. Porquê sujeitar os outros e a ti mesmo, a isso?

  • Se disseres palavrões, as outras pessoas podem ficar com uma imagem negativa de ti. O livro Cuss Control (Controlo de Obscenidades) diz: “A nossa maneira de falar pode determinar quem serão os nossos amigos, o quanto a nossa família e os nossos colegas de trabalho vão respeitar-nos, a qualidade dos nossos relacionamentos, quanta influência teremos, se vamos conseguir o emprego ou a promoção e como os outros vão encarar-nos.” O livro também diz: “Pensa no seguinte: será que os teus relacionamentos seriam melhores se tu não dissesses palavrões?”

    A Bíblia diz: ‘Abandonem as palavras ofensivas.’ Efésios 4:31.

  • Dizer palavrões não é assim tão fixe como talvez penses. No seu livro How Rude! (Que rude!), o Dr. Alex Packer diz: “É cansativo ouvir alguém que está sempre a dizer palavrões.” Ele também diz que se alguém usar um vocabulário ofensivo, “vai ser difícil expressar-se com critério, humor, inteligência ou empatia. Se a tua maneira de falar não faz muito sentido ou não tem criatividade, com certeza a tua maneira de pensar vai acabar por ficar assim”.

    A Bíblia diz: “Não saia da vossa boca nenhuma palavra pervertida.” Efésios 4:29.

 O que podes fazer

  • Estabelece um alvo. O que achas de parar de usar linguagem ofensiva dentro de um mês ou menos? Anota num calendário ou numa tabela como te estás a sair. Mas, para alcançares o teu alvo, talvez outras coisas sejam necessárias. Por exemplo:

  • Evita entretenimento que encha a tua mente com linguagem ofensiva. A Bíblia diz: “Más companhias corrompem a boa moral.” (1 Coríntios 15:33, nota) “Companhias” incluem não apenas pessoas, mas também entretenimento: filmes, videojogos e músicas. Kenneth, de 17 anos, disse: “Às vezes, cantas uma música que gostas mas, por causa do ritmo, nem percebes que ela tem palavrões.”

  • Mostra que és uma pessoa madura. Alguns acham que dizer palavrões nos faz parecer adultos. Mas, na verdade, as pessoas maduras “têm a capacidade de discernimento treinada para saber distinguir tanto o certo como o errado”. (Hebreus 5:14) Elas não dizem palavrões só para “impressionar” os outros.

A linguagem ofensiva serve apenas para poluir a mente com pensamentos sujos. O mundo à nossa volta já está tão poluído com esse tipo de pensamentos. “Não aumentes o lixo”, diz o livro Cuss Control. “Faz a tua parte para limpar o ambiente verbal. A tua autoestima vai aumentar, e as outras pessoas vão ter mais respeito por ti.”