Ir para conteúdo

OS JOVENS PERGUNTAM

Como posso resistir às tentações?

Como posso resistir às tentações?

O apóstolo Paulo escreveu: “Quando quero fazer o que é certo, está presente em mim o que é mau.” (Romanos 7:21) Já te sentiste assim? Se sim, este artigo vai ajudar-te a resistir à tentação de fazer algo errado.

 O que deves saber

A tentação e a pressão dos colegas andam frequentemente de mãos dadas. A Bíblia diz que “más companhias corrompem a boa moral.” (1 Coríntios 15:33, nota) A pressão dos colegas ou dos meios de comunicação social pode atiçar desejos no teu coração e levar-te a uma situação tentadora, ou pode até fazer com que “vás atrás da multidão para fazer o mal”. — Êxodo 23:2.

“O desejo de ser aceite pelos outros pode levar-te a fazer qualquer coisa que os outros façam, só para ganhares a aprovação deles.” — Jeremy.

Para pensares: Porque é que a tentação pode ser mais forte se te importares demasiado com o que os outros pensam de ti? — Provérbios 29:25.

Resumindo: Não deixes que a pressão de outros te leve a comprometer os teus padrões de moral.

 O que podes fazer

Entende bem as tuas crenças. Se tu não sabes bem em que é que acreditas, podes tornar-te como uma marioneta controlada por outros. É muito melhor seguir o conselho da Bíblia: “Certifiquem-se de todas as coisas; apeguem-se ao que é bom.” (1 Tessalonicenses 5:21) Quanto melhor compreenderes as tuas crenças, mais fácil será apegares-te a elas e resistires à tentação de ir na direção contrária.

Para pensares: Porque é que acreditas que obedecer aos padrões de moral de Deus é para o teu próprio bem?

“Eu tenho notado que, quando sigo aquilo em que acredito sem ceder à tentação, os outros me respeitam mais por isso.” — Kimberly.

Exemplo bíblico: Daniel. Daniel ainda era, provavelmente, um adolescente quando “decidiu no coração” que ia obedecer às leis de Deus. — Daniel 1:8.

Se não sabes em que é que acreditas, podes tornar-te como uma marioneta controlada por outros

Conhece os teus pontos fracos. A Bíblia fala de “desejos da juventude”, os desejos que são especialmente fortes quando somos jovens. (2 Timóteo 2:22) Isto inclui não só os impulsos sexuais, mas também o desejo de ser aceite pelos outros e de ser independente dos pais antes de estar preparado para isso.

Para pensares: A Bíblia diz que “cada um é provado ao ser atraído e seduzido pelo seu próprio desejo”. (Tiago 1:14) Qual é o teu desejo mais tentador?

“Tens de ser honesto contigo mesmo sobre as tentações a que és mais vulnerável. Pesquisa sobre como combater essas tentações, e escreve dicas que possas usar. Assim, da próxima vez que estiveres perante uma tentação, já sabes como resistir.” — Sylvia.

Exemplo bíblico: David. Em algumas situações, ele cedeu à pressão de outros e até aos seus próprios desejos. Mas David aprendeu com os seus erros e tentou melhorar. Ele pediu a Jeová: “Cria em mim um coração puro, ó Deus, e põe dentro de mim um espírito novo, firme.” — Salmo 51:10.

Controla-te. A Bíblia diz: “Não te deixes vencer pelo mal.” (Romanos 12:21) Isto significa que não tens de ser uma vítima das tentações. Tu podes escolher fazer o que é certo.

Para pensares: Como é que te podes controlar e “reescrever o fim da história” numa situação em que sejas tentado a fazer o que é errado?

“Eu penso em como me vou sentir se eu ceder à tentação. Vou sentir-me aliviada? Talvez, mas só por um momento. Vou sentir-me bem a longo prazo? Não, vou sentir-me pior. Será que vale mesmo a pena? Não!” — Sophia.

Exemplo bíblico: Paulo. Apesar de admitir que tinha desejos errados, Paulo controlou-se. Ele escreveu: “Disciplino severamente o meu corpo e conduzo-o como escravo.” — 1 Coríntios 9:27, nota.

Resumindo: És tu que estás no controlo. Tu é que decides se vais resistir a uma tentação ou não.

Lembra-te, as tentações são passageiras. “Muitas coisas que eram grandes tentações quando eu estava no secundário agora são insignificantes”, diz a Melissa, de 20 anos. “Refletir nisto dá-me a confiança de que as tentações que enfrento agora também vão passar e que, um dia, vou olhar para trás e perceber que foi melhor ter resistido.”