Ir para conteúdo

Ir para índice

Já Sabia?

Já Sabia?

Existe alguma prova além da Bíblia de que os israelitas eram escravos no Egito?

A Bíblia diz que, depois de os midianitas levarem José para o Egito, o patriarca Jacó e a sua família mudaram-se de Canaã para o Egito. Eles foram morar na região do Egito chamada Gósen, que fica no delta do Nilo. (Gén. 47:1, 6) Os israelitas “continuaram a multiplicar-se e a tornar-se mais fortes”. Com medo desse crescimento, os egípcios forçaram os israelitas a trabalhar como escravos. — Êxo. 1:7-14.

Alguns críticos modernos ridicularizam o relato bíblico e dizem que tudo não passa de um mito. No entanto, existem evidências de que semitas * viviam como escravos no Egito antigo.

Por exemplo, arqueólogos encontraram restos de povoados antigos no norte do Egito. De acordo com John Bimson, um erudito bíblico, há evidências de 20 ou mais povoados semíticos naquela área. Além disso, James Hoffmeier, perito em Egito antigo, diz: “No período de aproximadamente 1800 a 1540 a.C. [antes de Cristo], o Egito era um país visado pelos povos de línguas semíticas da Ásia ocidental para migração.” Ele acrescenta: “Esse espaço de tempo coincide com o ‘Período dos Patriarcas’ tradicional e, portanto, encaixa-se no período e nas circunstâncias descritas em Génesis.”

Existem mais provas no sul do Egito. Foi encontrado um papiro da época do Império Médio egípcio – cerca de 2000 AEC a cerca de 1600 AEC. Esse papiro contém o nome de escravos que trabalhavam numa casa no sul do Egito. Mais de 40 desses nomes eram semíticos. Esses escravos, ou servos, trabalhavam como cozinheiros, tecelões ou faziam serviços braçais. James Hoffmeier diz: “Visto que havia mais de 40 semitas numa única residência em Tebaida [sul do Egito], é provável que o número de semitas por todo o Egito, principalmente no delta do Nilo, fosse grande.”

O arqueólogo David Rohl escreveu que alguns nomes de escravos naquele papiro “saíram diretamente das páginas da Bíblia”. Por exemplo, os fragmentos alistam nomes parecidos com Issacar, Aser e Sifrá. (Êxo. 1:3, 4, 15) David Rohl conclui: “Esta é uma prova real do período em que os israelitas estiveram no Egito como escravos.”

John Bimson diz: “As tradições bíblicas sobre a escravidão no Egito e sobre o Êxodo têm um firme apoio histórico.”

^ par. 4 O nome “semita” vem de Sem, um dos três filhos de Noé. Os descendentes de Sem provavelmente incluíam os elamitas, os assírios, os primeiros caldeus, os hebreus, os sírios e várias tribos árabes.