Ir para conteúdo

Ir para índice

 ESTUDO 18

Amor e justiça na congregação cristã

Amor e justiça na congregação cristã

“Continuem a levar os fardos uns dos outros e, desta maneira, cumprirão a lei do Cristo.” — GÁL. 6:2.

CÂNTICO 12 O Nosso Grandioso Deus, Jeová

O QUE VAMOS VER *

1. De que duas coisas podemos ter a certeza?

JEOVÁ DEUS ama muito os seus adoradores. Ele sempre nos amou e sempre nos vai amar. Ele também ama a justiça. (Sal. 33:5) Por isso, podemos ter a certeza de duas coisas: (1) Jeová sente a dor dos seus servos quando sofrem injustiças e (2) ele garante que se fará justiça. O primeiro estudo desta série * falou sobre a Lei que Deus deu a Israel por meio de Moisés. Nós vimos que essa lei era baseada no amor e garantia justiça a todos, até mesmo aos mais indefesos. (Deut. 10:18) A Lei é uma prova do quanto Jeová se importa com os seus adoradores.

2. A que perguntas vamos responder neste estudo?

2 No ano 33 EC, quando a congregação cristã foi formada, a Lei mosaica acabou. O que aconteceria aos cristãos? Será que eles ficariam desprotegidos por deixarem de ter uma lei baseada no amor e que promovia a justiça? De forma alguma! Os cristãos receberam uma nova lei, a lei do Cristo. Neste estudo, primeiro, vamos ver que lei é essa. Depois, vamos responder às seguintes perguntas: “Porque podemos dizer que essa lei é baseada no amor? Porque podemos dizer que ela incentiva a justiça? De acordo com essa lei, como é que aqueles que têm autoridade devem tratar os outros?”

O QUE É “A LEI DO CRISTO”?

3. O que é que faz parte da “lei do Cristo”, mencionada em Gálatas 6:2?

3 Leia Gálatas 6:2. Os cristãos devem seguir “a lei do Cristo”.  É verdade que Jesus não colocou por escrito um código de leis para os seus discípulos. Mas ele deixou-lhes instruções, ordens e princípios. Tudo o que Jesus ensinou faz parte da “lei do Cristo”. Nos próximos parágrafos, vamos ver alguns pontos que podem ajudar-nos a entender melhor esta lei.

4-5. Como é que Jesus ensinou, e quando?

4 Como é que Jesus ensinou? Em primeiro lugar, por meio das coisas que disse. As palavras de Jesus tinham força. Ele ensinava às pessoas a verdade sobre Deus, qual é o sentido da vida e como é que o Reino vai acabar com o sofrimento da humanidade. (Luc. 24:19) Jesus também ensinou por meio do seu exemplo. A vida dele serve de modelo para os seus seguidores imitarem. — João 13:15.

5 Quando é que Jesus ensinou? Ele ensinou durante o seu ministério na Terra. (Mat. 4:23) Também ensinou pouco depois da sua ressurreição. Por exemplo, certa vez, ele apareceu a um grupo de discípulos – talvez mais de 500 – e deu-lhes a ordem: “Façam discípulos.” (Mat. 28:19, 20; 1 Cor. 15:6) Mesmo depois de voltar para o céu, Jesus agiu como cabeça da congregação e continuou a dar instruções aos seus seguidores. Por exemplo, por volta do ano 96 EC, Cristo disse que o apóstolo João devia encorajar e aconselhar os cristãos ungidos. — Col. 1:18; Apo. 1:1.

6-7. (a) Onde estão registados os ensinos de Jesus? (b) Como mostramos que obedecemos à lei do Cristo?

6 Onde podemos encontrar os ensinos de Jesus? Muitas das coisas que Jesus disse e fez quando esteve na Terra estão registadas nos quatro Evangelhos. Mas todos os outros livros das Escrituras Gregas Cristãs também podem ajudar-nos a entender melhor o que Jesus pensa. Eles foram escritos por homens inspirados por espírito santo e que tinham “a mente de Cristo”. — 1 Cor. 2:16.

7 Lições: Os ensinos de Jesus são úteis para todas as áreas da nossa vida. Por isso, a lei do Cristo deve influenciar tudo o que fazemos em casa, no trabalho, na escola e na congregação. Para aprendermos esta lei, temos de ler as Escrituras Gregas Cristãs e  meditar nelas. Para obedecermos a esta lei, temos de seguir todas as instruções, ordens e princípios que estão nesses livros bíblicos. Se obedecermos à lei do Cristo, estaremos a obedecer à Fonte de todos os ensinos de Jesus. Essa Fonte é Jeová, o nosso amoroso Deus. — João 8:28.

A BASE DA LEI DO CRISTO É O AMOR

8. Qual é a base da lei do Cristo?

8 Uma casa bem construída precisa de um sólido alicerce para sustentá-la. Assim, os que moram nela conseguem sentir-se protegidos e seguros. Da mesma forma, uma boa lei precisa de um sólido alicerce. Só assim é que as pessoas que vivem de acordo com essa lei se sentem protegidas e seguras. A lei do Cristo tem a melhor base que existe – o amor. Porque podemos dizer isso?

Quando tratamos os outros com amor, mostramos que obedecemos à “lei do Cristo” (Veja os parágrafos 9 a 14.) *

9-10. (a) Que exemplos mostram que Jesus era motivado por amor? (b) Como podemos imitar Jesus?

9 Em primeiro lugar, tudo o que Jesus fazia era motivado por amor. O sentimento de pena, ou de compaixão, revela o amor que uma pessoa sente pelos outros. Jesus sentia pena das pessoas, e, por isso, ensinava as multidões, curava os doentes, alimentava os famintos e ressuscitava os mortos. (Mat. 14:14; 15:32-38; Mar. 6:34; Luc. 7:11-15) Tudo isso exigia muito tempo e energia de Jesus. Mesmo assim, ele colocava sempre as necessidades dos outros à frente das suas. A maior prova desse amor foi ele dar a vida para salvar a humanidade. — João 15:13.

10 Lições: Nós podemos imitar Jesus por: (1) colocar as necessidades dos outros à frente das nossas e (2) aprender a mostrar mais compaixão pelas pessoas do nosso território. A compaixão motiva-nos a pregar e a ensinar as boas novas. Quando fazemos isso, obedecemos à lei do Cristo.

11-12. (a) Como é que Jesus mostrou que Jeová se importa com os seus servos? (b) Como podemos imitar o amor de Jeová?

11 Em segundo lugar, Jesus mostrou que o seu Pai nos ama. Durante o seu ministério, Jesus deixou claro o quanto Jeová se importa com os seus adoradores. Uma das coisas que ele ensinou é que cada um de nós é valioso e precioso para o nosso Pai, Jeová. (Mat. 10:31) Jesus também nos mostrou que, quando uma ovelha perdida se arrepende e volta para a congregação, Jeová tem o maior prazer em recebê-la. (Luc. 15:7, 10) Jesus também disse que o resgate é uma demonstração do amor de Jeová por nós. — João 3:16.

12 Lições: Como podemos imitar o amor de Jeová? (Efé. 5:1, 2) Um modo de fazermos isso é por vermos cada um dos nossos irmãos e irmãs como valioso e precioso. Sempre que uma “ovelha perdida” volta para Jeová, queremos recebê-la de braços abertos. (Sal. 119:176) Outro modo de imitarmos a Jeová é por usarmos o nosso tempo e energia para ajudar os irmãos, principalmente, quando eles estiverem a passar necessidade. (1 João 3:17) Quando tratamos os outros com amor, mostramos que obedecemos à lei do Cristo.

13-14. (a) Em João 13:34, 35, que mandamento nos deu Jesus, e porque se trata de um novo mandamento? (b) Como obedecemos ao novo mandamento?

13 Em terceiro lugar, Jesus mandou os seus seguidores mostrarem amor abnegado. (Leia João 13:34, 35.) Porque é que este mandamento é novo? Afinal, a Lei mosaica já falava sobre amar o próximo. A questão é que o mandamento de Jesus inclui algo mais – amar o próximo assim como Jesus nos amou a  nós. Isso exige um amor abnegado. * Temos de amar os nossos irmãos e irmãs mais do que nos amamos a nós próprios. O nosso amor deve ser tão grande que, se necessário, estaremos dispostos a dar a nossa vida por eles, assim como Jesus fez por nós.

14 Lições: Como obedecemos ao novo mandamento? Em poucas palavras, por fazermos sacrifícios pelos nossos irmãos e irmãs – não apenas sacrifícios grandes, como dar a nossa vida por eles, mas também sacrifícios menores. Por exemplo, dar regularmente boleia aos irmãos idosos para assistirem às reuniões, abrir mão de uma preferência pessoal para agradar a outra pessoa, ou usar as nossas férias para prestar ajuda humanitária. Todas essas são formas de obedecermos à lei do Cristo. Quando mostramos amor abnegado, a congregação torna-se um lugar onde cada um pode sentir-se seguro e protegido.

UMA LEI QUE PROMOVE A JUSTIÇA

15-17. (a) Como é que as ações de Jesus revelaram o senso de justiça dele? (b) Como podemos imitar Jesus?

15 Quando a Bíblia fala sobre agir com “justiça”, geralmente, refere-se a fazer o que Deus diz que é certo, e fazer isso sem mostrar favoritismo. Porque podemos dizer que a lei do Cristo promove a justiça?

Jesus tratava as mulheres com respeito e bondade, incluindo aquelas que eram discriminadas por outros (Veja o parágrafo 16.) *

16 Em primeiro lugar, veja como as ações de Jesus revelaram o senso de justiça dele. Quando Jesus esteve na Terra, os líderes religiosos odiavam todos os que não fossem judeus, achavam-se melhores do que o povo comum e tratavam as mulheres com desrespeito. Mas Jesus era diferente. Ele não desprezava os que não eram judeus e tinham fé nele. (Mat. 8:5-10, 13) Ele pregava a todos sem nenhum preconceito, tanto a ricos como a pobres. (Mat. 11:5; Luc. 19:2, 9) Nunca tratava as mulheres de forma dura ou abusiva. Pelo contrário, Jesus foi sempre respeitoso e bondoso com as mulheres, incluindo aquelas que sofriam discriminação da parte dos outros. — Luc. 7:37-39, 44-50.

17 Lições: Para imitarmos Jesus, temos de tratar todas as pessoas de maneira igual e pregar a todos os que quiserem escutar – não importa a sua religião ou classe social. Os homens cristãos imitam Jesus por tratarem as mulheres com respeito. Quando agimos assim, mostramos que obedecemos à lei do Cristo.

18-19. O que é que Jesus ensinou sobre justiça, e que lições aprendemos do seu ensino?

18 Em segundo lugar, veja o que Jesus ensinou sobre justiça. Ele ensinou princípios que ajudam os seus seguidores a tratar os outros com justiça. Pense, por exemplo, na Regra de Ouro. (Mat. 7:12) Todos queremos ser tratados com justiça. Por isso, temos de tratar os outros de modo justo. Isso talvez os motive a ser justos connosco. E se formos vítimas de alguma injustiça? Jesus também nos ensinou que Jeová ‘providenciará que seja feita justiça aos que lhe imploram dia e noite’. (Luc. 18:6, 7) Esta declaração, na verdade, é uma promessa: o nosso Deus justo está atento às dificuldades que sofremos nestes últimos dias e vai fazer justiça no tempo certo. — 2 Tes. 1:6.

19 Lições: Quando seguimos os princípios que Jesus nos ensinou, conseguimos tratar os outros de modo justo. E se, por acaso, formos tratados com injustiça neste mundo de Satanás, temos o consolo de saber que Jeová vai fazer justiça.

 COMO É QUE OS QUE TÊM AUTORIDADE DEVEM TRATAR OS OUTROS?

20-21. (a) Como é que os que têm autoridade devem tratar os outros? (b) Como é que um homem pode mostrar amor abnegado pela esposa e pelos filhos?

20 De acordo com a lei do Cristo, como é que aqueles que têm autoridade devem tratar os outros? Já que a base da lei do Cristo é o amor, os que têm autoridade devem tratar os outros com amor e respeito. Devem lembrar-se de que Jesus quer que mostremos amor em tudo o que fazemos.

21 Na família. O marido deve amar a esposa assim como Cristo ama a congregação. (Efé. 5:25, 28, 29) Para mostrar o mesmo amor abnegado de Cristo, o marido tem de colocar as necessidades e os interesses da esposa à frente dos seus. Para alguns homens, isso não é fácil. Talvez tenham sido criados num ambiente que não dá valor ao amor e à justiça e, por causa disso, desenvolveram maus hábitos. Mas, para obedecer à lei do Cristo, é necessário abandonar esses hábitos. Quando o marido mostra amor abnegado, ele ganha o respeito da sua esposa. Isso também se aplica à criação de filhos. Um pai que é verdadeiramente amoroso nunca age ou fala de uma forma que magoe os filhos. (Efé. 4:31) Em vez disso, ele elogia os filhos e mostra que os ama. Isso vai ajudá-los a sentirem-se protegidos e seguros. Quando age assim, o pai ganha o amor e a confiança dos filhos.

22. De acordo com 1 Pedro 5:1-3, de quem são as “ovelhas”, e como é que elas devem ser tratadas?

22 Na congregação. Os anciãos devem lembrar-se de que as “ovelhas” não são deles. (João 10:16; leia 1 Pedro 5:1-3.) As expressões “rebanho de Deus”, “perante Deus” e “herança de Deus” lembram os anciãos de que as ovelhas são de Jeová. Jeová quer que  as suas ovelhas sejam tratadas com amor e carinho. (1 Tes. 2:7, 8) Quando os anciãos cuidam das suas responsabilidades e pastoreiam com amor, ganham a aprovação de Jeová e o amor e respeito dos irmãos da congregação.

23-24. (a) Nos casos de pecado grave, qual é a função dos anciãos? (b) Ao cuidar desses casos, que coisas é que os anciãos devem analisar?

23 Qual é a função dos anciãos quando alguém comete um pecado grave? A função deles é diferente daquela que os anciãos e juízes de Israel tinham. A Lei mosaica dava autoridade a homens escolhidos para cuidarem não apenas de assuntos espirituais, mas também de desacordos e até de crimes. Mas, sob a lei do Cristo, o papel dos anciãos é cuidar apenas do lado espiritual do pecado. Eles reconhecem que resolver questões legais e crimes é um trabalho que Deus deu às autoridades do governo. São elas que têm o direito de impor penalidades como multas ou sentenças de prisão. — Rom. 13:1-4.

24 Como é que os anciãos cuidam do lado espiritual do pecado? Eles usam a Bíblia para avaliar o assunto e tomar decisões. Eles lembram-se sempre de que a base da lei do Cristo é o amor. O amor vai fazer os anciãos analisar a seguinte questão: ‘O que precisa de ser feito para ajudar aqueles na congregação que foram vítimas da ação errada de alguém?’ O amor também vai fazer com que os anciãos analisem o seguinte em relação ao pecador: ‘Será que ele está arrependido? O que pode ser feito para ajudá-lo a recuperar a sua amizade com Jeová?’

25. Que pergunta será respondida no próximo estudo?

25 Como é bom termos a lei do Cristo! Quando todos nos esforçamos para obedecer à lei do Cristo, ajudamos os irmãos a sentirem que a congregação é um lugar onde podem sentir-se amados, valorizados e protegidos. No entanto, ainda vivemos num mundo onde “as pessoas más” estão “cada vez piores”. (2 Tim. 3:13) Não podemos baixar a guarda. Como é que a congregação cristã pode agir com justiça em casos de abuso sexual de crianças? Esta pergunta será respondida no próximo estudo.

CÂNTICO 15 Louva o Filho de Jeová!

^ par. 5 Os estudos 18 a 20 fazem parte de uma série que mostra que Jeová é um Deus de amor e justiça. Ele quer que cada um dos seus servos seja tratado de modo justo e consola os que sofrem injustiças neste mundo mau.

^ par. 1 Veja o estudo “Amor e justiça na nação de Israel”, na revista A Sentinela de fevereiro de 2019.

^ par. 13 ENTENDA MELHOR: O amor abnegado motiva-nos a colocar os interesses dos outros à frente dos nossos. Esse amor faz-nos querer ajudar os outros, mesmo que isso envolva abrir mão de algo ou fazer algum sacrifício.

^ par. 61 IMAGEM: Jesus vê uma viúva a sofrer com a morte do seu único filho. Com pena dela, Jesus ressuscita o jovem.

^ par. 63 IMAGEM: Jesus está a tomar uma refeição na casa de um fariseu chamado Simão. Uma mulher, talvez uma prostituta, tinha acabado de lavar os pés de Jesus com as suas lágrimas, de os secar com os seus cabelos e de derramar óleo sobre eles. Simão critica o que a mulher fez, mas Jesus defende-a.