Ir para conteúdo

Ir para índice

 ESTUDO 29

“Vão e façam discípulos”

“Vão e façam discípulos”

“Portanto, vão e façam discípulos de pessoas de todas as nações.” — MAT. 28:19.

CÂNTICO 60 A Mensagem de Vida

O QUE VAMOS VER *

1-2. (a) De acordo com a ordem de Jesus em Mateus 28:18-20, qual é a responsabilidade principal da congregação cristã? (b) Que perguntas vão ser respondidas neste estudo?

OS APÓSTOLOS deviam estar muito empolgados. Depois de ser ressuscitado, Jesus pediu-lhes para se reunirem num monte. (Mat. 28:16) Talvez essa tenha sido a ocasião em que ele “apareceu a mais de 500 irmãos de uma só vez”. (1 Cor. 15:6) Porque é que Jesus quis reunir os seus discípulos? Para lhes dar um trabalho muito importante: “Portanto, vão e façam discípulos de pessoas de todas as nações.” — Leia Mateus 28:18-20.

2 Os discípulos que ouviram essa ordem de Jesus tornaram-se parte da congregação cristã do primeiro século. A responsabilidade principal dessa congregação era fazer mais discípulos de Cristo. * Hoje, existem quase 120 mil congregações em todo o mundo, e o seu trabalho principal ainda é o mesmo. Neste estudo, vamos responder a quatro perguntas: Porque é que o trabalho de fazer discípulos é tão importante? O que envolve esse trabalho? Será que todos os cristãos participam em fazer discípulos? Porque precisamos de ter paciência nesse trabalho?

 PORQUE É QUE O TRABALHO DE FAZER DISCÍPULOS É TÃO IMPORTANTE?

3. De acordo com João 14:6 e 17:3, por que razão fazer discípulos é tão importante?

3 Fazer discípulos é um trabalho muito importante. Afinal, alguém só pode ser amigo de Deus se for um discípulo de Cristo. Além disso, os que seguem Cristo conseguem ter uma vida melhor hoje e ganham a oportunidade de ter vida eterna no futuro. (Leia João 14:6; 17:3.) Sem dúvida, Jesus deu-nos uma grande responsabilidade. Mas não estamos sozinhos nesse trabalho. Assim como o apóstolo Paulo escreveu, nós “somos colaboradores de Deus”. (1 Cor. 3:9) Que grande privilégio nós, humanos imperfeitos, recebemos de Jeová e de Jesus!

4. O que aprendemos da experiência contada por Ivan e Matilde?

4 O trabalho de fazer discípulos pode trazer-nos muita alegria. Veja o exemplo de Ivan e da sua esposa, Matilde, que moram na Colômbia. Certa vez, eles deram testemunho a um jovem chamado Davier. Ele disse ao casal: “Eu quero mudar a minha vida, mas não consigo.” Ele era lutador de boxe, usava drogas, bebia muito e vivia com a namorada, Erika. Ivan conta: “Nós começámos a ir à casa dele, que ficava numa aldeia isolada. Para chegar lá, tínhamos de andar de bicicleta durante horas em estradas lamacentas. Mas o Davier começou a melhorar o seu comportamento e a sua atitude. Quando a Erika reparou nisso, também quis participar no estudo.” Com o tempo, Davier deixou as drogas, a bebida e o boxe, e casou-se com Erika. Matilde diz: “Quando o Davier e a Erika se batizaram em 2016, lembrámo-nos de quando o Davier costumava dizer: ‘Eu quero mudar a minha vida, mas não consigo.’ Ficámos tão felizes que não conseguimos conter as lágrimas.” Sem dúvida, ajudar pessoas a tornarem-se discípulos de Cristo pode dar-nos muita alegria.

O QUE ESTÁ ENVOLVIDO EM FAZER DISCÍPULOS?

5. Qual é o primeiro passo para fazer discípulos?

5 O primeiro passo para fazer discípulos é procurar aqueles que estão dispostos a aprender sobre Jeová. (Mat. 10:11) Nós provamos que somos verdadeiras Testemunhas de Jeová quando damos testemunho a todos os que encontramos. Nós provamos que somos realmente cristãos quando obedecemos à ordem que recebemos de Cristo, de pregar as boas novas.

6. O que podemos fazer para que as pessoas nos escutem na pregação?

6 Na pregação, vamos encontrar pessoas que querem aprender sobre a Bíblia, mas também vamos encontrar muitas que parecem não se importar com a mensagem que levamos. Talvez tenhamos de encontrar um modo de despertar o interesse delas. Para isso, temos de estar bem preparados. Escolha assuntos que sejam do interesse das pessoas. Depois, planeie como pode começar a falar sobre eles.

7. (a) Como é que você pode começar uma conversa com alguém? (b) Porque acha importante escutar a pessoa e respeitar a opinião dela?

7 Por exemplo, você pode dizer a um morador: “Gostava de saber a sua opinião sobre um assunto. Hoje, pessoas de todo o mundo enfrentam o mesmo tipo de problemas. Acha que, para resolver esses problemas, precisamos de um governo mundial?” A seguir, considere Daniel 2:44. Outra opção seria perguntar: “Na sua opinião, qual é o segredo para criar bem os filhos?” Depois, considere Deuteronómio 6:6, 7. Não importa qual  seja o assunto, pense nas pessoas que o vão escutar. Imagine como será bom para elas aprender o que a Bíblia ensina. Quando estiver a falar com uma pessoa, escute com atenção o que ela diz e respeite o ponto de vista dela. Assim, você vai conseguir entendê-la melhor, e ela vai sentir-se mais à vontade para ouvir o que lhe vai dizer.

8. Porque temos de dedicar tempo e esforço a fazer revisitas?

8 Antes de uma pessoa aceitar um estudo, nós talvez tenhamos de dedicar tempo e esforço a fazer revisitas. Porquê? É possível que a pessoa não esteja em casa ou não nos possa atender quando formos revisitá-la. Talvez seja preciso fazer várias revisitas antes de o morador se sentir à vontade para aceitar um estudo da Bíblia. Lembre-se: é mais provável que uma planta cresça se for sempre regada. Do mesmo modo, é provável que o amor de uma pessoa por Jeová e por Cristo cresça se nós a visitarmos regularmente para falar da Bíblia.

SERÁ QUE TODOS OS CRISTÃOS PARTICIPAM EM FAZER DISCÍPULOS?

Testemunhas de Jeová em todo o mundo participam em procurar os merecedores (Veja os parágrafos 9 e 10.) *

9-10. Porque podemos dizer que cada publicador está envolvido em ajudar a encontrar os de coração sincero?

9 Cada publicador está envolvido em ajudar a encontrar os de coração sincero. Podemos comparar isso com o trabalho de encontrar uma criança perdida. Como assim? Veja um caso real: um menino de 3 anos saiu de casa e perdeu-se. Cerca de 500 pessoas mobilizaram-se para encontrá-lo. Depois de ficar desaparecido durante cerca de vinte horas, o menino foi encontrado perto de uma plantação de milho por um voluntário. O voluntário não quis ficar com o crédito por ter encontrado o menino. Ele disse: “Foi necessário o esforço de centenas de pessoas para encontrá-lo.”

 10 Muitas pessoas são como esse menino. Elas sentem-se perdidas e sem esperança, mas precisam de ajuda. (Efé. 2:12) Nós somos um grupo de mais de 8 milhões de pessoas que trabalham juntas para encontrar os merecedores. Pode ser que você, pessoalmente, não tenha encontrado um morador que aceitasse um estudo da Bíblia. No entanto, outros publicadores que trabalham no mesmo território talvez encontrem alguém que queira aprender as verdades da Palavra de Deus. Quando um irmão ou uma irmã encontra um morador que, mais tarde, se torna um discípulo de Cristo, todos os que estiveram envolvidos em ajudar a encontrá-lo também podem ficar alegres.

11. Mesmo que você não tenha nenhum estudo bíblico no momento, de que outros modos pode ajudar a fazer discípulos?

11 Se neste momento não tiver nenhum estudo bíblico, ainda assim, pode ajudar a fazer discípulos. Por exemplo, cumprimente os novos que vêm ao Salão do Reino e seja amigável com eles. Quando eles sentem o amor que existe entre nós, percebem que somos cristãos verdadeiros. (João 13:34, 35) Além disso, comente nas reuniões. Os seus comentários, embora sejam breves, podem ajudar os novos a expressarem-se de um modo sincero e com respeito. E se surgir uma oportunidade, saia à pregação com um novo publicador e ensine-o a usar a Bíblia para raciocinar com as pessoas. Assim, vai mostrar ao novo publicador como imitar o exemplo de Cristo. — Luc. 10:25-28.

12. Será que precisamos de ter habilidades impressionantes para fazer discípulos? Explique.

12 Ninguém deve pensar que precisa de ter habilidades impressionantes para ajudar outros a tornarem-se discípulos de Jesus. Porque não? Veja o exemplo de Faustina, que mora na Bolívia. Quando conheceu as Testemunhas de Jeová, ela não sabia ler. Hoje, ela consegue ler, mas de forma limitada. Agora, Faustina é batizada e gosta muito de ensinar outros sobre a Bíblia. Ela costuma dirigir cinco estudos da Bíblia todas as semanas. A maioria dos estudantes de Faustina lê melhor do que ela. Apesar disso, ela já ajudou seis pessoas a progredir até ao batismo. — Luc. 10:21.

13. Mesmo que sejamos muito ocupados, que bênçãos podemos ter quando nos esforçamos para fazer discípulos?

13 Muitos cristãos são bastante ocupados porque cuidam de responsabilidades importantes. Mesmo assim, eles tiram tempo para dirigir estudos bíblicos, e isso dá-lhes muita alegria. Veja o exemplo de Melanie, que mora numa cidade isolada do Alasca. Ela criava sozinha a sua filha de 8 anos, trabalhava o dia inteiro e cuidava do pai, que tinha cancro.  Melanie era a única Testemunha de Jeová na sua cidade. Ela queria muito encontrar alguém que quisesse estudar a Bíblia. Por isso, Melanie orava regularmente a Jeová a pedir força para enfrentar o frio e sair à pregação. Um dia, ela deu testemunho a uma mulher chamada Sara e ensinou-lhe que Deus tem um nome. Sara ficou impressionada com isso e, depois de algum tempo, aceitou estudar a Bíblia. Melanie conta: “Eu sentia-me esgotada todas as sextas-feiras à noite, mas, mesmo assim, eu e a minha filha íamos dirigir o estudo da Sara. Isso fazia-nos muito bem. Nós gostávamos de pesquisar para responder às perguntas da Sara, e dava-nos muita alegria ver que ela estava a tornar-se amiga de Jeová.” Com muita coragem, Sara enfrentou oposição, deixou a sua igreja e batizou-se.

PORQUE FAZER DISCÍPULOS EXIGE PACIÊNCIA?

14. (a) Porque é que o trabalho de fazer discípulos é parecido com a pesca? (b) O que aprendeu das palavras de Paulo em 2 Timóteo 4:1, 2?

14 Mesmo que o seu ministério pareça não estar a ter resultados, não desista. Jesus comparou o trabalho de fazer discípulos com a pesca. Os pescadores podem demorar muitas horas para conseguirem apanhar um peixe. Geralmente, eles trabalham de madrugada ou de manhã bem cedo, e, às vezes, precisam de navegar para lugares distantes. (Luc. 5:5) O trabalho de fazer discípulos é parecido. Alguns publicadores passam muitas horas a “pescar” pacientemente em horários e locais diferentes. Porque fazem isso? Para aumentar as hipóteses de encontrar pessoas. Esse esforço extra muitas vezes vale a pena, porque esses publicadores conseguem  encontrar pessoas interessadas. Pode ser que, no seu território, perceba que é mais fácil encontrar as pessoas em certas horas do dia ou em certos lugares. O que acha de tentar pregar nesses horários ou nesses locais? — Leia 2 Timóteo 4:1, 2.

Seja paciente ao ajudar os seus estudantes a fazer progresso (Veja os parágrafos 15 e 16.) *

15. Porque é que dirigir estudos exige paciência?

15 Porque precisamos de ser pacientes ao dirigir estudos bíblicos? Uma das razões é que a nossa responsabilidade não é apenas ajudar o estudante a conhecer e a amar o que a Bíblia ensina. Precisamos de ajudar o estudante a conhecer e a amar o Autor da Bíblia, Jeová. Além disso, para ensinar aos estudantes o que Jesus mandou os seus discípulos fazer, nós temos de ajudá-los a entender como obedecer a essas ordens. Precisamos de ser pacientes e apoiá-los à medida que eles lutam para colocar em prática os princípios da Bíblia. Alguns conseguem mudar os seus hábitos e modo de pensar em apenas alguns meses; outros precisam de mais tempo.

16. O que aprendeu da experiência de Raúl?

16 A experiência de um missionário no Peru ajuda-nos a entender porque é bom sermos pacientes. O missionário conta: “Eu estudei dois livros com um homem chamado Raúl. Mas ele ainda enfrentava grandes desafios na vida. Ele tinha problemas no casamento, usava linguagem suja e os seus filhos achavam difícil respeitá-lo. Ele assistia às reuniões regularmente. Por isso, não desisti dele e continuei a ajudar o Raúl e a sua família. Mais de três anos depois de nos conhecermos, o Raúl finalmente qualificou-se para o batismo.”

17. O que vamos ver no próximo estudo?

17 Jesus deu-nos a ordem: “Vão e façam discípulos de pessoas de todas as nações.” Para obedecermos a essa ordem, muitas vezes, temos de falar com pessoas que pensam de uma maneira muito diferente da nossa. Isso inclui aquelas que não têm nenhuma religião ou que não acreditam que Deus existe. No próximo estudo, vamos ver como podemos pregar a essas pessoas.

CÂNTICO 68 Semear a Semente do Reino

^ par. 5 A responsabilidade principal da congregação cristã é ajudar as pessoas a tornarem-se discípulos de Cristo. Neste estudo, vamos ver algumas sugestões que podem ser úteis ao fazermos esse trabalho.

^ par. 2 ENTENDA MELHOR: Os discípulos de Cristo são aqueles que fazem mais do que aprender os ensinos de Jesus. Eles colocam em prática o que aprendem e tentam seguir o mais fielmente possível os passos de Jesus, ou seja, o exemplo que ele deixou. — 1 Ped. 2:21.

^ par. 52 IMAGENS: No aeroporto, um homem que vai de férias aceita um folheto dado por uma irmã. Depois, visita alguns pontos turísticos e vê dois irmãos no testemunho público. Quando volta para casa, dois publicadores batem à sua porta para lhe pregar.

^ par. 54 IMAGENS: Esse mesmo homem aceita um estudo bíblico e, com o tempo, batiza-se.