Ir para conteúdo

Ir para índice

Conhece todos os factos?

Conhece todos os factos?

“Responder antes de ouvir os factos é tolice e resulta em humilhação.” — PRO. 18:13.

CÂNTICOS: 126 e 95

1, 2. (a) O que é que todos os cristãos precisam de aprender e porquê? (b) O que vamos ver neste estudo?

TODOS os cristãos precisam de aprender a avaliar as informações que recebem e a chegar à conclusão certa. (Pro. 3:21-23; 8:4, 5) Porquê? Porque Satanás faz tudo o que pode para nos enganar. Quem não aprende a avaliar informações pode tornar-se uma vítima fácil dele e do seu mundo. (Efé. 5:6; Col. 2:8) Nós só podemos chegar às conclusões certas, se tivermos todos os factos. É como diz Provérbios 18:13: “Responder antes de ouvir os factos é tolice e resulta em humilhação.”

2 No entanto, nem sempre é fácil conseguir todos os factos e chegar às conclusões certas. Neste estudo, vamos ver porque é que isso pode ser um desafio. Vamos ver também princípios da Bíblia e exemplos que nos ensinam a avaliar informações.

NÃO ACREDITE EM “QUALQUER PALAVRA”

3. Porque é importante seguir o que diz Provérbios 14:15? (Veja a imagem no início do estudo.)

3 As pessoas hoje são bombardeadas com informações. A Internet, a televisão e outros meios de comunicação parecem ser uma fonte de assuntos sem fim. Além disso, podemos receber uma grande quantidade de e-mails, mensagens de texto e  notícias de amigos e familiares. Por causa disso, espalhar informações falsas e distorcer factos tornou-se algo comum. Portanto, precisamos de ter muito cuidado. Devemos examinar com atenção cada informação que chega até nós. Que texto da Bíblia nos pode ajudar? Provérbios 14:15 diz: “A pessoa ingénua acredita em qualquer palavra, mas quem é prudente pensa bem antes de cada passo.”

4. (a) Como é que Filipenses 4:8, 9 nos ajuda a escolher o que vamos ler? (b) Porque é importante procurarmos apenas informações verdadeiras? (Veja também o quadro “ Fontes que nos ajudam a obter os factos”.)

4 Para tomarmos uma boa decisão, precisamos de ter a certeza de que os factos que temos são verdadeiros. Por isso, não aceite informações de qualquer fonte. Escolha com cuidado o que vai ler. (Leia Filipenses 4:8, 9.) Não perca tempo a ler sites de notícias duvidosas ou e-mails e mensagens de texto com informações não comprovadas. Tenha cuidado principalmente com sites de apóstatas. O que eles querem é acabar com o povo de Deus e distorcer a verdade. Informações erradas levam a decisões erradas. Seria um erro acharmos que a nossa mente e coração nunca serão afetados por informações falsas. — 1 Tim. 6:20, 21.

5. Que notícia falsa é que os israelitas ouviram e como reagiram?

5 Veja um exemplo de como uma notícia falsa pode causar grandes estragos. Quando Moisés enviou 12 homens para espiarem a Terra Prometida, 10 deles voltaram com um mau relato sobre aquele lugar. (Núm. 13:25-33) Por causa dessas informações exageradas e absurdas, o povo de Jeová ficou completamente desanimado. (Núm. 14:1-4) Porque é que os israelitas reagiram assim? Talvez eles tenham pensado: ‘Se a maioria dos espiões disse coisas más sobre a Terra Prometida, então, é porque deve ser verdade.’ O povo nem sequer quis ouvir as coisas boas que Josué e Caleb disseram. (Núm. 14:6-10) Em vez de procurarem os factos e confiarem em Jeová, os israelitas preferiram acreditar no que a maioria tinha dito. Que pena!

6. Porque é que não devemos ficar surpreendidos com notícias chocantes sobre o povo de Jeová?

6 Pode acontecer ouvirmos uma notícia sobre as Testemunhas de Jeová. Nessas ocasiões, precisamos de ter ainda mais cuidado. Não se esqueça de que Satanás gosta de acusar os nossos irmãos. (Apo. 12:10) Foi por isso que Jesus disse que inimigos iam ‘mentir e dizer todo o tipo de coisas más’ contra nós. (Mat. 5:11) Portanto, não fique surpreendido se ouvir alguma coisa chocante sobre o povo de Jeová.

7. Em que temos de pensar antes de enviar e-mails ou mensagens de texto?

7 Gosta de mandar e-mails e mensagens de texto para amigos e conhecidos? Já lhe aconteceu ler uma notícia nova ou ouvir uma experiência que ainda ninguém conhece? Às vezes, podemos sentir-nos como um repórter que tem uma notícia exclusiva para dar em primeira mão. No entanto, antes de passar a informação, pense: ‘Tenho a certeza de que essa informação é verdadeira? Será que tenho todos os factos?’ Você pode, mesmo sem querer, fazer circular informações falsas entre os irmãos. Por isso, em caso de dúvida, carregue em “Apagar” em vez de “Enviar”.

8. O que é que opositores em alguns países fizeram, e como poderíamos sem querer colaborar com eles?

8 Há ainda outro perigo em reencaminhar e-mails ou mensagens sem pensar bem. Em alguns países, a nossa obra está restrita ou totalmente proibida. Alguns opositores nesses países tentam amedrontar  os irmãos ou causar desconfiança entre eles por fazerem circular notícias falsas de propósito. Veja o que aconteceu na antiga União Soviética. A polícia secreta, conhecida como KGB, começou a espalhar que vários irmãos muito conhecidos se tinham tornado traidores. * Muitos acreditaram nesses boatos e saíram da organização de Jeová. Que tristeza! Muitos retornaram à verdade; outros perderam a fé e nunca voltaram. (1 Tim. 1:19) O que podemos fazer para que isso não aconteça hoje? Não partilhe nenhuma notícia negativa ou que não possa ser confirmada. Não seja ingénuo. Procure todos os factos.

INFORMAÇÕES INCOMPLETAS

9. Que outra coisa pode tornar mais difícil chegar a conclusões certas?

9 Outra coisa que torna mais difícil chegar a conclusões certas é quando recebemos notícias que são só meias-verdades ou que estão incompletas. Uma informação que só tem 10% de verdade é 100% enganadora. O que devemos fazer para não sermos enganados por histórias falsas que talvez tenham alguns pontos de verdade? — Efé. 4:14.

10. (a) Porque é que os israelitas quase entraram em guerra contra os seus irmãos? (b) Como é que a situação se resolveu?

10 Pense no que aconteceu aos israelitas que moravam a oeste do rio Jordão, nos dias de Josué. (Jos. 22:9-34) Eles ficaram a saber que os israelitas que moravam a leste do Jordão (as tribos de Rúben, Gade e a meia tribo de Manassés) tinham construído um grande e impressionante altar perto do Jordão. Essa parte da notícia era verdade. Só que, por causa dessa informação incompleta, os israelitas do lado oeste acharam que os israelitas do lado leste se tinham rebelado contra Jeová. Por isso, decidiram entrar em guerra contra eles. (Leia Josué 22:9-12.) Mas, antes de atacarem, eles enviaram um grupo de homens de confiança até ao lado leste para confirmarem os factos. Sabe o que aconteceu? Eles descobriram que as tribos de Rúben, Gade e a meia tribo de Manassés não  construíram aquele altar para fazer sacrifícios, mas para servir de lembrete. O altar era um símbolo para as gerações futuras de que eles também serviram a Jeová. Já imaginou quantas pessoas poderiam ter morrido se os israelitas se deixassem levar por uma informação incompleta? Ainda bem que foram confirmar os factos!

11. (a) Que injustiça sofreu Mefibosete? (b) Como é que David poderia ter evitado essa injustiça?

11 Meias-verdades e informações incompletas também podem prejudicar a reputação de qualquer um de nós. Veja o que aconteceu entre o rei David e Mefibosete, neto de Saul. David foi muito bondoso e generoso com Mefibosete e devolveu-lhe todas as terras que eram de Saul. (2 Sam. 9:6, 7) No entanto, mais tarde, falaram mal de Mefibosete a David. Em vez de verificar se a informação era verdadeira, David tirou a Mefibosete todas as propriedades que lhe pertenciam. (2 Sam. 16:1-4) Depois, quando finalmente conversou com Mefibosete, David percebeu que tinha errado e devolveu-lhe parte das propriedades. (2 Sam. 19:24-29) David acreditou numa informação incompleta. Se ele tivesse tentado obter os factos, essa injustiça não teria acontecido.

12, 13. (a) O que é que Jesus fez quando foi vítima de uma grande mentira? (b) O que podemos fazer se alguém espalhar uma mentira sobre nós?

12 E se você se tornar vítima de uma grande mentira? Foi o que aconteceu a Jesus e a João Batista. (Leia Mateus 11:18, 19.) O que é que Jesus fez para lidar com a situação? Ele não gastou tempo nem energia a tentar defender-se. Em vez disso, incentivou as pessoas a analisarem os factos, ou seja, a prestarem atenção ao que ele fazia e ensinava. Como Jesus disse, “a sabedoria prova-se justa pelas suas obras”. — Mat. 11:19; nota.

13 Aqui aprendemos uma lição muito importante. Às vezes, as pessoas podem criticar-nos ou dizerem coisas injustas sobre nós. Então, talvez pensemos: ‘Será que existe alguma forma de limpar o meu nome?’ Existe sim. Se alguém começar a espalhar uma mentira a seu respeito, viva de um modo que prove a todos que nada do que disseram é verdade. Faça como Jesus. Deixe que as suas boas ações apaguem qualquer meia-verdade ou mentira que disserem sobre si.

NÃO CONFIE NA SUA PRÓPRIA EXPERIÊNCIA

14, 15. Porque é que confiar no nosso próprio entendimento pode ser uma armadilha?

14 Para chegarmos a conclusões certas, não basta apenas procurar informações confiáveis. Temos de ter cuidado com outro inimigo: a imperfeição. Isso é especialmente importante se já servimos a Jeová há muito tempo. Porquê? Porque a nossa capacidade de pensar e analisar os factos talvez se tenha desenvolvido bem. Até pode ser que outras pessoas nos digam que temos bom senso. No entanto, isso pode tornar-se uma armadilha. Como assim?

15 Se confiarmos demasiado no nosso entendimento, as nossas conclusões podem ser influenciadas pelas nossas emoções e opiniões pessoais. Podemos olhar para uma situação e achar que as nossas conclusões estão certas, mesmo não tendo todos os factos. Isso pode ser muito perigoso! A Bíblia é muito clara quando nos diz para não confiarmos no nosso entendimento. — Pro. 3:5, 6; 28:26.

16. Na situação imaginada no parágrafo, o que aconteceu num restaurante, e o que é que o Carlos pensou?

16 Imaginemos uma situação. Um ancião experiente chamado Carlos está a jantar  num restaurante. De repente, ele vê o João, um ancião da congregação dele, noutra mesa. Só que o João está com uma mulher que não é a esposa dele. O Carlos vê os dois a rirem-se e a divertirem-se. Quando se estão a ir embora, o João e a mulher dão um abraço apertado. Carlos fica cada vez mais chocado. Será que isso vai acabar num divórcio? E a esposa do João? E os filhos dele? O Carlos já viu outros casos que terminaram de modo triste. Se você estivesse lá, o que teria pensado?

17. (a) O que é que o Carlos descobriu? (b) O que aprendemos desta situação imaginária?

17 Mas espere um pouco. Apesar de o Carlos achar que o João estava a trair a esposa, será que ele conhecia todos os factos? Naquela mesma noite, o Carlos ligou ao João. Imagine o alívio do Carlos quando descobriu que aquela mulher era, na verdade, a irmã do João. Ela morava noutra cidade, e já há muitos anos que não se viam. Visto que a irmã do João estava na cidade apenas de passagem, a única maneira de eles se encontrarem seria no restaurante. E o João foi sozinho porque a esposa não pôde ir. Ainda bem que o Carlos não espalhou a ninguém a impressão errada que teve do João. O que aprendemos desta história? Mesmo que já estejamos há muitos anos na verdade, precisamos de ter todos os factos, antes de chegarmos a uma conclusão certa.

18. O que pode levar alguém a acreditar numa informação falsa sobre outro irmão da congregação?

18 Também pode ser difícil chegar a uma conclusão certa quando a situação envolve um irmão com quem não nos damos muito bem. A nossa tendência é desconfiar sempre de tudo o que esse irmão faz. Quando alguém nos conta algo negativo sobre esse irmão, nós acreditamos sem questionar, mesmo que a informação não seja verdadeira. O que aprendemos disto? Quando temos sentimentos negativos contra alguém, podemos chegar a conclusões erradas que não têm nenhuma base. (1 Tim. 6:4, 5) Portanto, não deixe que o ciúme ou a inveja cresçam no seu coração e afetem as suas conclusões. Lembre-se de que a nossa obrigação é amar cada um dos irmãos e perdoar-lhes de coração. — Leia Colossenses 3:12-14.

OS PRINCÍPIOS DA BÍBLIA VÃO PROTEGER-NOS

19, 20. (a) Que princípios bíblicos nos podem ajudar a avaliar informações? (b) O que vamos considerar no próximo estudo?

19 Vimos que não é fácil conseguir todos os factos e chegar às conclusões certas. Porquê? Por causa da grande quantidade de informações não confirmadas, de notícias cheias de meias verdades e da nossa imperfeição. O que nos pode ajudar a lidar com isso? Os princípios da Bíblia. Um deles diz que é tolice e uma humilhação falar sem conhecer todos os factos. (Pro. 18:13) Outro princípio mostra que não devemos aceitar qualquer palavra sem conferir se ela é verdadeira ou não. (Pro. 14:15) Também não devemos confiar no nosso próprio entendimento, não importa há quanto tempo estejamos na verdade. (Pro. 3:5, 6) Os princípios da Bíblia vão proteger-nos. Mas isso só vai acontecer se procurarmos obter informações confiáveis antes de chegarmos a uma conclusão ou de tomarmos uma decisão.

20 Mas ainda temos outro desafio. É a nossa tendência de julgar as coisas pela aparência. Que perigos é que isso pode trazer? O que fazer para evitá-los? É o que vamos ver no próximo estudo.

^ par. 8 Veja o Anuário das Testemunhas de Jeová de 2004, páginas 111-112, e o Anuário de 2008, páginas 133-135.